Santos 2 x 1 Corinthians

Data: 28/02/2010, domingo
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 9.029 torcedores
Renda: R$ 595.120,00
Árbitro: José Henrique de Carvalho (SP)
Assistentes: Celso Barbosa de Oliveira (SP) e Giovani Cesar Canzian (SP)
Cartões amarelos: Pará, Paulo Henrique, Neymar, Breitner (S); William, Tcheco, Chicão, Felipe, Elias (C).
Cartões vermelhos: Moacir e Roberto Carlos (C)
Gols: Neymar (33-1), André (14-2) e Dentinho (23-2).

SANTOS
Felipe; Roberto Brum (Madson), Edu Dracena, Durval e Pará (Germano); Arouca, Wesley, Marquinhos (Breitner) e Paulo Henrique; Neymar e André
Técnico: Dorival Júnior

CORINTHIANS
Felipe; Alessandro (Moacir), Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf (Jucilei), Elias, Tcheco e Jorge Henrique; Dentinho (Iarley) e Ronaldo
Técnico: Mano Menezes



Neymar comanda vitória do Santos contra o Corinthians na Vila

Neymar herdou a 7 de Robinho no clássico contra o Corinthians, na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, em partida válida pela 11ª rodada do Campeonato Paulista, e fez a torcida santista não sentir saudades do Rei das pedaladas. O jovem de 18 anos teve ótima atuação, se recuperou de um pênalti perdido marcando o primeiro gol do jogo, e deu a assistência para André marcar o segundo na vitória por 2 a 1 sobre um rival que terminou o confronto com dois jogadores a menos.

O Santos, que já não contava com o algoz do Corinthians, Robinho, perdeu minutos antes da partida outro jogador que possui ótimo retrospecto contra o rival. O lateral-esquerdo Léo, reclamando de dores na panturrilha direita foi vetado. Dorival Júnior colocou Pará em seu lugar. Já o escolhido para substituir o Rei das pedaladas foi Marquinhos. No adversário, a novidade foi a entrada de Dentinho no lugar de Defederico.

O time mandante teve amplo domínio na primeira etapa, bastante nervosa. Logo após a saída de bola, Ronaldo sofreu falta de Paulo Henrique e questionou a arbitragem. Sinal de que o clássico seria quente. Mas nos primeiros minutos Neymar já se tornava o personagem do confronto ao desperdiçar ótima oportunidade na frente de Felipe, e posteriormente um pênalti cometido por Roberto Carlos sobre Marquinhos. O atacante não repetiu a polêmica “paradinha” realizada no clássico contra o São Paulo e Felipe fez a defesa no canto direito.

A joia santista, artilheiro da competição, com oito gols, vai caminhando a passos largos para atingir o moral conquistado por Robinho com a camisa santista. Devido principalmente a sua participação, o líder Santos se tornou a sensação do Paulista, e diferentemente do ano passado encarou o adversário com todos os holofotes voltados para o clube.

Com o resultado, o Santos vai a 28 pontos, e mantém diferença de quatro pontos para o vice-líder da competição, o Santo André. Já o rival deixou o G-4, ao cair para quinta colocação, com 19 pontos.

A joia santista pouco tocou na bola nos minutos seguintes do jogo. Porém, na maioria de suas participações sempre proporcionou perigo ao adversário. O gol marcado aos 33 minutos foi com extrema categoria. Ele recebeu passe de Marquinhos e mesmo de costas para o gol, girou batendo precisamente no canto direito de Felipe.

A assistência de Marquinhos coroava uma bela participação do meia na primeira etapa. Com passes precisos, ele comandava boa parte dos contra-ataques santistas. Arouca, Wesley, Paulo Henrique Ganso e André também contribuíam impondo velocidade ofensiva ao time.

Já a equipe visitante não conseguia criar boas oportunidades. Ronaldo arriscou dois chutes, e ambos foram travados por Durval. A melhor chance corintiana na primeira etapa foi uma bicicleta de Dentinho, que foi defendida por Felipe.

”Precisamos continuar com essa pegada, e ter a consciência de que nada está definido. O panorama pode mudar no segundo tempo” alertou Arouca, no intervalo do jogo.

Mano Menezes realizou uma troca na equipe: Alessandro deu lugar a Moacir. O duelo perdeu em emoção, mas continuou sendo dominado pelo time da Vila. As oportunidades foram poucas, e logo na primeira chance clara, aos 14 minutos, o Santos ampliou o placar. André chegou batendo de primeira uma bola rolada por Neymar na grande área.

O Corinthians deu sinais de reação ao marcar o primeiro gol, aos 23 minutos, com Dentinho aproveitando cruzamento de Ronaldo. Mas as expulsões dos laterais Moacir e Roberto Carlos esfriaram os ânimos da equipe.

Apesar disso, a última grande oportunidade da partida foi corintiana. Tcheco a desperdiçou de forma incrível, após Felipe furar na tentativa de cortar um cruzamento. O meia, livre, mergulhou de cabeça na entrada da pequena área e acertou o travessão.