Santos 2 x 2 Atlético-PR

Data: 08/09/2002, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 8ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 14.227
Renda: R$ 132.725,00
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Cartões amarelos: Alex, Alberto, Renato, Paulo Almeida, Adiel, Maurinho (S); Cocito, Alex Mineiro, Kleberson e Alessandro (A).
Cartões vermelhos: Pereira (S) e Douglas Silva (A).
Gols: Canindé (07-1, contra); William (08-2), Kleberson (24-2) e Alberto (25-2).

SANTOS
Júlio Sérgio; Maurinho, Alex, Pereira e Canindé (Adiel); Paulo Almeida, Renato (Alexandre) e Diego; Robinho, Alberto e Fabiano Souza (William).
Técnico: Emerson Leão

ATLÉTICO-PR
Flávio (Adriano Basso); Alessandro, Rogério Corrêa, Igor e Fabiano; Douglas Silva, Cocito, Adriano e Kleberson; Kléber (Alan) e Alex Mineiro (Dagoberto).
Técnico: Valdir Espinosa


Em grande jogo, Santos e Atlético-PR empatam na Vila Belmiro

Santos e Atlético-PR protagonizaram na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, um dos melhores jogos do Campeonato Brasileiro ao empatarem em 2 a 2. O resultado acabou com o 100% de aproveitamento do time paulista em casa. Antes, vencera quatro jogos (Botafogo, Figueirense, Paraná e Vitória).

Os donos da casa estiveram duas vezes atrás no placar e tiveram a oportunidade de conquistar a vitória, mas o meia Diego desperdiçou um pênalti a três minutos do fim.

O Santos não pôde contar com quatro titulares para a partida e o treinador Emerson Leão precisou modificar bastante a equipe. Alex, Pereira, Canindé e Fabiano Souza entraram nos lugares dos suspensos Ande Luiz, Preto, Léo e Elano.

Com o empate, os paranaenses, que começaram a rodada em primeiro lugar no Nacional, chegaram aos 17 pontos, um a menos que o Atlético-MG, e dois de diferença para o líder Juventude. Os santistas têm agora 14 e permanecem na zona de classificação.

O jogo

O Atlético-PR começou surpreendendo logo aos 7min. Adriano cruzou da esquerda, Canindé tentou dominar a bola no momento em que ela cruzava a área, mas acabou marcando gol contra.

O Santos tentou partir para cima, mas foi prejudicado pelas fracas atuações de Fabiano Souza e Canindé, que perderam a bola em praticamente todos os lances que participaram.

O time alvinegro ficou perdido em campo depois do gol sofrido prematuramente e, nas poucas jogadas que conseguia criar, era parado por constantes faltas do time paranaense.

Em uma delas, aos 22min, o volante Douglas Silva fez falta violenta em Maurinho e, como já havia recebido o cartão amarelo anteriormente, foi expulso pelo árbitro Alicio Pena Júnior.

Com um jogador a mais, o Santos voltou a se achar em campo e começou a dominar a partida. Mesmo assim, o time errava sempre o último passe antes da conclusão e não chegava a dar trabalho para o goleiro Flávio.

O Atlético se aproveitava dos espaços cedidos pelo adversário para armar contra-golpes. Aos 30min, o pentacampeão Klébersoncruzou uma bola na cabeça de Kleber, que perdeu um gol feito ao cabecear por cima do gol.

A melhor chance do Santos na primeira etapa aconteceu um minuto depois: Alberto tabelou com Robinho e bateu muito perto da trave esquerda do goleiro Flávio.

Os donos da casa ainda tentaram o empate no restante da primeira etapa, mas o time rubronegro fazia uma marcação implacável e nem parecia estar com um homem a menos em campo.

O Santos voltou do intervalo com uma alteração: o treinador Emerson Leão colocou o atacante William no lugar de Fabiano Souza.

A substituição surtiu efeito e o atacante reserva empatou a partida logo aos 8min: Diego cruzou pela direita e Alberto ajeitou de peito para William bater sem chances para o goleiro.

O Santos cresceu na partida e partiu com tudo para cima do adversário, mas os contra-golpes atleticanos eram muito perigosos e o atacante Kleber quase marcou mais um gol aos 21min.

No lance seguinte, Rogério Corrêa cabeceou, a bola bateu na mão de Alberto dentro da área e o juiz assinalou pênalti. Kleberson cobrou com categoria ecolocou o Atlético novamente na frente.

Mas a festa paranaense durou pouco, já que, no minuto seguinte, o atacante Alberto aproveitou cruzamento da direita e, de cabeça, colocou tudo igual novamente no marcador.

O Atlético quase voltou a içar na frente no placar aos 35min, quando Pereira falhou bisonhamente na frente de Kleber, mas o goleiro Júlio Sérgio fez grande defesa.

No final da partida, o zagueiro Pereira fez falta violenta e acabou recebendo o cartão vermelho. Aos 44min, Robinho sofreu pênali, mas Diego cobrou mal e o goleiro Adriano, que havia entrado no lugar de Flávio, defendeu e garantiu o empate.