Fluminense 0 x 3 Santos

Data: 06/10/2010, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 28ª rodada
Local: Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 11.723 pagantes
Renda: R$ 313.515,00
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF) (Fifa-RS).
Auxiliares: Enio Ferreira de Carvalho (DF) e Marrubson Freitas (DF).
Cartões amarelos: Valencia, Andre Luis e Rodriguinho (F); Vinícius Simon, Léo e Roberto Brum (S).
Gols: Zé Eduardo (11-2), Zé Eduardo (29-2) e Zé Eduardo (42-2).

FLUMINENSE
Rafael; Marquinhos, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Diogo, Valencia, Marquinho (Andre Luis) e Conca; Rodriguinho e Washington (Fred).
Técnico: Muricy Ramalho

SANTOS
Rafael; Pará, Vinícius Simon, Durval e Léo; Roberto Brum, Arouca, Danilo e Alan Patrick (Alex Sandro); Neymar e Zé Eduardo (Felipe Anderson).
Técnico: Marcelo Martelotte



Em noite de Zé Eduardo, Santos vence o líder Fluminense dentro do Engenhão

Zé Eduardo marcou os três gols na vitória por 3 a 0 sobre o líder do Brasileiro, que jogou em seus domínios. Derrota do Corinthians manteve Flu na ponta

O Santos já está classificado para a Copa Libertadores do ano que vem e tem poucas chances de conquistar o título do Campeonato Brasileiro este ano. Mas nem assim deve ser tratado como um adversário qualquer e pode se transformar num termômetro para quem tem maiores aspirações. Nesta quarta-feira, no Engenhão, o Fluminense sofreu com talento dos “Meninos da Vila” e saiu do estádio com uma derrota por 3 a 0, com direito à dancinha de Neymar e Zé Eduardo, autor dos três gols.

O Fluminense segue com 52 pontos, e teve a liderança ameaçada, pois o Corinthians, com 49, ainda jogaria contra o Atlético-MG, em Minas Gerais, na sequência da rodada. Porém, o time mineiro ganhou de virada, por 2 a 1, e manteve o Flu na ponta. Entretanto, o Corinthians tem um jogo a menos, pois enfrenta o Vasco em partida adiada do primeiro turno, no próximo dia 13.

O jogo

No gramado melhorado do Engenhão, a expectativa era de um jogo aberto, com chances de gols para os dois lados. Apesar da disposição ofensiva, a primeira boa oportunidade apareceu apenas aos sete minutos. Rodriguinho recebeu lançamento pela direita e chutou cruzado para boa defesa de Rafael. O jogo ganhou em emoção, mesmo que o Santos faça mera figuração no Campeonato Brasileiro no momento.

O goleiro Rafael, do Santos, teve trabalho para segurar o ataque do Fluminense. Aos 12, ele fez ótima defesa em cobrança de falta de Marquinho. No contra-ataque, a resposta em jogada de Alan Patrick, que o Rafael do Fluminense salvou.

Zé Eduardo fazia o papel de centroavante no time santista e dava trabalho aos zagueiros do Fluminense. Aos 25, ele chutou com perigo, depois da jogada de Alan Patrick e Neymar. A chance mais clara de gol caiu justamente nos pés de Conca. O argentino ficou livre em cobrança de escanteio de Marquinho, substituto de Deco, machucado, mas chutou por cima, aos 28.

Zé Eduardo pelo Santos e Carlinhos pelo Fluminense ainda tiveram boas chances de marcar, mas desperdiçaram. O primeiro tempo ficou no 0 a 0, com Fred na expectativa do momento de ser chamado pelo técnico Muricy Ramalho, depois da lesão sofrida no dia 25 de julho, que o deixou fora dos gramados por mais de dois meses.

Empolgação tricolor

E Fred voltou para o segundo tempo na vaga de Washington, ovacionado pela torcida do Fluminense no Engenhão. “O Fred vai te pegar”, cantavam os tricolores, que se empolgaram com a presença do atacante no time e passaram a apoiar os jogadores. Aos três minutos, ele deu bom passe de calcanhar para Conca, que chutou nas mãos de Rafael.

