Corinthians 1 x 1 Santos

Data: 09/07/2003, quarta-feira, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Árbitro: Sálvio Spindola Fagundes Filho (SP)
Auxiliares: Valter José dos Reis (SP) e Ednílson Corona (SP)
Cartões amarelos: Fabrício, Fábio Luciano, Vinícius, Renato (C); Pereira, Fabiano, Fábio Costa, Elano, Alexandre (S)
Gols: Nenê (13-1) e Leandro Amaral (45-2).

CORINTHIANS
Doni; Rogério, Fábio Luciano, César e Vinícius; Fabinho, Fabrício (Leandro Amaral), Fumagalli e Jorge Wagner (Renato); Liedson e Gil
Técnico: Geninho

SANTOS
Fábio Costa; Elano (Reginaldo Araújo), André Luís, Pereira (Preto) e Léo; Alexandre, Renato, Jerri (Rubens Cardoso) e Fabiano; Ricardo Oliveira e Nenê
Técnico: Émerson Leão



Corinthians empata com o Santos no final e clássico acaba com confusão

No primeiro clássico entre Corinthians e Santos na temporada, a partida acabou empatada por 1 a 1. O time praiano vencia a partida até os 45min do segundo tempo, quando Leandro Amaral fez o gol.

Mesmo com esse vacilo no final, o Santos assumiu provisoriamente a liderança do Campeonato Brasileiro, com 31 pontos. O Corinthians, por sua vez, soma agora 24 pontos e está na oitava colocação.

Além do gol no final, o time de Parque São Jorge conseguiu acabar com uma série de cinco derrotas consecutivas contra os santistas. Todas essas partidas aconteceram no ano passado e duas delas valeram pela decisão do Brasileirão.

No final da partida, o goleiro santista Fábio Costa se desentendeu com o atacante Liedson e gerou uma confusão que durou mais de cinco minutos.

O espetáculo teve um público aquém das expectativas principalmente pelo excesso de desfalques. O Santos não pôde contar com Alex, Diego, Robinho e Paulo Almeida, todos na Seleção Brasileira Sub-23. No Corinthians, Geninho ficou sem Kléber e Pingo, contundidos, além de Ânderson, Moreno e Leandro, suspensos.

O jogo

A grande novidade para o time da Baixada Santista foi o retorno de Elano, que foi improvisado na lateral e criou as jogadas mais perigosas dos primeiros minutos.

Aos 3min, Elano lançou Nenê, que perdeu um gol incrível, mas o lance já estava paralisado porque o atacante estava impedido. Seis minutos mais tarde, ele cobrou escanteio na cabeça de André Luís, que mandou no meio do gol para fácil defesa de Doni.

No melhor lance do time de Parque São Jorge, o atacante Liédson aproveitou um cruzamento do lateral Vinícius e, da pequena área, cabeceou por cima do gol.

Mas o Santos estava melhor e conseguiu abrir o placar aos 13min: o atacante Nenê avançou pela esquerda e bateu cruzado para a bola ainda desviar em Fábio Luciano antes de entrar no cantinho.

Atrás no marcador, o Corinthians partiu para cima do adversário e passou a criar as chances mais perigosas. O goleiro Fábio Costa foi exigido em três lances seguidos e fez grandes defesas. Na mais importante delas, aos 29min, Gil aproveitou um bate-rebate e chutou da entrada da área para Fábio Costa operar um milagre.

O Santos se encolheu bastante e praticamente não teve mais nenhum lance. A única chance aconteceu em um cruzamento de Elano para Ricardo Oliveira acertar a trave, mas o atacante estava em posição irregular.

A última jogada da primeira etapa aconteceu aos 42min, quando o lateral do Corinthians Rogério desperdiçou uma grande oportunidade ao cobrar falta por cima do gol.

Os visitantes voltaram do intervalo com uma alteração do intervalo: o técnico Emerson Leão colocou o zagueiro Preto no lugar de Pereira, que já havia recebido um cartão amarelo no primeiro tempo.

Com o setor defensivo santista mais bem postado, o Santos equilibrou a partida, que ficou sem grandes lances de emoção no início da segunda etapa. Aos 8min, o corintiano Gil subiu mais que a zaga rival e cabeceou para fora depois de cobrança de escanteio.

Elano, que foi uma das principais peças na armação de jogadas, sentiu cansaço depois de 20 dias afastado dos gramados e foi substituído pelo lateral Reginaldo Araújo. Leão aproveitou e, aos 25min, colocou Rubens Cardoso no lugar do meia Jerri, que não esteve bem na partida.

Geninho resolveu colocar o Corinthians no ataque e fez duas alterações, colocando o meia Renato e o atacante Leandro Amaral nos lugares de Jorge Wagner e Fabrício. A torcida não poupou o treinador e o chamou de burro.

Até que, no último minutos, os dois jogadores salvaram seu comandante. Leandro Amaral empatou a partida depois de aproveitar o rebote de Fábio Costa em uma falta cobrada por Renato. Nos acréscimos, uma confusão generalizada tomou conta do gramado e interrompeu a partida por cinco minutos.