Paysandu 2 x 1 Santos

Data: 23/10/2002, quarta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 20ª rodada
Local: Estádio do Mangueirão, em Belém, PA.
Público: 34.023
Renda: N/D
Árbitro: Antonio Pereira da Silva (GO)
Cartões amarelos: Sandro, Márcio e Jóbson (P); Alberto e Robert (S).
Cartão vermelho: Diego (S).
Gols: Zé Augusto (11-1) e Elano (13-1); Vandick (42-2).

SANTOS
Júlio Sérgio; Maurinho (Pereira), Preto, André Luis e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (Wellington) e Robert (Bernardi); Diego e Alberto.
Técnico: Emerson Leão

PAYSANDU
Marcão; Marcos, Gino, Márcio e Souza; Sandro (Vandick), Vânderson, Jóbson e Wélber (Valdomiro); Zé Augusto e Balão (Albertinho)
Técnico: Hélio dos Anjos


Em jogo tumultuado, Santos perde do Paysandu em Belém

Em uma partida que terminou de forma tumultuada, o Paysandu venceu o Santos por 2 a 1, hoje, estádio Mangueirão, em Belém do Pará, pelo Campeonato Brasileiro. Foi a terceira derrota consecutiva do Santos, que tem 32 pontos. O Paysandu, que briga para sair do rebaixamento, tem 22.

A confusão começou aos 42min do segundo tempo, quando Jóbson lançou Vandick, que marcou o segundo gol do Paysandu. Os jogadores reclamaram muito de impedimento -que não existiu- e partiram para cima do auxiliar.

Os policiais correram para protegê-lo. Na confusão, o zagueiro Preto levou uma forte pancada na cabeça, caiu sangrando em campo e precisou ser levado de ambulância para fora do estádio. O técnico Émerson Leão foi atingido por gás de pimenta nos olhos. A partida ficou interrompida por 28 minutos.

O começo do primeiro tempo foi muito movimentado. Logo a 1min, o lateral-esquerdo Léo derrubou Balão dentro da área e o árbitro goiano Antonio Pereira da Silva marcou a penalidade.

Para sorte do Santos, Jóbson cobrou muito fraco, no canto esquerdo de Júlio Sérgio, que defendeu com facilidade.

Apesar da chance desperdiçada, o Paysandu não desanimou e continuou buscando o primeiro gol da partida. Aos 11min, o lateral-direito Marcos cruzou da direita, Júlio Sérgio não conseguiu afastar e a bola sobrou para Zé Augusto, que completou de pé esquerdo com o gol vazio.

Mas o Santos não demorou muito para chegar ao empate. Dois minutos depois, Robert, que substituiu o suspenso Robinho, cruzou na cabeça de Preto, que ajeitou para Elano, completamente livre, tocar de cabeça.

O Paysandu foi perigoso no primeiro tempo, mas os erros de passe impediram a equipe paraense de chegar com mais frequência ao ataque.

Aos 38min, o Santos perdeu Diego. Ele revidou uma entrada de Sandro com um pontapé. O árbitro viu e colocou o meio-campista santista para fora da partida.

Com um jogador a menos, o Santos passou o segundo tempo inteiro se defendendo. O Paysandu, apesar de dominar a partida, errava muito os passes e não conseguia chegar na área do adversário.

Aos 42min, o Paysandu fez o gol que que lhe garantiu os três pontos -e criou todo o tumulto.



Fontes: Folha de São Paulo e Revista Lance.