Jogos inesquecíveis


Corinthians 2 x 3 Santos

Data: 15/12/2002, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – Final – Jogo de volta
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 74.586 pagantes
Renda: R$ 1.152.809,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Cartões amarelos: Fabinho, Fábio Luciano e Fabrício (C); Maurinho e Fábio Costa (S).
Gols: Robinho (37-1); Deivid (30-2), Anderson (39-2), Elano (43-2) e Léo (47-2).

CORINTHIANS
Doni; Rogério, Fábio Luciano, Ânderson e Kléber; Fabinho (Fabrício), Vampeta e Renato; Deivid, Guilherme (Leandro) e Gil.
Técnico: Carlos Alberto Parreira

SANTOS
Fábio Costa; Maurinho, Alex, André Luís e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano e Diego (Robert/Michel); Robinho e William (Alexandre).
Técnico: Emerson Leão



Santos conquista o Brasileiro e sai da fila de 18 anos

O Brasileiro-2002 coroou neste domingo o time de melhor futebol do campeonato. O Santos bateu novamente o Corinthians em jogo emocionante no Morumbi, por 3 a 2, e conquistou seu primeiro título importante nos últimos 18 anos.

A equipe da Vila Belmiro, campeã paulista de 1984, também não levantava uma taça de âmbito nacional havia 34 anos, desde que venceu o Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1968.

Comandado por Emerson Leão, o time encantou o país com toques rápidos, uma forte marcação, muita garra e a genialidade da dupla teen Diego, 17, e Robinho, 18.

“Fui várias vezes campeão como jogador, até em Mundial. Mas o êxtase da minha carreira foi hoje”, disse Leão.

O Santos, que entrou em campo sem seu maior artilheiro (Alberto com 12 gols estava suspenso), sofreu um baque logo aos 2min de jogo. O meia Diego sentiu distensão muscular na coxa esquerda em seu primeiro lance e deixou o campo.

Entrou Robert, único remanescente da final de 1995, quando perdeu para o Botafogo.

Daí começou a brilhar um coadjuvante que passou a jogar somente nos mata-matas. O goleiro Fábio Costa fez três defesas espetaculares, em cabeçadas à queima-roupa de Guilherme (duas) e Fábio Luciano.

No final do primeiro tempo, ressurgiu outro herói. Robinho recebeu a bola e começou a “dançar” em frente ao lateral Rogério. Tocou na frente e sofreu pênalti, que o próprio atacante cobrou para abrir o placar.

No segundo tempo, o Corinthians virou com Deivid e Ânderson, ambos de cabeça.

Faltando apenas um gol para o título do rival, Robinho voltou a ser o diferencial.

Em dois contra-ataques, definiu a vitória. No primeiro, o atacante driblou Fábio Luciano e tocou para Elano apenas completar para o gol. E, no segundo, tentou passar por Vampeta e Rogério, a bola sobrou para Léo, que passou por um zagueiro e chutou no ângulo.

Feitos

Além do fim do jejum de 18 anos, o Santos de 2002 entrou para a história como o time mais novo a sagrar-se campeão brasileiro, com média de 22 anos e cinco meses.

O meia Diego se tornou o jogador mais novo a levantar o mais prestigiado troféu do país, aos 17 anos, nove meses e 13 dias. Diego “roubou” o título do ex-atacante Careca, que ganhou pela primeira vez o título da competição em 1978 pelo Guarani, aos 17 anos, dez meses e oito dias.

A equipe da Vila Belmiro se tornou o maior carrasco do Corinthians na história. Nunca o time do Parque São Jorge fora derrotado cinco vezes seguidas por um arqui-rival numa mesma temporada.

Emerson Leão se redimiu da passagem frustrada pela seleção brasileira e atingiu sua 100ª vitória em Brasileiros. Também conquistou como técnico (bicampeão) o sucesso que obteve como jogador (tricampeão).

