Santos 3 x 1 Guarani

Data: 26/05/2010, quarta-feira, 21h50.
Competição: Campeonato Brasileiro – 4ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.146 pagantes
Renda: R$ 143.715,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Júnior e Dante Mesquita Júnior (ambos de SP).
Cartões amarelos: Léo, Pará, Edu Dracena (S); Roger, Preto, Rodrigo Heffner (G).
Gols: Neymar (02-1), Baiano (39-1); Marcel (41-2) e André (43-2).

SANTOS
Felipe; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Wesley (Rodriguinho), Marquinhos (Zé Eduardo) e Paulo Henrique; Neymar (Marcel) e André.
Técnico: Dorival Júnior

GUARANI
Douglas; Rodrigo Heffner, Fabão, Aílson e Márcio Careca; Renan, Baiano (Fabinho), Preto (Heverton) e Paulo Roberto; Mazola (Ricardo Xavier) e Roger.
Técnico: Vágner Mancini



Na volta dos ‘meninos’, Santos marca dois gols no fim e vence Guarani na Vila

No jogo que marcou a volta dos “meninos” santistas após a punição por indisciplina, o Santos só conseguiu vencer o Guarani, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, em jogo válido pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro, nos minutos finais. Marcel, aos 41 minutos, e André, aos 43, garantiram a vitória do alvinegro por 3 a 1.

Neymar e Baiano marcaram os gols na primeira etapa, e substituídos, já não estavam mais em campo quando o jogo foi decidido. Com o resultado, o Santos alcançou a vice-liderança da competição, com 8 pontos, ao lado do Cruzeiro. Já o Guarani caiu para a 12º colocação, com 5 pontos.

Com a segunda vitória consecutiva, o Santos ganha moral para o clássico contra o Corinthians, domingo, no Pacaembu. No mesmo dia, o Guarani recebe o São Paulo, em Campinas.

O Santos deu a impressão de que conseguira reviver o incrível 8 a 1 no confronto entre as duas equipes, dia 14 de abril, pela Copa do Brasil, marcando o primeiro logo aos 2 minutos. Neymar encarou a marcação de Ailson, fintou para trás e encontrou espaço para bater de perna direita. A bola foi fraca, mas entrou no contrapé do goleiro Douglas. Em nítida demonstração de rancor, o jovem santista, assim como André e Paulo Henrique Ganso não realizaram a tradicional dancinha na comemoração.

Aos poucos, o Bugre foi se encontrando na partida ao ponto de passar a criar as melhores oportunidades. Em jogadas de bola parada, nasceram boas chances, e a rapidez de Mazolla incomodou a defesa santista.

O ataque alvinegro seguiu sem dar trabalho ao adversário, e o Guarani continuou mais próximo de marcar. O empate aconteceu aos 37 minutos, em uma cobrança de falta de longa distância. O ex-santista Baiano bateu por cima da barreira, e a bola entrou no canto esquerdo de Felipe.

A pequena torcida santista presente na Vila Belmiro começou a reclamar do comportamento do time. O autor do gol, Neymar, só voltou a chamar a atenção após cair de mau jeito no gramado e sair de maca, reclamando de dores no ombro. O lance aconteceu nos acréscimos da primeira etapa, e o atacante não voltou a campo.

“Vou voltar para o segundo tempo. Está tudo legal, garantiu Neymar, que também aproveitou para reclamar do árbitro Wilson Seneme. “Nosso Primeiro tempo foi bom, mas o juiz marcou uma falta que não existiu e eles empataram”, disse.

“O Santos vai voltar a ser o Santos no segundo tempo”. Essa foi a frase de Dorival Júnior ao retornar do intervalo. O treinador deu uma bronca nos jogadores no intervalo e garantiu uma equipe ofensiva nos 45 minutos finais. Não foi o que aconteceu.

O Guarani seguiu melhor em campo e chegou perto do gol logo no início. Durval evitou o gol certo de Mazola mandando a bola para a linha de fundo. A jogada deixou Dorival irritado, e logo Dorival fez a primeira mudança: Marquinhos saiu para a entrada de Zé Eduardo.

A modificação logo surtiu efeito. E o segundo gol santista só não saiu, aos 11 minutos, pois o goleiro Douglas fez três defesas consecutivas nos chutes de Zé Eduardo, Neymar e André. O goleiro do Guarani voltou a se destacar segundos depois ao fazer boa defesa em chute de Léo.

Ousado, Vagner Mancini tratou de também deixar sua equipe mais ofensiva. O atacante Fabinho entrou no lugar de Baiano, e a alteração voltou a deixar a partida equilibrada.

Santos e Guarani passaram a se revezar na chegada ao ataque. Finalizações, porém, foram poucas. Nos minutos finais, Mancini tratou de segurar o resultado e colocou o zagueiro Heverton no lugar de Preto. A alteração não deu certo, e o Santos chegou a vitória com os gols de Marcel e André nos minutos finais.