São Paulo 4 x 3 Santos

Data: 17/10/2010, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 30ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 23.791 pagantes
Renda: R$ 684.279,59
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Marcio Luiz Augusto (SP).
Cartões amarelos: Jean, Dagoberto, Richarlyson, Alex Silva e Ricardo Oliveira (SP); Danilo, Pará, Edu Dracena e Felipe Anderson (S).
Cartão vermelho: Richarlyson (SP).
Gols: Alan Patrick (04-1), Dagoberto (06-1), Dagoberto (16-1) e Pará (18-1, contra) e Zé Eduardo (20-1); Neymar (25-2) e Jean (47-2).

SÃO PAULO
Ceni; Jean, Alex Silva, Miranda e Richarlyson; Rodrigo Souto, Carlinhos Paraíba, Lucas (Renato Silva) e Fernandinho (Diogo); Dagoberto (Marlos) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Paulo César Carpegiani

SANTOS
Rafael; Pará (Maranhão); Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Arouca, Roberto Brum (Felipe Anderson), Danilo e Alan Patrick (Breitner); Zé Eduardo e Neymar.
Técnico: Marcelo Martelotte



Em clássico eletrizante, São Paulo vence o Santos por 4 a 3 no Morumbi

Partida teve cinco gols no primeiro tempo. Gol da vitória do São Paulo saiu aos 47 minutos do segundo tempo, com Jean, de cabeça.

São Paulo e Santos protagonizaram um verdadeiro espetáculo no Morumbi neste domingo. O clássico teve definição do resultado nos acréscimos do segundo tempo: 4 a 3 para o São Paulo. Dagoberto duas vezes, Pará, contra, e Jean, aos 47 minutos do segundo, marcaram os gols são-paulinos. Para o Santos, Alan Patrick e Zé Eduardo, no primeiro tempo, e Neymar, de pênalti, no segundo, descontaram.

Com o resultado, o Santos não conseguiu ultrapassar o Corinthians, terceiro colocado. O time da Vila Belmiro fica com 48 pontos, dois atrás do rival ao título. Já o São Paulo foi a 44 pontos e subiu uma posição na tabela. Está em 9º lugar, seis pontos atrás da faixa que dá a vaga à Libertadores de 2011.

O clássico do Morumbi começou com todos os ingredientes de um grande jogo. Com vontade de atacar, São Paulo e Santos foram logo se lançando ao gol adversário e esse ímpeto resultou em um verdadeiro espetáculo. Em 20 minutos de jogo, cinco gols.

Logo aos quatro minutos Neymar fez ótima jogada pelo lado esquerdo do ataque santista e rolou para Zé Eduardo chutar. O atacante acertou bem na bola, mas Rogério Ceni falhou. O goleiro são-paulino deu rebote e Alan Patrick tocou par ao gol.

O gol que poderia frear as pretensões do São Paulo só fez com que o time do Morumbi fosse mais ainda para o ataque. Com uma proposta ofensiva clara já na escalação de Paulo César Carpegiani, que optou pelo quarteto Lucas, Fernandinho, Dagoberto e Ricardo Oliveira, o São Paulo pressionou por todos os lados do ataque e conseguiu a virada de forma fulminante.

Aos seis minutos, Miranda fez ótima jogada na direita, se livrou da marcação de Danilo e mandou para o meio da área. Ricardo Oliveira cabeceou fraco em direção à pequena e Dagoberto se antecipou à chegada do goleiro Rafael para tocar também de cabeça para o gol.

A arma do treinador são-paulino para intimidar o envolvente ataque santista era clara. Atacar com mais força. E no primeiro tempo, o São Paulo se deu bem com essa postura. Dagoberto, Lucas e Fernandinho formavam um trio que se movimentava muito à frente da área santista deixando os volantes Roberto Brum e Arouca vendidos na marcação. Mais à frente, Ricardo Oliveira fez bem o papel de pivô e criou mais problemas para a defesa santista.

O gol da virada do São Paulo, aos 16 minutos do primeiro tempo aconteceu assim. Ricardo Oliveira saiu um pouco da área e lançou Fernandinho pelo lado esquerdo do campo de ataque são-paulino. O atacante fez ótima jogada para cima de Pará que não freou o avanço do são-paulino. Fernandinho tocou a bola rasteira para Ricardo Oliveira lançar para Dagoberto tocar de cabeça. Rafael saiu mal do gol mais uma vez e o atacante fez mais um, seu sexto gol no Brasileirão.

Dagoberto também teve participação decisiva no terceiro gol são-paulino. Dois minutos depois de conseguir a virada para sua equipe, o atacante conduziu a bola com habilidade e entrou na área santista. O lateral-direito Pará chegou firme para impedir o chute de Dagoberto, mas acabou se dando mal. O santista tocou a bola no ângulo do gol de Rafael e fez contra.

A blitz são-paulina, que chegou a três gols em 12 minutos, parou ali. Com o placar favorável, o São Paulo diminuiu o ritmo. Só não esperava que logo aos 20 minutos o Santos já voltasse com tudo e diminuísse a desvantagem. Pará tentou se redimir e puxou o ataque santista pelo lado direito. O lateral passou bem por Miranda e cruzou rasteiro para Zé Eduardo marcar o segundo gol santista.

O começo de jogo veloz e com as duas equipes abertas deu lugar a duas equipes mais cautelosas. O primeiro tempo terminou com os rivais mais comedidos no ataque.

No segundo tempo, Carpegiani deixou um pouco a ousadia no vestiário e voltou com um jogador do seu trio de meias a menos. Lucas foi substituído pelo zagueiro Renato Silva. E com isso o Santos cresceu. Com a mesma postura do primeiro tempo, o Santos foi melhor no reinício de jogo.

Com um zagueiro a mais, o São Paulo atraiu o Santos. Richarlyson perdeu a cabeça aos 12 minutos e foi expulso. Com um a mais, o Santos pressionou e conseguiu o empate aos 25 minutos. Neymar invadiu a área e foi derrubado por Alex Silva. Ele mesmo bateu o seu primeiro pênalti desde a polêmica em que se envolveu na partida contra o Atlético-GO, na Vila Belmiro e que culminou na demissão de Dorival Júnior. Firme, no ângulo, Neymar marcou.

Dois minutos depois, Ricardo Oliveira fez boa jogada pelo lado esquerdo da defesa santista e cruzou rasteiro para o meio da área. Dagoberto fez o corta-luz para Jean, mas o lateral desperdiçou uma chance clara. Chutou muito longe do gol.

O lateral teve a chance de se redimir aos 47 minutos do segundo tempo e não falhou. Marlos cruzou da direita e Ricardo Oliveira, livre, cabecear para grande defesa de Rafael. No rebote, Jean só teve o trabalho de empurrar para o gol e coroar a vitória são-paulina, a terceira em três jogos de Carpegiani à frente do time.

No próximo domingo, o São Paulo enfrenta o Ceará no Castelão, em Fortaleza. Já o Santos encara o Prudente na Vila Belmiro também no domingo. Pará será o desfalque pelo terceiro cartão amarelo recebido no Morumbi.