Santo André 3 x 3 Santos

Data: 04/06/2009, quinta-feira
Competição: Campeonato Brasileiro – 5ª rodada
Local: Estádio Bruno José Daniel, em Santo André, SP.
Público:
Renda:
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Auxiliares: João Bourgalber Nobre Chaves e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP).
Cartões amarelos: Elvis, Ricardo Conceição (SA), Léo, Luizinho, Rodrigo Souto, Roberto Brum, Madson (S)
Cartões vermelhos: Nunes (SA)
Gols: Kléber Pereira (07-1), Nunes (14-1), Madson (24-1) e Nunes (45-1); Fabão (20-2) e Elvis (27-2).

SANTO ANDRÉ
Neneca, Cicinho, Cesinha, Marcel e Gustavo Nery (Arthur); Fernando, Ricardo Conceição, Junior Dutra (Ricardo Goulart) e Élvis (Dionísio); Nunes e Antonio Flávio
Técnico: Sérgio Guedes

SANTOS
Fábio Costa; Luizinho (Pará), Fabão, Fabiano Eller e Léo; Rodrigo Souto, Roberto Brum, Molina (Neymar) e Paulo Henrique Ganso (Roni) e Madson; Kléber Pereira
Técnico: Vagner Mancini



Santos cede empate por 3 vezes e sai de Santo André com 1 ponto

Vagner Mancini havia pedido para o Santos tentar disparar em meio a preocupação de concorrentes com outras competições. O time da Vila bem que buscou a vitória, nesta quinta-feira, para encostar no topo do Brasileirão. No entanto, o Santo André demonstrou alto poder de reação no ABC, conseguiu igualar o marcador por três vezes, empatando o jogo por 3 a 3.

“O Santos não está acostumado a sofrer tantos gols em um jogo. Não fomos bem pelo alto. O resultado não foi bom. Mas vamos tentar corrigir isso nos treinos para que não ocorra novamente”, lamentou Fabão à rádio Globo

Com este resultado, o Santos segue invicto no Nacional, soma 9 pontos, e diminui a distância para o líder Internacional, que tem 12 pontos. Já o Santo André conquistou seu sexto ponto.

Apesar da noite fria no ABC, Santo André e Santos fizeram um jogo quente, com inúmeras oportunidades de gol para as duas equipes. No final do primeiro tempo, o placar já sinalizava 2 a 2.

Artilheiro do Santos no ano, Kléber Pereira concluiu com êxito sua primeira chance na partida, quando recebeu passe em profundidade de Rodrigo Souto, aos 7 min da etapa inicial.

A reação do Santo André foi rápida. Referência ofensiva do Santo André, sobretudo diante das ausências de Marcelinho Carioca e Pablo Escobar, o centroavante Nunes começou a incomodar a zaga santista. Ele igualou o marcador, aos 14 min.

Jogo de pouca falta no 1º tempo, as duas equipes apostaram em estratégias ofensivas. O Santos voltou ter vantagem no jogo aos 30 min. Madson aproveitou bola mal tirada pela zaga e marcou seu terceiro gol no Brasileirão.

Após o gol de Madson, o Santos reduziu volume no ataque, administrando a partida. Em desvantagem, o time da casa insistiu ofensivamente, misturando muita vontade, mas com pouca inspiração.

O recuo santista atraiu o Santo André, que novamente empatou pelo alto com Nunes. O jogador, aliás, foi oferecido pelo Bragantino (dono do “passe”) no início do ano ao Santos e Corinthians, mas foi rejeitado devido ao alto valor solicitado.

Apagados, Paulo Henrique Ganso e Molina não davam criatividade ao meio campo. A apatia foi percebida pela torcida do Santos, que pediu a entrada do atacante Neymar nos primeiros minutos do 2º tempo.

Mancini atendeu o público e colocou Neymar em campo durante a etapa complementar. De falta, Fabão colocou o Santos de novo à frente no placar.

Autor de dois gols, Nunes pediu pênalti que teria sido cometido pelo zagueiro Fabiano Eller. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira mandou seguir a jogada. Minutos depois, o atacante novamente reclamou de uma suposta infração cometida pelo Santos. O juiz não tolerou e expulsou Nunes por reclamação.

Mesmo com um a menos, o Santo André foi buscar o empate pela terceira vez, desta vez com o meia Élvis, em cobrança de penalidade.

Já nos acréscimos, o Santos quase fez o quarto gol, mas a cabeceada de Pereira acertou a trave.