Santos 1 x 0 Palmeiras

Data: 20/03/1988, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª Fase
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 15.144 pagantes
Renda: Cz$ 5.155.000,00
Árbitro: Ulisses Tavares da Silva Filho
Cartões amarelos: Luisinho e Rodolfo Rodriguez (S); Celso, Toninho Cecílio, Nenê e Célio (P).
Gol: Édson (28-2).

SANTOS
Rodolfo Rodríguez; Ijuí, Nildo, Celso e Luisinho; César Sampaio, Junior e Mendonça; Édson, Soares (Chicão) e Tuíco.
Técnico: Geninho

PALMEIRAS
Zetti; César Pereyra, Toninho Cecílio, Nenê e Carlos Alberto; Célio, Lino e Edu Manga; Tato (Adriano), Bizu e Ditinho Souza.
Técnico: Rubens Minelli



Invicto na Vila, Santos fez barba e cabelo em cima dos palmeirenses

Time não perde há 21 jogos em seu estádio, pouco mais de um ano. A última derrota que sofreu em casa foi no Brasileiro de 1986 contra o Guarani, naquele jogo em que o goleiro Rodolfo Rodríguez foi ao ataque tentar o gol de empate. No Campeonato paulista do ano passado (1987) foram 17 partidas e nenhuma derrota.

“O Santos provou que é um clube local.”, disse Rodolfo Rodríguez, um dos articuladores para que o clássico fosse transferido do Pacaembu para Vila Belmiro. “Aqui na Vila o adversário sabe que quem manda é a gente.”, completou.

O goleiro Zetti foi alvo de ao menos três rojões dentro da sua pequena área. O ponta Tato também foi alvo dos artefatos em uma cobrança de escanteio.

“O torcedor não é civilizado e não trata o jogador como um ser humano. Meu medo não era com contusões no corpo, mas com o ouvido”, disse o goleiro, com receio de ficar surdo.

“Rebeldes santistas” vencem Palmeiras com gol de Édson

O alvinegro, que levou 11 amarelos e 1 vermelho em apenas 4 jogos, arma emboscada para o Palmeiras.

Os pontas Tuíco e Édson fazem a alegria dos santistas

Torcidas brigam após o jogo

Rojões, pedradas e um policial sofreu um tiro na perna.

Fonte: Jornal Folha de SP 21/03 e 20/03