São Caetano 3 x 2 Santos

Data: 17/11/2002, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 25ª rodada (última)
Local: Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano, SP.
Público e Renda: não divulgados
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP)
Cartões amarelos: Iriney, Serginho, Capixaba, Alexandre e Claudecir (SC)
Gols: Claudecir (40-1); Capixaba (08-2), Alex (13-2), Claudecir (18-2) e Alberto (43-2).

SÃO CAETANO
Sílvio Luiz; Marlon, Serginho, Dininho e Lúcio; Claudecir, Iriney Magrão e Luiz Carlos Capixaba; Edu Sales e Wágner.
Técnico: Mário Sérgio.

SANTOS
Rafael; Maurinho, André Luís, Alex e Léo; Alexandre, Renato, Elano e Douglas; Diego e Robinho.
Técnico: Emerson Leão.


Santos perde para o São Caetano, é ajudado pelo Gama e fica em 8º

O Santos quase se complicou na rodada final e garantiu a última vaga para as quartas-de-final do Campeonato Brasileiro graças ao rebaixado Gama. A equipe da Baixada perdeu por 3 a 2 para o São Caetano, neste domingo, no ABC, e só não foi eliminada precocemente por causa da derrota do Coritiba para o Gama.

Os santistas terminaram a fase classificatória com 39 pontos, mesma soma do Cruzeiro, que apesar da vitória de 2 a 0 sobre o Goiás, ficou com saldo de gols inferior ao dos paulistas: 1 contra 10. O Vitória, com os 4 a 3 sobre o Palmeiras, ficou com 37.

O Coritiba, se tivesse vencido o Gama, chegaria aos 39 e superaria o Santos no número de vitórias: 12 contra 11. Mas com a surpreendente goleada de 4 a 0 sofrida no Distrito Federal, terminou em décimo lugar.

Nas quartas-de-final o Santos enfrentará o São Paulo, melhor time da primeira fase e que conquistou 52 pontos. O time do Morumbi terá a vantagem de jogar por dois empates e sempre disputará o segundo jogo em casa. O primeiro clássico deverá ser realizado na Vila Belmiro, caso o estádio seja liberado pela CBF.

O São Caetano ficou com a vice-liderança, com 47 pontos, e terá o Fluminense, sétimo colocado, como próximo adversário. O time do ABC jogará o segundo jogo no Anacleto Campanella até as semifinais.

O grande destaque da partida deste domingo foi o volante Claudecir, autor de dois gols. O outro foi feito por Luis Carlos Capixada. O zagueiro Alex e o atacante Alberto, em cobrança de pênalti, marcaram os gols santistas.

O Santos atrasou a partida em cinco minutos, cadenciou o jogo e montou esquema defensivo, mas foi derrotado por 3 a 2 pelo São Caetano, com dois gols do volante artilheiro Claudecir no estádio Anacleto Campanella.

Mesmo caindo duas posições na tabela (da sexta para a oitava), o Santos acabou com a última vaga entre os classificados para as quartas-de-final, quando encara o líder do Brasileiro, o São Paulo.

O atraso da partida foi encarado como normal pelos dois técnicos. “Não atrasamos. Estava quente, tinha gente tomando água, outros rezando, outros ouvindo as últimas instruções no túnel”, justificou Emerson Leão.

Já o treinador do ABC, Mário Sérgio, disse entender o expediente do colega de profissão. “Acho que é o direito do Leão. Ele quer conhecer o resultado dos outros jogos antes que termine essa partida. Nós não precisamos de nada disso”, afirmou o treinador da equipe do ABC.

A partida começou em ritmo lento, com os dois times jogando de forma cadenciada, com passes laterais, balões e muita defesa. O São Caetano, jogando sua invencibilidade em casa (dez vitórias e dois empates), era a equipe que mais se arriscava no ataque.

Foi assim para a equipe aos 3min, em chute de Lúcio, e aos 9min, em voleio de Claudecir. Já o Santos só levou perigo ao gol de Silvio Luiz com duas cabeçadas e um chute de fora da área.

O clima, que começou com sol intenso e 32C, virou aos 33min, com chuva e vento fortes. O gramado molhado aumentou a velocidade e diminuiu o controle de bola. O Santos, com seu estilo estudado, acabou punido.

Aos 41min, o lateral Marlon cruzou da direita para Claudecir, que se antecipou à zaga santista e desviou para marcar seu gol.

No intervalo, os torcedores do Santos (maioria no estádio) brigaram entre si, o técnico santista decidiu pela entrada do atacante Alberto, e os jogadores falavam em pressionar (“Temos que arriscar mais”, afirmou o volante Renatinho; “Vamos pressionar”, disse o lateral Léo).

Mas o que se viu no início da segunda etapa foi o São Caetano dominando a partida. Enquanto a torcida santista pedia em coro a entrada do experiente meia Robert, o time da casa ampliava o placar com gol de Luis Carlos Capixaba, aos 8min.

O Santos diminuiu a diferença três minutos depois, em cobrança de falta de Elano desviada de cabeça pelo zagueiro Alex.

Mas o São Caetano daria nova prova de sua superioridade, com o terceiro gol, aos 16min. Novamente, o volante artilheiro Claudecir marcou. Dessa vez, ele marcou de cabeça após cruzamento.

No final, com o sol de volta ao céu, o Santos voltou a reduzir a vantagem rival, com um gol de pênalti, marcado por Alberto. O time ainda pressionou, mas não conseguiu empatar.

Fontes: Folha de São Paulo e Revista Lance.