Coritiba 0 x 4 Santos

Data: 25/10/2003, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 39ª rodada
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba, PR.
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Paulo Ricardo Silva Conceição (RS)
Cartões amarelos: Neném, André Luís (S), Williams, Nivaldo (C)
Gols: Robinho (22-1) Léo (35-1); Robinho (06-2) e André Luís (23-2).

CORITIBA
Fernando; Ceará, Edinho Baiano, Nivaldo e Adriano; Williams, Roberto Brum (Helinho), Jackson e Djames (Souza); Edu Salles (Lima) e Marcel
Técnico: Paulo Bonamigo

SANTOS
Fábio Costa; Neném (Reginaldo Araújo), Pereira, André Luís e Léo; Paulo Almeida (Daniel), Renato, Elano e Diego (Narciso); Robinho e Fabiano
Técnico: Emerson Leão



Santos, inspirado, goleia Coritiba fora de casa por 4 a 0, na volta de Narciso

O Santos parece ter reencontrado o futebol que encantou milhares de torcedores em 2002, quando sagrou-se campeão brasileiro. Com uma bela apresentação na tarde deste sábado, a equipe goleou o Coritiba por 4 a 0 em pleno estádio Couto Pereira.

Foi a segunda goleada consecutiva da equipe santista fora de casa no Campeonato Brasileiro. Na rodada passada, o time bateu o Bahia por 7 a 4 em Salvador. Com o resultado, o Santos chegou aos 73 pontos, se distanciou ainda mais do Coritiba, com 65 pontos na terceira posição, e diminuiu a diferença para três pontos do líder Cruzeiro (o time mineiro ainda jogaria neste sábado à noite, em casa, contra o Figueirense).

Como esperado, o Coritiba tomou a iniciativa da partida. O Santos, por sua vez, mesmo com dificuldades em sair jogando foi para o ataque. As equipes haviam criado poucas chances até o Santos, mais perigoso em suas descidas, abrir o placar com Robinho, aos 22min, aproveitando bobeira do zagueiro Ceará.

O time do litoral paulista continou melhor após o gol e conseguiu ampliar aos 35min, com Léo. Foi quase um replay do primeiro gol, mas desta vez a jogada saiu dos pés de Diego, que deixou o lateral-esquerdo em boas condições de marcar.

No segundo tempo, o Coritiba veio com toda a força para cima dos santistas e por pouco não abriram o placar. Mas o Santos tinha Robinho. O atacante fez uma jogada genial, no primeiro ataque do alvinegro na etapa final , e ampliou para os santistas, marcando um golaço aos 6min. André Luís, de falta, fechou a goleada aos 23min.

Para completar a festa, Narciso, depois de quatro anos afastado dos gramados devido a uma leucemia, entrou no jogo no lugar de Diego, aos 38min.

O jogo

O primeiro lance da partida aconteceu antes do primeiro minuto de jogo. Elano recebeu passe na direita, na entrada da área, dominou e chutou. O goleiro Fernando teve trabalho para defender, mas conseguiu evitar o gol santista ao cair no canto esquerdo e agarrar a bola.

Na sequência, contra-ataque rápido do time paranaense e, após cruzamento da direita, Edu Salles cabeceou com perigo contra a meta de Fábio Costa, assustando o goleiro santista.

O Coritiba apertou, mas as jogadas de ataque não eram aproveitadas. Com isso, quem quase marcou foi o Santos. Aos 12min, Robinho tabelou com Diego na entrada da grande área, pela direita, e arriscou. O chute, entretanto, saiu muito alto.

O Santos era mais perigoso em suas descidas. Aos 22min, Ceará marcou bobeira na esquerda, em seu campo de defesa, e Robinho ficou a bola. O atacante santista invadiu a área e tocou rasteiro, na saída de Fernando: 1 a 0.

Os paranaenses quase chegaram ao empate aos 27min. Djames, sem marcação na grande área, chutou forte, cruzado, e Fábio Costa espalmou para frente. Para sorte dos santistas, ninguém do Coritiba conseguiu aproveitar o rebote.

Aos 33min, após cobrança de falta em dois lances, Neném arriscou de fora da área, pela esquerda, e o goleiro Fernando, com a visão comprometida devido ao grande número de jogadores em sua frente, quase foi surpreendido. A bola passou à sua esquerda, próxima à trave do goleiro paranaense.

O Santos pressionou e chegou ao segundo gol aos 35min. Diego abriu para Léo na esquera. O lateral ganhou na velocidade da marcação, invadiu a área e chutou rasteiro, cruzado, na saída de Fernando: 2 a 0.

A equipe santista ainda teve boa chance de ampliar aos 41min e aos 45mi, em cobranças de falta. Na primeira, Elano chutou forte, da intermediária, por cima do gol. Na segunda, Diego, da entrada da área, pela esquerda, cobrou por cima do travessão.

O jogo começou quente no segundo tempo. Antes do primeiro minuto de jogo, a torcida paranaense pediu pênalti de Léo em cima de Helinho, que havia entrado no lugar de Roberto Brum. O árbitro gaúcho Leonardo Gaciba da Silva mandou o jogo seguir, para indignação dos torcedores coxa-branca.

Aos 2min, Souza, que foi paa o jogo em substituição a Djames, fez boa jogada na entrada da área, pela esquerda, e chutou forte. O lance já estava sendo paralisado devido ao impedimento do ataque do Coritiba.

Os donos da casa continuaram a pressionar. Aos 4min, Marcel chutou de fora da área e a bola passou muito perto do gol santista.

De repente, na primeira vez que o Santos conseguiu encaixar um contra-ataque, Robinho apareceu e fez um golaço, aos 6min. Após receber bola fora da área, pela esquerda, ele ameaçou tocar para Léo, tirou dois marcadores do Coxa da jogada, invadiu a área e, na saída de Fernando, encobriu o goleiro do time paranaense.

O Santos ampliou aos 23min. Andre Luís cobrou falta da entrada da área, a bola desviou na barreira e enganou o goleiro Fernando, entrando no canto esquerdo do goleiro do time coxa-branca. Era o quarto dos santistas.

O Coritiba, por sua vez, não desanimou e partiu para cima tentando diminuir a diferença. Lima, que havia acabado de entrar no lugar de Edu Salles, carregou bola sem marcação na entrada da área e chutou forte. A bola explodiu no travessão de Fábio Costa.

Narciso entrou no lugar de Diego aos 38min e em sua primeira participação, pelo lado direito, chutou a bola na trave. Elano, aos 41min, cobrou falta de longe, a bola desviou na barreira e quase entrou no gol. Seria o quinto gol.

Após cobrança de escanteio na sequência, Robinho chutou cruzado e Narciso, livre na direita, colocou o pé no meio. A bola passou perto do travessão.