Mas a festa pela volta de Fred durou pouco. Aos 11 minutos, em ótimo passe de Alan Patrick, Neymar chutou duas vezes na trave e, na sobra, Zé Eduardo, com uma bicicleta improvisada conseguiu mandar a bola para o fundo da rede de Rafael e assim colocar o Santos na frente.

Aos 13, Rodriguinho quase empatou o jogo, depois do cruzamento de Marquinho. Depois, aos 17, o Fluminense balançou a rede, mas o zagueiro Leandro Euzébio estava impedido e a jogada foi anulada pelo assistente Enio Ferreira de Carvalho. Carlinhos acertou a trave aos 21 e a torcida cresceu com o time no jogo.

Mas, apesar da pressão do Fluminense, quem fez o gol foi o Santos. Aos 29 minutos, Zé Eduardo aproveitou a bobeira da defesa e chutou sem chance para o goleiro Rafael. Aos 42, o mesmo Zé Eduardo fez mais um em jogada de Alex Sandro, garantindo a vitória do Santos, que chega aos 42 pontos, com um jogo a menos, e colocando a liderança do rival no Campeonato Brasileiro a perigo.

Neymar quebra o silêncio para elogiar Zé Eduardo; ‘dancinhas’ estão de volta

Mudo desde o episódio que culminou com a saída de Dorival Júnior, Neymar deu as primeiras declarações após a vitória do Santos contra o Fluminense, por 3 a 0, na noite desta quarta-feira, no Engenhão, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. O atacante utilizou o momento para elogiar o companheiro Zé Eduardo, autor dos três gols.

“Hoje deu tudo certo. O Zé (Eduardo) fez três gols e a gente está em casa. Ele joga muito”, disse o agora monossilábico jovem.

Com a insistência dos repórteres, Neymar ainda respondeu uma pergunta sobre a possibilidade de título antes de deixar o gramado do Engenhão. “O Santos está muito bem na competição. Agora, vamos aproveitar”, se limitou a dizer Neymar.

Aos poucos, Neymar vai voltando a sorrir. Na partida diante do Fluminense o que também ficou marcado foi o retorno da tradicional comemoração com “dancinhas” dos santistas.

No segundo gol do alvinegro, o camisa 11 se uniu ao autor Zé Eduardo para realizar uma coreografia. A maneira de comemorar gols marcou o Santos no primeiro semestre. Desde a saída de André e Robinho os jogadores haviam deixado de festejar os tentos dessa forma.

“A ‘dancinha’ voltou. Tem que voltar a alegria de sempre. Esse é o time do Santos. Conversava isso com o Neymar”, destacou Zé Eduardo.

Autor dos três gols, Zé Eduardo celebra nova função: ‘Jogo inesquecível’

Jogando como centroavante, Zé Eduardo correspondeu. O camisa 9 fez os três gols da vitória santista contra o Fluminense, na noite desta quarta-feira, no Engenhão, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, e deixou o campo emocionado. Essa foi a primeira vez na carreira que o atacante conseguiu tal feito.

“Foi um jogo inesquecível. A melhor partida de minha vida. Nunca tinha feito isso. Agora é só agradecer a Deus”, destacou Zé Eduardo.

Com não poderia ser diferente, o novo centroavante do time gostou de atuar na posição. Isso só aconteceu devido à ausência de Marcel, vetado pelo departamento médico do clube na antevéspera da partida.

“Tinha exercido com o Dorival poucas vezes essa função pela carência de um centroavante. Hoje fui feliz. Venho trabalhando forte, e foi um jogo para se elogiar”, disse o novo camisa 9.

Zé Eduardo é um dos jogadores mais festejados do elenco. Com jeito “brincalhão”, o atacante sempre é alvo de gozações dos companheiros. Os apelidos são diversos. Alguns foram criados pelo próprio jogador, que, por exemplo, se autodenomina como “Zé do Gol”.

“Zé do gol não. Sou o Zé Eduardo, um cara que trabalha forte. O Marcelo (Martelotte) me deu oportunidade, confiança, e estou conseguindo corresponder”, disse o atacante com discurso humilde.