Santos 4 x 0 Mogi Mirim

Data: 28/01/2004
Competição: Campeonato Paulista – Primeira Fase – Grupo B – 3ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.280 pagantes
Renda: R$ 46 635,00
Árbitro: Cléber Wellington Abade (SP).
Gols: Elano (10-1), Robinho (20-1); Léo (19-2) e Jerri (42-2).

SANTOS
Júlio Sérgio; Paulo César, Alex, André Luís, Léo; Paulo Almeida, Claiton (Preto Casagrande), Renato, Elano (Basílio); Robinho (Jerri) e Róbson.
Técnico: Emerson Leão.

MOGI MIRIM
Fábio (Edervan); Júlio César (Douglas), Leandro, Gian, Daniel; Márcio, Ramires, Rodrigo, Válber (Dione); Marcinho e Gilson Batata.
Técnico: Jorge Raulli.



Santos goleia o Mogi Mirim na volta de jogadores da seleção

Três dias após amargarem a perda da vaga olímpica para o Paraguai, Robinho, Elano, Alex e Paulo Almeida sentiram o gosto da volta por cima. Os quatro foram decisivos para a goleada de 4 a 0 do Santos sobre o Mogi Mirim, na noite desta quarta, na Vila Belmiro.

Robinho e Elano fizeram um gol cada um no segundo triunfo santista em três jogos neste Campeonato Paulista. Alex e Paulo Almeida se destacaram na marcação.

O meia Diego foi o único dos que estavam na seleção brasileira sub-23 a não jogar. Ele ficou fora por causa de dores musculares.

Na véspera da partida, o técnico Emerson Leão saíra em defesa de seus jogadores, após críticas feitas pelo treinador da seleção principal, Carlos Alberto Parreira, e seu coordenador, Zagallo, aos jogadores da seleção sub-23.

O santista condenou a atitude de seus colegas e procurou reanimar os jogadores. “O Leão pediu para a gente esquecer o que passou e jogar bola. Conseguimos fazer isso”, disse Paulo Almeida.

Os jovens atletas ganharam também o apoio dos torcedores, que levaram faixas para o estádio. “Meninos, nosso orgulho e confiança continuam inabalados” e “Ricardo Gomes, até nunca mais” foram algumas das mensagens exibidas pela torcida.

Os fãs precisaram só de dez minutos para ver um dos ex-jogadores da seleção brilhar. Foi o tempo que Elano levou para abrir o placar. Ele chutou cruzado, após receber passe de Róbson. Depois, o meia se machucou e deixou o campo antes dos 20min.

Aos 21min, Robinho deixou a sua marca. O atacante, apagado no Pré-Olímpico do Chile, livrou-se de dois marcadores e chutou da entrada da área para fazer 2 a 0.

Robinho voltou a ser decisivo no segundo tempo. Aos 20min, o atacante serviu Léo, que encobriu o goleiro Edervan e fez o terceiro.

Na comemoração, o lateral-esquerdo simulou engraxar a chuteira do colega. “É a chuteira azul da sorte”, afirmou o atacante.

O passe para Léo foi o último lance importante de Robinho, já que Leão tirou o jogador aos 26min para a entrada de Jerri. Ele deixou o gramado sob aplausos dos torcedores.

Jerri marcou o quarto, aos 43min, com o gol vazio. Ele aproveitou um rebote de Edervan em chute forte de Róbson.

Sem balançar as redes, Paulo Almeida e Alex foram os que mais ajudaram a tirar a bola do adversário. O zagueiro, que cobrou uma falta na trave, foi o santista que mais fez desarmes, segundo o Datafolha. Ele roubou 26 bolas. O volante foi o segundo, com 18.

Pouco atacado, o Santos fez mais que o dobro de faltas em relação ao Mogi Mirim: 26 a 12. Ninguém levou cartão amarelo.



Créditos:
Ficha Técnica: Fernando Ribeiro