Santos 3 x 2 Paulista

Data: 04/03/2010, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Dr. Jayme Cintra, em Jundiaí, SP.
Público: 8.033 pagantes
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Herman Brumel Vani
Cartões amarelos: Willian Rocha e Bruno Formigone (P)
Gols: Barboza (02-1) e Wesley (26-1); Ganso (07-2), Julinho (11-2) e Robinho (24-2).

PAULISTA
Vinicius; Lucas, Eli Sabiá, William Rocha e Julinho (Rafael Martinho); Bruno Formigone, Rai, Baiano (Carlão) e Emerson (Marquinhos); Felipe Azevedo e Barboza
Técnico: Wagner Lopes

SANTOS
Felipe; Roberto Brum (Rodrigo Mancha), Edu Dracena, Durval e Léo (Madson); Arouca, Wesley, Marquinhos e Paulo Henrique; Neymar (Robinho) e André
Técnico: Dorival Júnior



Em partida difícil, Robinho desequilibra e Santos bate Paulista

Líder do Paulistão saiu atrás, foi pressionado mas conseguiu a nona vitória seguida no torneio graças ao camisa 7

Em uma partida equilibrada, o Santos conseguiu a sua nona vitória consecutiva no Campeonato Paulista – a décima no total na temporada. Mesmo com dificuldades, o Peixe contou com a atuação decisiva de Robinho, que começou a partida contra o Paulista de Jundiaí, nesta quinta-feira, no Estádio Jayme Cintra, no banco de reservas. O atacante entrou em campo na parte final do jogo e desequilibrou, marcando o gol do triunfo de 3 a 2 sobre o Galo da Japi.

Com mais uma vitória na competição, os santistas seguem líderes absolutos do Paulistão.

O jogo

O Paulista de Jundiaí começou a partida tentando surpreender os visitantes. E com bastante velocidade, principalmente na troca de bolas, conseguiu o seu objetivo para o início do jogo: abrir o placar.

Logo aos dois minutos, após um passe vindo da direita para Felipe Azevedo, a zaga do Santos vacilou e a bola sobrou para Barboza. Com tranquilidade, o avante tocou na saída do goleiro Felipe, inaugurando o marcador para o Galo da Japi.

Animado com a vantagem no placar, o Paulista quase ampliou. Após levantamento da esquerda, novamente Barboza apareceu frente a frente com Felipe, mas acabou errando a bola e desperdiçando a oportunidade de anotar o segundo gol de sua equipe.

Procurando reagir, o Peixe assustou aos 10 minutos. Wesley desceu pela direita, cortou a marcação, só que na hora da finalização, o arremate foi desviado pela zaga jundiaiense, saindo pela linha de fundo. Mas se na primeira Wesley não marcou, na segunda chance, o meia não perdoou. Outra vez em boa jogada pela direita, Wesley recebeu a bola, limpou o zagueiro rival e bateu com perfeição, no canto direito de Vinícius, deixando tudo igual no Jayme Cintra: 1 a 1.

Depois do gol de empate dos santistas, o Paulista ainda teve duas oportunidades para ir ao intervalo em vantagem. Na primeira, aos 37, o lateral direito Lucas soltou a bomba de fora da área e quase surpreendeu Felipe. Na segunda, aos 44, Emerson puxou um rápido contra-ataque e serviu o zagueiro Eli Sabiá. O defensor, ex-Santos, chutou a bola na rede, mas pelo lado de fora, quase marcando o segundo gol dos jundiaienses.

Sem apresentar o futebol de jogos anteriores, o Alvinegro Praiano voltou diferente para o segundo tempo. Com mais consistência em campo, o Santos conseguiu a virada, logo no começo da etapa complementar. Na última de uma sequência de três escanteios, aos sete, Paulo Henrique se antecipou ao arqueiro Vinícius e de cabeça, mandou a bola para o fundo das redes, marcando o segundo gol do time da Vila Belmiro. Este foi o quinto tento de Ganso no Paulistão.

No entanto, quando parecia que o Peixe teria mais tranquilidade para jogar, com a vantagem no marcador, o Galo da Japi não desistiu e foi buscar o empate. Aos 11, depois de uma cobrança de escanteio, a zaga santista afastou parcialmente e, no bate-rebate, a bola sobrou para Julinho empatar o confronto.

Robinho desequilibra – Se a partida estava difícil, com o Paulista em cima dos visitantes e buscando o terceiro gol, o técnico Dorival Júnior resolveu ousar. O treinador sacou o jovem Neymar e promoveu a entrada de Robinho, que começou o duelo no banco de reservas, pois chegou ao Brasil apenas nesta quinta, pela manhã, após participar da vitória da seleção brasileira sobre a Irlanda, por 2 a 0, na última terça, em Londres.

A substituição do artilheiro alvinegro no Estadual deixou alguns torcedores insatisfeitos, mas na prática, a alteração deu resultado. Como Neymar não conseguiu repetir diante do Galo da Japi a exibição de jogos anteriores, coube ao ‘Rei das Pedaladas’ resolver a disputa.

E ele o fez, aos 24 minutos. Robinho recebeu um passe de costas para Willian Rocha, fez o rodopio, gingou duas vezes na frente do defensor e chutou. Antes de entrar, a bola bateu no travessão: 3 a 2 para o Santos em Jundiaí. Este foi o quarto gol do camisa 7 no Campeonato Paulista.

Inspirado, Robinho quase deixou a sua marca mais uma vez. Aos 32, depois de um cruzamento vindo da direita, o atacante tentou completar para o gol, porém, levou azar e a bola acabou explodindo no travessão.

O Peixe ainda teve uma boa chance para balançar as redes rivais com o zagueiro Durval, mas um zagueiro do Galo da Japi evitou o gol. Desta forma, com o ‘Rei das Pedaladas’ segurando o ímpeto adversário, os santistas garantiram mais uma vitória e a liderança isolada do Estadual.