Elenco do Campeonato Brasileiro de

Em pé: Luiz Carlos, Fininho (Prep. de goleiros), Mendonça, Camilo, Zé Renato, Serginho Chulapa, Robson Agondi, Paulinho McLaren, Sérgio, França, Biro-Biro, Flavinho, César Sampaio, Axel, Moisés, Pedro Paulo, Nilton e Kazu.
Sentados: Gilmar Popoca, Marcelo Veiga, Índio, Loca, Márcio Rossini, Antonio Pitanga (Prep. físico), Dr. Carlos Braga (médico), Marcelo Teixeira (Diretor de Futebol), Cabralzinho, Pepe (técnico), Francischini (massagista), Édson Ampola, Sérgio Manoel, Derval, Zé Humberto, César Ferreira e Ijuí.

Goleiros:
Sérgio
Nilton
Pizzelli
Robson


Laterais:
Índio
Marcelo Veiga
Flavinho
Biro-Biro


Zagueiros:
Luiz Carlos
Pedro Paulo
Camilo
França
Amaral


Volantes:
César Sampaio
Axel
César Ferreira
Derval
Sérgio Santos
 


Meias:
Edu Marangon
Zé Humberto
Ney Bala
Zé Renato


Atacantes:
Paulinho McLaren
Serginho Chulapa
Almir
Sérgio Manoel
Édson Ampola
Mendonça


Técnico:
Pepe



Santos Futebol Clube

Presidente: Antônio Aguiar Filho – (1990-1991)
Diretor de Futebol: Marcelo Teixeira
Patrocínio: Coca-Cola
Fornecedor: Penalty

Elenco:

G – Ivanílton Sérgio Guedes
G – Nílton Orlando da Costa
G – Marcos Antônio Pizzelli
G – Robson de Oliveira Agondi

LD – Rubens Barbosa de Souza (Índio)
LE – Marcelo Castelo Veiga
LE – Flávio Antunes de Oliveira (Flavinho)
LE – Gilberto Ribeiro de Carvalho (Biro-Biro)

Z – Luiz Carlos Canhizares
Z – Pedro Paulo Veríssimo
Z – Luís Fernando Camilo
Z – João de França Oliveira
Z – Amaral

V – Carlos César Sampaio Campos
V – Axel Rodrigues de Arruda
V – César Ferreira
V – Derval Gomes
V – Sérgio Santos

MA – Carlos Eduardo Marangon (Edu Marangon)
M – José Humberto de Oliveira (Zé Humberto)
M/A – Ney Gonçalves de Souza (Ney Bala)
M – José Renato Santos Lapiechade (Zé Renato)

CA – Paulo César Vieira Rosa (Paulinho McLaren)
CA – Sérgio Bernardino (Serginho Chulapa)
PD – Almir de Souza Fraga
PE – Sérgio Manoel Júnior
PE – Édson Vicente Vieira (Édson Ampola)
CA – Marcos Lopes Mendonça

Outros jogadores: Loca e Claudinei

T – José Macia (Pepe)

Comissão Técnica: Antonio Pitanga (Preparador físico), Fininho (Preparador de goleiros), Francischini (Massagista), Dr. Carlos Braga (Médico).



Quem chegou: Ney Bala (M, São Paulo), Almir (PD, Grêmio), Gilmar (CA, Cruzeiro), Marcos (P, indicado por Ailton Lira), Betão (G, Inter de Lages-SC)

Quem saiu: Kazu (PE, Yomiuri-JP), Gilmar Popoca (M), Márcio Rossini (Z)

Time-base:



Sonhando baixo

Sem investir em grandes jogadores o Peixe busca apenas uma boa colocação

Dizer que o Santos está sem dinheiro para contratar já virou uma triste redundância. O técnico Pepe terá de tirar “leite de peixe” com o limitado elenco alvinegro. Para piorar, perdeu o zagueiro Márcio Rossini, afastado por criticar a diretoria, e o meia Gilmar Popoca, devolvido ao empresário Juan Figger, dono de seu passe. O ponta esquerda Kazu voltou ao Japão antes do término do Campeonato Paulista e assinou com o Yomiuri.

Como há muito tempo o Santos não sabe o que é ter um craque em seu time, contentou-se com as aquisições do meia Ney (ex-São Paulo) e do atacante Gilmar, (ex-Democrata de MG). Sua missão, no entato, será ingrata porque disputará a posição com o oportunista Paulinho e o experiente Serginho Chulapa. Gilmar chega a Vila Belmiro com o aval de quem foi indicado por Carlos Alberto Silva, ex-técnico da Seleção Brasileira.

Com o dinheiro escasso a saída é apostar no grupo de atletas revelados pelo clube. Os meias Axel e Serginho Manoel, que está servindo a seleção brasileira de juniores, são tidos como promessas de um time carente de estrelas. O goleiro Sérgio é a segurança da defesa, embora também esteja insatisfeito com os baixos salários oferecidos pelo clube, que cansou de ganhar dólares nos anos dourados e hoje mal paga os salários em dia.

No meio-campo o destaque é o volante César Sampaio. Cotado no passado para jogar no exterior, Sampaio não conseguiu concretizar o sonho da transferência. A ordem de Pepe agora é esquecer a participação apenas regular no Campeonato Paulista, quando fugiu da repescagem nas últimas rodadas da segunda fase. O pensamento é buscar a reabilitação no Campeonato Brasileiro porque, depois do vice em 1983, o Santos nunca mais conquistou uma posição honrosa na competição.