Navegando Posts em Supercopa da Libertadores

Santos 3 x 2 Racing Club

Data: 28/10/1997, terça-feira, 21h55.
Competição: Supercopa da Libertadores – Grupo 3 – 6ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 1.593 pagantes
Renda: R$ 7.425,00
Árbitro:
Cartões amarelos: Rogério Seves e Marco Assunção (S); Cáceres, Facciuto e Brusco (R).
Gols: Macedo (22-1); Vilallonga (10-2), Sandro (27-2), Marcos Assunção (28-2) e Delgado (29-2).

SANTOS
Edinho; Baiano, Jean, Sandro e Rogério Seves (Cássio); Marcos Assunção, Elder (Marcos Bazílio), Alexandre e Arinelson (Baez); Macedo e Muller.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

RACING CLUB (ARG)
Cáceres; Navas, Brusco, Arce e Macallister; Garcia (Centeno), Michelini, Facciuto e Cápria; Delgado e Vilallonga.
Técnico: Carlos Babington


Santos 1 x 2 Vasco

Data: 16/10/1997, quinta-feira, 21h00.
Competição: Supercopa da Libertadores – Grupo 3 – 4ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.615 pagantes
Renda: R$ 19.915,00
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE).
Cartões amarelos: Sandro e Marcos Bazílio (S); Nasa e Mauricinho (V).
Gols: Odvan (53segs-1); Edgar Baez (06-2) e Luiz Claudio (30-2).

SANTOS
Marcelo; Baiano, Jean, Sandro e Rogério Seves (Dutra); Marcos Bazílio, Élder (Caíco), Alexandre (Marcos Assunção) e Arinelson; Macedo e Edgar Baez.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

VASCO
Márcio; César Prates, Odvan, Alex e Felipe; Nasa, Fabrício, Válber (Moisés), Mauricinho e Pedrinho; Sorato (Luis Carlos).
Técnico: Alcir Portela (interino)


Racing Club 2 x 2 Santos

Data: 25/09/1997, quinta-feira, 20h50.
Competição: Supercopa da Libertadores – Grupo 3 – 3ª rodada
Local: Estádio Presidente Juan Domingo Perón (El Cilindro), em Avellaneda, Argentina.
Árbitro: Jorge Nieves (URU)
Cartões amarelos: Navas (R); Rogério Seves e Caíco (S).
Cartão vermelho: Caio (S).
Gols: Centeno (09-1); Vilallonga (08-2), Edgar Baez (27-2) e Arinélson (41-2).

RACING CLUB
Nacho González; Navas, Brusco, Galván e Mac Allister (Zanetti); Micheline, Centeno, Gastón Córdoba (Diéz) e Rubén Capria; Marcelo Delgado e Vilallonga.
Técnico: Carlos Babington

SANTOS
Zetti; Anderson, Jean, Narciso e Rogério Seves; Marcos Bazílio (João Santos), Baiano (Élder), Caíco e Alexandre (Arinélson); Caio e Edgar Baez.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.


River Plate 3 x 2 Santos

Data: 04/09/1997, quinta-feira, 21h40.
Competição: Supercopa Libertadores – Grupo 3 – 2ª rodada
Local: Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, Argentina.
Árbitro: Epifânio Gonzalez (PAR)
Cartões amarelos: Montserrat e Hernan Diaz (RP); Caio e Jean (S).
Cartões vermelhos: Sandro e Ronaldão (S).
Gols: Caio (12-1), Müller (22-1) e Escudero (41-1); Rambert (22-2) e Salas (29-2).

RIVER PLATE
Burgos; Hernan Diaz, Celso Ayala, Berizzo e Sorin; Montserrat, Gancedo, Escudero (Maiterra), Solari; Marcelo Salas e Rambert (Medina Bello).
Técnico: Ramon Díaz

SANTOS
Zetti; Baiano, Jean, Ronaldão e Sandro; Narciso, Marcos Bazílio, João Santos (Arinelson) e Alexandre (Caíco); Muller e Caio.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos permite virada do River

Santos 1 x 2 Vélez Sarsfield

Data: 30/10/1996, quarta-feira, 22h00.
Competição: Supercopa dos Campeões da Libertadores – Semifinais – Jogo de ida
Local: Estádio João Havelange, Parque dos Sabiás, Uberlândia, MG.
Público: 2.534 pagantes
Renda: R$ 17.561,00
Árbitro: José Luiz da Rosa (URU)
Gols: Posse (12-1) e Alessandro (22-1); Chilavert (45-2, de pênalti).

SANTOS
Edinho; Anderson, Jean, Narciso e Marcos Adriano (Carlinhos); Marcos Assunção, Vágner (Robert) e Piá; Alessandro, Camanducaia e Jamelli.
Técnico: José Teixeira

VÉLEZ SARSFIELD-ARG
Chilavert; Mendez, Pelegrino, Cardozo e Herrera; Gomez (Zandoná), Hasain e Bassedas; Posse, Camps e Moriggi.
Técnico: Osvaldo Piazza



Santos perde do Vélez com gol do goleiro Chilavert

Peixe não consegue conter o organizado Vélez Sarsfield e leva gol no último minuto do jogo

A semifinal da Supercopa dos Campeões da Libertadores da América não poderia ter tido um início pior para o Santos. Jogando em casa, o time santista perdeu o jogo diante dos argentinos. Na partida de volta, marcada para 14/11 o Peixe precisará vencer para levar a disputa para as cobranças de pênaltis, como já ocorreu diante do Nacional de Medellin na fase anterior. Se a vitória vier com mais de um gol de diferença, não haverá necessidade de cobranças de pênaltis, e o Santos passará, pela primeira vez em sua história, para a decisão desse certame.

O Peixe começou dominando mas aos 12′ fez o Vélez fez o primeiro gol através de Posse, que avançou pela direita, invadiu a área e quase sem ângulo, enganou o goleiro Edinho, conferindo o primeiro tento.

Dez minutos depois, Alessandro dividiu com o goleiro Chilavert dentro da área e ganhou, ficando sozinho diante do gol e só teve o trabalho de empurrar para a rede.

Na segunda etapa o jogo continuou equilibrado, mas o Vélez continuou melhor organizado e mais tranqüilo em campo. E apesar do equilíbrio, os argentinos conseguiram a vitória no último minuto com um pênalti cometido por jean e batido pelo goleiro Chilavert, que já havia cobrado três faltas durante a partida.