Atlético-PR 2 x 0 Santos

Data: 21/07/2010, quarta-feira, 21h50.
Competição: Campeonato Brasileiro – 10ª rodada
Local: Arena da Baixada, em Curitiba, PR.
Publico: 21.390 pagantes
Renda: R$ 386.130,00
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS).
Auxiliares: Julio Cesar Rodrigues Santos e Alexandre A. P. Kleiniche (ambos do RS)
Cartões amarelos: Bruno Costa, Wagner Diniz, Deivid, Alex Mineiro e Rhodolfo (CAP); Arouca (S).
Gols: Bruno Costa (01-1) e Bruno Mineiro (01-2).

ATLÉTICO-PR
Neto; Leandro, Rhodolfo e Bruno Costa; Wagner Diniz, Vitor, Deivid, Paulo Baier (Branquinho) e Paulinho; Alex Mineiro (Thiago Santos) e Bruno Mineiro (Mithyuê).
Técnico: Paulo César Carpegiani

SANTOS
Rafael; Maranhão (Danilo), Edu Dracena, Bruno Aguiar e Pará; Arouca, Wesley e Zezinho (Breitner); Neymar, Marcel (André) e Robinho.
Técnico: Dorival Júnior



Atlético-PR amplia crise do Santos pós-Copa com vitória por 2 a 0 na Arena

O Santos foi a Curitiba para evitar a pressão às vésperas da final da Copa do Brasil. No entanto, o Atlético-PR venceu o jogo na noite desta quarta-feira, por 2 a 0, na Arena da Baixada, e aumentou o drama santista. Bruno Costa e Bruno Mineiro, nos primeiros minutos de cada etapa, garantiram o triunfo atleticano.

Com a derrota, o Santos vive o pior momento na temporada. A equipe perdeu todos os 3 jogos que disputou no Brasileirão pós-Copa, e está na 11ª colocação, com 12 pontos. Já a equipe paranaense deixou a zona de rebaixamento ao pular para a 15ª posição, com 10 pontos.

As equipes voltam a campo no próximo domingo pela 11ª rodada da competição. O Santos atua na Vila Belmiro, diante do São Paulo, às 16h. Já o Atlético-PR encara o Goiás, no Serra Dourada, no mesmo horário.

O duelo considerado vital para o Santos, diante do Vitória, no primeiro confronto da final da Copa do Brasil, acontece na próxima quarta-feira, na Vila Belmiro.

Na noite desta quarta, sem contar com Paulo Henrique Ganso, suspenso, Dorival Júnior surpreendeu ao colocar Zezinho como titular. Outra novidade santista foi a entrada de Marcel no lugar de André, o vice-artilheiro santista na temporada, com 26 gols.

As mudanças não trouxeram o rendimento ofensivo esperado. No primeiro tempo foi o Atlético-PR que dominou o confronto e teve várias chances. A equipe visitante sofreu para se encontrar em campo.

Desde o início, o Furacão tomou conta do jogo. Logo aos 2 minutos, Bruno Costa aproveitou desvio da zaga santista na primeira trave, e escorou para o fundo do gol o escanteio cobrado por Paulo Baier.

O time mandante tinha espaço em campo e seguiu criando boas oportunidades. O goleiro santista, Rafael, evitou o segundo gol do adversário em duas belas defesas em chutes de Paulo Baier.

Com Robinho recuado, mas sem conseguir armar boas jogadas devido à forte marcação. O Santos ficou esperando momentos de brilhantismo de Neymar no primeiro tempo. O jovem atacante, no entanto, não teve sucesso nas jogadas individuais. O duelo foi para o intervalo com vitória parcial do rubro-negro por 1 a 0.

Na tentativa de modificar o panorama do jogo, Dorival fez duas mudanças radicais na equipe. Breitner entrou na vaga de Zezinho, e Danilo entrou improvisado na lateral-esquerda em substituição a Maranhão. A ala-direita foi ocupada por Pará.

O treinador só não contava com uma grave falha de Rafael que resultou no segundo gol atleticano logo aos 2 minutos. O goleiro rebateu uma cobrança de falta de Paulo Baier em cima do atacante Bruno Mineiro. Este driblou o camisa 1 santista e marcou o segundo gol.

No andamento da etapa, Dorival ainda trocou o posicionamento dos laterais, e Danilo passou a atuar com frequência no setor ofensivo. Foi de seus pés que nasceu a melhor chance santista no jogo, quando tocou a bola para Robinho, livre, na área. O atacante, no entanto, chutou em cima do goleiro Neto.

O Atlético-PR conduziu bem a partida em seu trecho final, e ainda ficou perto do terceiro gol, aos 30 minutos, em chute de Alex Mineiro na trave.

A última alteração de Dorival foi a entrada de André no lugar de Marcel. O ex-titular em nada contribuiu para o time. E o Santos deixou Curitiba com a terceira derrota seguida na competição.