Santos 1 x 3 Palmeiras

Data: 04/10/2009, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 27ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.402 pagantes
Renda: R$ 255.380,00
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (Fifa/SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (FIFA) e Vicente Romano Neto (ambos de SP).
Cartões amarelos: Madson, Kléber Pereira e Neymar (S); Figueroa, Maurício e Willians (P).
Gols: Luizinho (09-2), Diego Souza (19-2), Robert (27-2) e Vagner Love (31-2).

SANTOS
Felipe; George Lucas (Luizinho), Fabão (Astorga), Eli Sabiá e Triguinho; Pará (Felipe Azevedo), Rodrigo Souto, Germano e Madson; Neymar e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

PALMEIRAS
Marcos; Figueroa, Maurício, Danilo e Armero; Edmilson, Souza, Cleiton Xavier e Diego Souza; Obina (Robert) e Vagner Love (Willians).
Técnico: Muricy Ramalho



Diego Souza brilha, Palmeiras vira sobre o Santos e mantém folga no topo

O Palmeiras entrou em campo pressionado por causa da vitória do São Paulo na última quarta-feira. A pressão aumentou aos 9min do segundo tempo, quando Luizinho abriu o placar para o Santos na Vila Belmiro. Até que Diego Souza resolveu brilhar, e o time alviverde virou o clássico para 3 a 1 e manteve a diferença de cinco pontos no topo do Campeonato Brasileiro.

A equipe do técnico Muricy Ramalho soube explorar a deficiência da defesa santista, que logo no começo do duelo, na tarde deste domingo, perdeu Fabão, machucado.

Diego Souza empatou de cabeça, depois fez a jogada do segundo gol para Robert marcar. O último gol foi de Vagner Love.

Assim, o clube de Palestra Itália soma 53 pontos, enquanto o segundo colocado São Paulo tem 48. O Santos é o 13º, com 36.

“Foi uma vitória importante. Para ser campeão tem que ganhar todos os jogos. A rodada nos deixou pressionado, mas fizemos a nossa parte. Mesmo que os outros encostem, o time não pode se abalar”, analisou o capitão Marcos.

O camisa 12 apontou o destaque do confronto. “O Diego Souza é o cara do nosso time e vai fazer falta.” Nesta semana, o meio-campista se apresenta à seleção brasileira e será desfalque contra Avaí e Náutico.

“Saímos na frente do Palmeiras e ainda conseguimos criar algumas jogadas na base da velocidade. Mas graças à qualidade individual do time deles não conseguimos segurar o resultado”, declarou Vanderlei Luxemburgo.

A partida começou movimentada. Com menos de 10 minutos de bola rolando, ocorreram duas oportunidades de gol para cada lado. O time da casa atacou pelos lados do campo, enquanto os visitantes assustaram com dois chutes de longe de Diego Souza.

A partir de então, ambos demonstraram dificuldades na criação. O Santos errava passes quando se aproximava do gol de Marcos, enquanto o Palmeiras procurava explorar os erros da defesa adversária, que eram freqüentes. Mesmo assim, os goleiros foram pouco exigidos.

“Precisamos acertar o último passe para a gente chegar ao gol. Só eu errei dois passes finais”, analisou Madson, na saída para o intervalo.

“O jogo está igual. O Santos fica mais atrás e explora o contra-ataque, e a gente está jogando mais na frente”, opinou o palmeirense Cleiton Xavier.

Ainda no primeiro tempo, Luxemburgo foi obrigado a realizar duas alterações. Fabão e George Lucas acusaram dores musculares e foram substituídos por Astorga e Luizinho.

“Nossa equipe é muito guerreira, e quem entra dá conta do recado. Fico triste pelos companheiros que saíram, e vamos correr mais para conseguir a vitória para eles”, apontou Madson.

O conjunto alvinegro voltou melhor para a etapa final. Depois de Madson desperdiçar duas oportunidades logo no começo, aos 9min Neymar arrancou pelo lado esquerdo do ataque, passou pela marcação e rolou rasteiro para a área. Luizinho apareceu sozinho do outro lado e bateu no canto direito do gol de Marcos.

A resposta palmeirense não demorou. Aos 19min Figueroa lançou na área, ninguém do Santos subiu, Diego Souza cabeceou sozinho e igualou o placar.

A equipe da Baixada Santista continuou no ataque após o empate, porém o trio ofensivo Madson, Neymar e Kléber Pereira pecaram na finalização.

Aos 27min, o time da capital foi mais eficiente. Diego Souza dominou na área, foi para a linha de fundo e bateu cruzado. Robert deu o carrinho no segundo pau e virou.

Quatro minutos depois, o ataque palmeirense aproveitou novamente a fragilidade da retaguarda rival. Cleiton Xavier puxou contragolpe e tocou para Robert. O camisa 20 ganhou de Triguinho e tocou no meio das pernas de Felipe. Vagner Love apareceu e estufou a rede.