Atlético-GO 1 x 2 Santos

Data: 22/05/2010, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 3ª rodada
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia, GO.
Público: 4.669
Renda: R$ 137.380,00
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (Fifa-RJ).
Auxiliares: Cláudio José de Oliveira Soares e Marcelo Braz Mariano (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Pituca, Róbston e Márcio Gabriel (A); Zé Eduardo, Alex Sandro, Arouca, Marcel e Felipe (S)
Cartão vermelho: Agenor (A).
Gols: Wesley (20-2), Zé Eduardo (26-2) e Boka (42-2).

ATLÉTICO-GO
Márcio; Márcio Gabriel (Juninho), Jairo, Gilson (Wescley) e Tiago Feltri; Agenor, Pituca, Ramalho e Róbston; Marcão e Keninha (Boka).
Técnico: Geninho

SANTOS
Felipe; Pará, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Arouca, Wesley, Marquinhos e Zezinho (Rodriguinho); Zé Eduardo (Giovanni) e Marcel (Maikon Leite).
Técnico: Dorival Júnior



Santos bate Atlético-GO fora de casa e vence a primeira

Sem Robinho, Neymar, Paulo Henrique, André e Madson, time de Dorival fez 2 a 1 em Goiânia e manteve invencibilidade no Brasileirão.

Jogando sem boa parte de seus titulares, por conta de um episódio em que jogadores como Neymar, Paulo Henrique, André e Madson chegaram atrasados à concentração da equipe e foram imediatamente afastados, o Santos não se intimidou por atuar no Serra Dourada e derrotou o Atlético Goianiense, por 2 a 1, neste sábado. Robinho só deve voltar à equipe depois da Copa, pois já se apresentou à seleção brasileira que vai ao Mundial.

A partida, válida pela terceira rodada do Brasileirão, marcou a primeira vitória santista no torneio – antes o time havia empatado com Botafogo e Ceará. Na próxima rodada, o alvinegro praiano, que agora soma cinco pontos na competição, recebe o Guarani.

O jogo

Mesmo desfalcado de vários de seus titulares, casos de Paulo Henrique, Neymar e André – além do reserva Madson -, afastados por terem chegados atrasados à concentração na madrugada de quinta para sexta-feira, o Santos começou a partida dando sinais de que havia ido à Goiânia em busca de sua primeira vitória no campeonato.

Tanto que a primeira chance de gol do jogo foi dos santistas. Aos nove minutos, o meia Marquinhos quase surpreendeu o goleiro Márcio, ao bater direto uma cobrança de falta na lateral. Atento, o arqueiro do Atlético-GO evitou o gol.

Procurando dar sequência ao bom momento, o Peixe criou mais uma boa oportunidade aos 21, com Zé Eduardo. O meia-atacante, uma das novidades da equipe em Goiânia, fez boa jogada individual, driblando o seu marcador e cortando para o meio antes de finalizar, com força. Bem posicionado, Márcio novamente fez a defesa, antes do corte da zaga do Dragão.

Mas aos 26 foi a vez do Atlético-GO criar uma chance de gol. Os donos da casa desceram em rápido contra-ataque, até que a bola chegou ao lateral Tiago Feltri. O ala driblou Pará no domínio de bola, invadiu a grande área e bate com força para o gol. No reflexo, Felipe espalmou a bola para escanteio, evitando o gol dos goianos.

Antes do intervalo, o Dragão teve mais uma boa situação para abrir o placar. Aos 36, Marcão recebeu passe de Keninha, deixou Durval para trás e na hora da finalização, chutou cruzado, só que a bola saiu pela linha de fundo, próxima a trave direita de Felipe. Na volta para o segundo tempo, o técnico Geninho fez uma alteração, trocando um zagueiro por outro. Gilson deixou o confronto para a entrada de Wescley.

O Atlético-GO foi o primeiro time a fazer uma substituição no duelo, porém, foi o Alvinegro Praiano quem criou a primeira oportunidade de gol da etapa complementar. Aos cinco, Marquinhos cobrou a falta com força, a bola desviou na barreira e Márcio, outra vez, mostrou toda a sua agilidade para socar a bola e evitar o gol do Santos.

Bem na partida, Marquinhos mais uma vez resolveu tentar o gol. Com 13, o meia arriscou uma finalização de fora da área. Márcio se esticou todo para desviar a bola, que tocou na trave, assustando a torcida do Dragão.

Melhores em campo no segundo tempo, os santistas abriram o placar, aos 20 minutos. Marquinhos puxou contra-ataque e tocou para Wesley, que tirou o seu adversário da jogada, antes de chutar com força e precisão no ângulo esquerdo de Márcio, que nada pôde fazer para evitar o gol.

O Peixe poderia ter ampliado a sua vantagem no minuto seguinte, só que a arbitragem alegou toque de mão de Marquinhos no lance, antes da finalização. Mas sem se deixar abater, os alvinegros finalmente chegaram ao segundo tento. Aos 26, Alex Sandro fez boa jogada pela esquerda e tocou para trás. Zé Eduardo concluiu com precisão, fazendo 2 a 0 para os visitantes.

Tentando dar mais poderio ofensivo a sua equipe, Geninho trocou o lateral direito Márcio Gabriel pelo atacante Juninho. Outra alteração no ataque foi a saída de Keninha para a entrada de Boka. No Alvinegro Praiano, Dorival Júnior – que já havia colocado Maikon Leite no lugar de Marcel – fechou um pouco mais o time, ao tirar o meia-atacante Zezinho, colocando o volante Rodriguinho em sua vaga. Giovanni também entrou em campo, substituindo Zé Eduardo.

Contudo, apesar da vantagem no placar e de ter ficado com um a mais em campo – Agenor foi expulso, aos 39 -, os santistas permitiram ao Atlético-GO pressionar em busca de um resultado melhor. Isto porque, aos 42, Boka descontou. Animados pelo gol, os goianos tentaram o empate, porém, o Santos conseguiu segurar a vantagem construída e conquistou a sua primeira vitória na Série A do Brasileiro 2010.