Vitória 4 x 2 Santos

Data: 14/08/2010, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 14ª rodada
Local: Estádio Barradão, em Salvador, BA.
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Asp.DF)
Auxiliares: Cleriston Clay Barreto Rios (SE) e Thiago Gomes Brigido (CE)
Cartões amarelos: Wallace, Anderson Martins e Ricardo Conceição (V); Rodriguinho, Edu Dracena, Zé Eduardo e Arouca (S)
Cartão vermelho: Edu Dracena e Marquinhos (S)
Gols: Henrique (20-1), Wallace (25-1), Marcel (29-1), Henrique (47-1); Zé Eduardo (22-2) e Schwenck (26-2, de pênalti).

VITÓRIA
Lee; Eduardo Diniz, Anderson Martins, Wallace e Egídio; Vanderson, Ricardo Conceição, Ramon (Neto Coruja) e Elkeson; Henrique (Renato) e Schwenck (Júnior).
Técnico: Toninho Cecílio

SANTOS
Felipe; Maranhão, Edu Dracena, Durval e Pará; Arouca, Danilo (Breitner), Rodriguinho (Marquinhos) e Paulo Henrique Ganso; Zé Eduardo e Marcel (Madson).
Técnico: Dorival Júnior



Em vingança da Copa do Brasil, Vitória derrota o Santos e quebra jejum no Brasileiro

Vitória e Santos se reencontram em situação distinta das finais da Copa do Brasil. Longe da liderança, as duas equipes atuaram em um Barradão com pouco público neste domingo, diferentemente das finais do mata-mata. Vice-campeão, o Vitória amenizou o trauma diante dos santistas e venceu por 4 a 2, quebrando série de quatro jogos sem êxito no Brasileiro.

O time baiano alcançou 17 pontos, se afastando da zona de rebaixamento (14º colocado). Já o Santos cai para a 11ª posição, com 18 pontos.

As duas equipes atuaram com equipes bastante desfalcadas. O Vitória não contou com Viáfara, Jonas, Uelliton, Nino Paraíba e Rafael Cruz, todos lesionados. O Santos não levou à Bahia os jogadores Rafael e Neymar, vetados pelo departamento médico. Wesley negocia sua saída do clube e não foi relacionado.

O primeiro tempo foi intenso no Barradão: quatro gols em 47 minnutos.

Sem seis titulares da final da Copa do Brasil, o Santos não apresentou a rapidez de antes. Previsível, a equipe paulista foi facilmente dominada pelo Vitória, que explorou sua dupla ofensiva – Henrique e Schwenck.

Em cinco minutos, o time baiano marcou dois gols, com Henrique (aos 20 min) e Wallace (aos 25 min do 1º tempo). Os jogadores do Santos pediram impedimento no gol de Wallace, mas a arbitragem assinalou corretamente. Wallace não estava impedido.

O Santos diminuiu com Marcel, aos 29 min, que aproveitou rebote em chute de Ganso.

Melhor em campo, o Vitória ampliou a vantagem pouco antes do término da 1ª etapa. Vigiado de longe por Dracena na área, Henrique teve tempo para dominar e chutar a bola, acertando o canto direito de Felipe: 3 a 1.

Para a segunda etapa, Dorival Junior tentou melhorar a saída de bola no meio-campo, optando pela entrada de Marquinhos na vaga de Rodriguinho. Já Toninho Cecílio buscou maior velocidade ao sistema ofensivo do Vitória, trocando Ramon por Neto Coruja.

A partida se mostrou equilibrada no segundo tempo. O Santos não conseguia maneiras de suprir as ausências de Neymar e Robinho. Mesmo assim, em jogada na área, Zé Eduardo recebeu a bola e chutou de esquerda, marcando o segundo gol do time, aos 22 min.

O Vitória não deu tempo para o Santos pensar em reação. Pênalti e expulsão de Edu Dracena. Na cobrança, Schwenck marcou o quarto gol do time baiano.

Com a vantagem por 4 a 2, o Vitória apenas administrou o jogo. Já o Santos demonstrou falta de inspiração. O time paulista chegou aos minutos finais com apenas nove em campo. Marquinhos cometeu falta e foi expulso.

De casa, Neymar reprovou a arbitragem, mandando recado pela internet.

“Meu Santos sempre prejudicado pela arbitragem!”