Botafogo-SP 2 x 4 Santos

Data: 25/03/2010, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 16ª rodada
Local: Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, SP.
Público: 11.171 pagantes
Renda: R$ 443.690,00
Árbitro: Edson Reis Pavani Júnior
Auxiliares: Maria Eliza Correia Barbosa e Daniel Paulo Ziolli
Cartões amarelos: Rodrigo Mancha, Edu Dracena (S); Adriano, Augusto Recife, Jonas, Rodrigo Pontes, João Henrique (B).
Gols: Ganso (41-1), Ademir Sopa (44-1, de pênalti); Marquinhos (11-2), Adriano (13-2), Marquinhos (17-2) e Zé Eduardo (44-2).

BOTAFOGO-SP
Wéverton; Jonas, Cleiton, Leandro Amaro e Andrezinho; Augusto Recife, Rodrigo Pontes, Ademir Sopa e João Henrique (Xuxa); William (André Neles) e Adriano (Malaquias)
Técnico: José Galli Neto

SANTOS
Felipe; George Lucas (Roberto Brum), Edu Dracena, Durval e Pará; Rodrigo Mancha, Arouca, Marquinhos (Rodriguinho) e Paulo Henrique; Madson (Zé Eduardo) e André
Técnico: Dorival Júnior



Santos goleia Botafogo-SP e está nas semifinais do Paulistão

Líder do torneio chegou a 38 pontos, após vitória por 4 a 2 em Ribeirão Preto, e se garantiu na fase decisiva com três rodadas de antecedência

Dono de uma grande campanha, o Santos deu nesta quinta-feira, mais uma vez, sinais de que é um fortíssimo candidato ao título paulista deste ano. O time do litoral não se intimidou com o fato de jogar fora de casa, no Estádio Santa Cruz, derrotando o Botafogo-SP, por 4 a 2, e se garantindo, com três rodadas de antecedência, às semifinais do Campeonato Paulista.

Os santistas, com este resultado, se mantiveram na liderança, com 38 pontos ganhos e agora jogam mais três vezes nesta etapa inicial do Paulistão, para confirmar a primeira colocação nesta fase classificatória. Já o time de Ribeirão Preto ocupa a sétima posição, com 25 pontos, e ainda briga por uma vaga às semifinais.

O jogo
O Botafogo-SP começou buscando surpreender o líder Santos. E quase conseguiu, pois com um minuto, Durval dominou errado, Adriano roubou a bola e bateu forte, na saída do Felipe, mas o chute saiu ao lado do gol defendido pelo goleiro santista.

Procurando responder na sequência, o Peixe viu um gol seu ser anulado, aos oito, em lance polêmico. Madson recebeu a bola e bateu na saída do goleiro Wéverton, que fez a defesa parcial e a bola ia em direção ao gol, quando Paulo Henrique completou para o gol, em posição legal. No entanto, a arbitragem entendeu que Ganso estava impedido e anulou o gol.

Aos 28, o Botinha respondeu, com perigo. Willian aproveitou a bola ajeitada por Adriano e quase abriu o placar para os donos da casa. O atacante emendou um chute forte de fora da área e a bola saiu rente a trave direita.

E, depois de algumas boas chances e um gol mal anulado, finalmente o placar foi aberto no Santa Cruz. Aos 41, depois de boa troca de passes, Ganso recebeu de Arouca e bateu, cruzado, sem chances para Wéverton, que ainda tentou evitar o gol, porém, viu a bola balançar as suas redes: 1 a 0 Alvinegro Praiano.

Só que a alegria do Santos durou pouco tempo. Isto porque Edu Dracena cometeu pênalti em Adriano e na cobrança, as 44, Ademir Sopa converteu a infração. Felipe chegou a tocar na bola, entretanto, não o suficiente para evitar o gol do Botafogo-SP.

No segundo tempo, a partida continuou bastante disputada. Tanto que, em menos de dez minutos, três gols aconteceram. Aos 11, Marquinhos aproveitou cruzamento de Madson, marcando o segundo do Peixe. O Botinha empatou logo em seguida, se aproveitando de um vacilo da zaga santista. Adriano, de cabeça, mandou a bola para o fundo das redes.

Só que aos 17, Marquinhos em noite inspirada recolocou os alvinegros na frente. George Lucas cobrou falta com perfeição, na cabeça do meia, que venceu mais uma vez Wéverton, fazendo a alegria da torcida do time da Vila.

Após o terceiro gol, o técnico Dorival Júnior resolveu reforçar a marcação de sua equipe. OI volante Rodriguinho entrou no lugar de Marquinhos e Roberto Brum, também volante de origem, substituiu George Lucas na lateral direita.

Depois disso, tanto Santos quanto a Pantera tiveram gols anulados, corretamente. No entanto, o Peixe ainda encontrou tempo para definir a vitória. Aos 44, Zé Eduardo recebeu, em rápido contra-ataque, driblou duas vezes o seu marcador e bateu de perna esquerda, para o gol, decretando a vitória e a classificação do Alvinegro Praiano para as semifinais do Estadual.