Santos 2 x 1 São Paulo

Data: 10/07/2004
Competição: Campeonato Brasileiro – 1º turno – 14ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 14.698
Renda: R$ 190.015,00
Árbitro: Marcelo Vicentin Cansian (SP)
Cartões amarelos: Bóvio, Robinho (S) Grafite, Lugano, Fabão, Rogério Ceni (SP)
Cartão vermelho: Fabão (SP)
Gols: Danilo (25-1), Deivid (33-1); Ricardinho (46-2).

SANTOS
Tapia; Paulo César (Flávio), André Luís, Domingos e Léo; Bóvio (Marcinho), Preto Casagrande (Basílio), Ricardinho e Elano; Deivid e Robinho.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Gabriel, Fabão, Lugano e Fábio Santos; Alê (Ramalho), César Sampaio, Renan e Danilo; Vélber (Flávio) e Grafite (Márcio).
Técnico: Cuca


Com gol de Ricardinho, Santos vira contra o São Paulo no final

Em seu primeiro jogo contra o São Paulo desde a tumultuada saída do clube do Morumbi, o meia Ricardinho deu a vitória ao Santos, no clássico deste sábado, na Vila Belmiro, por 2 a 1. O jogador marcou, nos acréscimos, o gol da virada do time da casa.

O Santos, que chegou à sexta vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro, divide a liderança do Campeonato Brasileiro com o Palmeiras –o time do Parque Antarctica joga ainda neste sábado, com o Atlético-PR, em Curitiba.

“Precisávamos vencer e vencemos. Nosso mérito foi termos insistido desde o início. No segundo tempo, foi o jogo de um time só. O São Paulo está de parabéns porque nos marcou muito bem”, afirmou Ricardinho, após o jogo.

O Santos era considerado grande favorito à vitória, já que o São Paulo não contava com seis titulares para o clássico –jogou sem Cicinho, Alexandre e Diego Tardelli, suspensos, Rodrigo, contundido, Luis Fabiano, na seleção brasileira, e Fábio Simplício, que negocia a renovação de seu contrato.

Mesmo com os desfalques, a primeira boa oportunidade de gol foi do São Paulo, aos 12min. César Sampaio dominou no meio-campo e tocou para Gabriel. O lateral-direito cruzou da intermediária e Vélber apareceu livre, antecipando-se à zaga santista para cabecear para fora, à esquerda do gol de Tapia.

O Santos respondeu três minutos depois. Deivid tentou a tabela com Ricardinho, a zaga cortou e Vélber errou a saída. A bola sobrou para Robinho, que chutou de esquerda, para fora, junto à trave direita.

Mesmo sem alguns de seus principais jogadores, o São Paulo equilibrava o jogo e, num deslize da defesa do Santos, conseguiu abrir o placar. Aos 25min, Domingos escorregou ao tentar desarmar Vélber e o meia ficou livre na direita para cruzar. Danilo apareceu livre dentro da área e cabeceou no canto esquerdo, sem chances para o goleiro Tapia.

Dois minutos depois, o time da capital perdeu duas chances para ampliar a vantagem. Gabriel fez boa jogada pela direita e cruzou na área. Grafite subiu sozinho na segunda trave e cabeceou por cima. Em seguida, Fábio Santos invadiu a área pela esquerda e cruzou para Grafite, que tocou novamente de cabeça, para grande defesa de Tapia.

A equipe da casa conseguiu o empate aos 33min. Elano fez grande lançamento para Robinho na direita. O atacante entrou na área e cruzou rasteiro para Deivid, livre na segunda trave, apenas desviar para dentro do gol de Rogério Ceni. No minuto seguinte, Robinho chegou a fazer o segundo, mas a arbitragem anulou por impedimento, inexistente.

Nos últimos minutos do primeiro tempo, o Santos ainda perdeu duas boas oportunidades. Aos 44min, Léo tocou na esquerda para Elano, que tentou o cruzamento mas quase fez o gol. A bola passou por cima de Rogério Ceni e bateu na trave esquerda

Em seguida, Deivid fez grande jogada pela esquerda, deu um belo drible no zagueiro uruguaio Lugano e chutou da entrada da área. Rogério Ceni teve de se esforçar para tirar a bola.

No início da segunda etapa, Vanderlei Luxemburgo deixou o Santos mais ofensivo –tirou o volante Preto Casagrande para colocar o atacante Basílio.

Aos 10min, a alteração quase deu resultado. Basílio dominou no meio, fez boa jogada e tocou para Deivid, que limpou e chutou da entrada da área.

Rogério Ceni ainda chegou a tocar na bola, mas a arbitragem não deu tiro de meta.

No minuto seguinte, o jogo quase se transformou em confusão. Fabão acertou o tornozelo de Basílio, logo após receber o cartão amarelo, e foi expulso.

Enquanto os jogadores do São Paulo discutiam com o juiz Marcelo Vicentin Cansian, a torcida jogou um rojão dentro do campo, que quase atingiu Vélber.

Com a vantagem numérica, o Santos partiu para cima do São Paulo, que conseguia segurar o adversário na defesa. A melhor chance do time da casa depois da expulsão de Fabão veio aos 36min. Ricardinho fez bom lançamento para Marcinho, que dominou e chutou fraco, para boa defesa de Rogério Ceni.

Dois minutos mais tarde, os santistas reclamaram novamente da arbitragem. Basílio recebeu lançamento dentro da área, mas foi seguro e derrubado pelo meia Danilo. Marcelo Cansian não marcou pênalti na jogada.

A vitória veio já nos acréscimos. Marcinho foi derrubado na entrada da área e a cobrança ficou para Ricardinho. Aos 47min, o ex-são-paulino cobrou com perfeição, no ângulo esquerdo, sem chances para Rogério Ceni. Foi o primeiro gol de Ricardinho no Campeonato Brasileiro.