Santos 0 x 1 Fluminense

Data: 18/07/2010, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 9ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 9.193 pagantes
Renda: R$ 245.095,00
Árbitro: Cláudio Mercante (PE)
Auxiliares: Alcides de Lira Júnior (PE) e José Wanderlei da Silva (PE).
Cartões amarelos: Arouca, Ganso e Durval (S); Diogo, Diguinho e Marquinho (F).
Gols: Alan (32-2)

SANTOS
Rafael; Maranhão, Edu Dracena, Durval e Pará; Arouca, Wesley (Madson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar (Zé Eduardo), André (Marcel) e Robinho.
Técnico: Dorival Júnior

FLUMINENSE
Fernando Henrique; Gum, André Luis e Leandro Euzébio; Mariano, Diogo (Marquinho), Rodriguinho, Darío Conca (Júlio César) e Carlinhos; Rodriguinho (Alan) e Fred.
Técnico: Muricy Ramalho



‘Paredão’ funciona, Fluminense bate Santos na volta de Robinho e é vice-líder

O Santos entrou em campo badalado pela volta de Robinho após a Copa do Mundo. Mas o Fluminense não se intimidou. Com uma retranca bem postada, suportou as perigosas e incessantes investidas de Neymar, André e cia e venceu o time praiano por 1 a 0 em plena Vila Belmiro. De quebra, confirmou a boa fase e colou nos líder do Campeonato Brasileiro.

A equipe carioca assumiu a vice-liderança do torneio nacional com 19 pontos e continua seguindo de perto o Corinthians que venceu o Atlético-MG e foi a 21 pontos na tabela. O resultado confirmou a ascensão do Flu que chegou à sexta partida de invencibilidade, sendo cinco vitórias e um empate.

Já o Santos, mesmo com o sucesso dos meninos da Vila no primeiro semestre, amargou a segunda derrota seguida (havia perdido para o Palmeiras), caiu cinco posições e está em nono lugar na tabela com 12 pontos.

Nem o primeiro jogo de Robinho após dois meses longe foi suficiente para dar a vitória. O atacante não atuava em terras tupiniquins desde o dia 19 de maio, quando o Santos venceu o Grêmio pela semifinal da Copa do Brasil. Depois se apresentou à seleção brasileira, eliminada nas quartas de final do Mundial. O retorno poderia ter sido no meio de semana, mas ele pediu para não enfrentar o Palmeiras.

Com as perspectivas de as duas equipes chegarem na parte de cima da tabela, o primeiro tempo foi aberto. Jogando em casa, o Santos tomou a iniciativa da partida, pressionou, criou as principais chances de gol, mas esbarrou na retranca do Fluminense e nas boas defesas do goleiro Fernando Henrique.

O técnico Muricy Ramalho surpreendeu ao escalar o time com três zagueiros com a volta de Leandro Euzébio. O sistema funcionou, já que os cariocas conseguiram se sobressair na marcação e bloquear a parte central da área, criando dificuldades ao time praiano para atacar por esse setor.

O retorno de Robinho ao Santos deu mais movimentação ao ataque. O jogador chegou bem na frente, enquanto o Fluminense tentava surpreender nas investidas mais esporádicas.

A tônica no segundo tempo foi a mesma, mas com uma maior participação ofensiva, o que deixou o jogo bastante aberto e movimentado. Nos primeiros minutos, o Santos teve a chance mais clara nos pés de André e depois colocou uma bola na trave com Marcel, que havia acabado de entrar.

Mas o tricolor não ficou atrás, adiantou a marcação e tinha os dois alas, Mariano e Carlinhos, saindo bastante para o jogo e sendo eficientes nas assistências pelos lados. Carlinhos, especialmente, deu trabalho com duas chances claras de marcar.

O Fluminense foi premiado pela sua organização aos 32 minutos do segundo tempo quando Alan recebeu lançamento em contra-ataque para marcar o único gol da partida. O Santos não se deu por vencido. Logo após a saída, Fernando Henrique salvou bola incrível de Wesley e Robinho perdeu chances na pequena área. Mas não teve força para empatar.

As equipes voltam a campo no meio de semana. Na quarta-feira, o Santos visita o Atlético-PR na Arena da Baixada. No dia seguinte é a vez de o Fluminense receber o Cruzeiro no Maracanã.