Leão: “Título não poderia ser de outro”

Treinador afirma que sua equipe não se abalou quando o Corinthians fez 2 x 1 na partida deste domingo, no Morumbi.

O técnico do Santos, Emerson Leão, afirmou após a vitória por 3 x 2 que sua equipe – mesmo tendo terminado a fase de classificação do Brasileiro em 8º lugar – mereceu conquistar a competição.

“Jogamos seis vezes e vencemos cinco. O título não poderia ficar com outra equipe”, disse Leão, referindo-se ao desempenho do time no “mata-mata”.

“Sofremos 2 x 1 e não ficamos nervosos. Eles (os jogadores) estão de parabéns. Não mostraram em nenhum momento que estavam abalados. O nosso emocional foi fundamental para passar pelo São Paulo, Grêmio e Corinthians”, comentou.

O treinador considerou fundamental as duas vitórias diante do São Paulo.

“Não ganhamos o título hoje, contra o Corinthians. Tínhamos certeza do título ao passar pelo São Paulo. Para mim, eles ainda são o melhor time do Brasileiro. Por isso, ganhamos muito confiança ao passar por eles”, disse Leão.

Para o comandante santista, o mérito da conquista esteve na simplicidade da equipe. “Apesar de serem jovens, sempre atuaram da mesma maneira”.

Questionado sobre a saída de Diego no início do primeiro tempo, Leão disse que o reserva Robert foi um dos melhores jogadores em campo. “Ele foi sensacional. Sua partida foi irrepreensível”.

Leão também respondeu aos torcedores, que mantinhas as faixas de ponta cabeça nos estádios. “Agora não vai ter mais faixa de cabeça para baixo. Somos um time que representa uma cidade e todos agora estão em festa”, afirmou o treinador, que completou.

“Não vamos comemorar na Avenida Paulista. Vamos para a Vila Belmiro, que é nossa casa”, emendou.

Seleção Brasileira

Emerson Leão também falou sobre uma possível volta ao comando da Seleção Brasileira. “Com ele lá, não voltou nunca mais”, comentou, referindo-se ao presidente Ricardo Teixeira.

Mas Leão foi mais incisivo. Disse que o título deste domingo (15) foi um dos dias mais felizes de sua vida.

“Estou sentindo felicidade ao contrário de quando me deram facada na seleção”, disse, lembrando de quando foi demitido por Teixeira, logo após a Copa das Confederações de 2001.

“As feridas do meu coração vão se fechar com essas crianças do Santos”, falou.

Gil afirma que o Santos mereceu a vitória

O atacante Gil, do Corinthians, acredita que o Santos mereceu a vitória na final do Campeonato Brasileiro. O time santista fez 3 a 2 no rival e conquistou o inédito título.

“(O título) ficou com a equipe que mereceu. Não podemos desmerecer a equipe deles. Ficou com quem mereceu, mas eu queria que o troféu fosse para o Parque São Jorge”, disse.

Segundo o atacante corintiano, o Santos parou o lado esquerdo do Corinthians. “Esse é um mérito que o Santos conseguiu ter. Parou o nosso lado forte e conseguiu o título. Mas temos que sair daqui de cabeça erguida”, afirmou.

Gil lembrou que o Corinthians precisou abrir-se em campo quando vencia por 2 a 1 e acabou sofrendo mais dois gols e perdendo o jogo decisivo.

“Conseguimos fazer os gols, mas depois de um certo momento, a gente se abriu e demos o contra-ataque para o Santos”, disse Gil, autor do cruzamento para Deivid marcar um dos gols corintianos.

O atacante do Corinthians também agradeceu ao apoio da torcida. “A torcida reconhece nosso esforço, nosso trabalho. E nós reconhecemos o apoio deles. A torcida está nos apoiando e precisa nos apoiar agora na Libertadores”, terminou.



Veja abaixo o vídeo do jogo na íntegra:
Crédito: Canal do youtube de wagnermendesjr