Palmeiras 1 x 1 Santos

Data: 28/06/2009, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 8ª rodada
Local: Estádio Parque Antarctica, em São Paulo, SP.
Público: 8.277 pagantes
Renda: R$ 257.931,24
Árbitro: Leonardo Gaciba (RS)
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto e Carlos Augusto Nogueira Junior (ambos de SP).
Cartões amarelos: Wagner Diniz, Fabão e Róbson (S); Wendel e Souza (P).
Gols: Obina (32-1) e Róbson (37-2).

PALMEIRAS
Marcos; Wendel (Ortigoza), Mauricio Ramos, Danilo e Armero; Pierre (Edmilson), Souza, Cleiton Xavier e Diego Souza; Willians (Felipe) e Obina.
Técnico: Jorginho

SANTOS
Douglas; Wagner Diniz, Fabão, Domingos e Pará (Molina); Rodrigo Souto, Roberto Brum, Paulo Henrique Lima (Paulo Henrique Rodrigues) e Madson; Neymar (Róbson) e Kléber Pereira.
Técnico: Vagner Mancini



No 1º jogo sem Luxa, Palmeiras empata clássico com o Santos

O Palmeiras foi formulado neste ano para ter Vanderlei Luxemburgo como o “arquiteto” do time e Keirrison como o “matador”. Os dois, porém, não fazem mais parte dos planos do clube. Do lado santista, Mancini convive com a sombra Muricy. O empate por 1 a 1 neste domingo, no Parque Antarctica, manteve as incertezas das duas equipes no Brasileirão, que estudam mudanças nos comandos técnicos.

O resultado tirou o Palmeiras do G-4. O time está na quinta colocação, com 13 pontos, três a mais que o Santos, décimo na classificação.

Demitido do comando do Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo foi lembrado pela torcida alviverde, que não economizou críticas e ironias em direção ao ex-técnico do clube.

Uma faixa com a inscrição “Planejamento?” foi aberta pelos torcedores no começo do clássico, lembrando uma das metas propaladas por Luxemburgo. Outros torcedores palmeirenses pediam Muricy Ramalho, atualmente desempregado.

A sombra de Muricy também ronda a Vila Belmiro. O Santos completou seu quarto jogo sem vitória. Em campo, a equipe se limitou a defender nos 45 minutos iniciais. Pouco criativo, o time da Vila dava espaços para investidas do Palmeiras. Mesmo demonstrando falta de sintonia ofensivamente, o time alviverde teve maior controle no 1° tempo, atacando o Santos principalmente com Cleiton Xavier, articulador no meio-campo.

Sem Keirrison, em negociação com o Barcelona, o ataque do Palmeiras buscou outra opção na área: Obina, aposta do ex-técnico do clube, Vanderlei Luxemburgo, que bancou sua contratação mesmo sob intensas críticas. E foi Obina quem abriu o marcador. O ex-flamenguista aproveitou sobra de bola dentro da área após chute de Cleiton Xavier e apenas escorou para o gol, aos 32 minutos da etapa inicial.

Em vantagem, o Palmeiras intensificou jogadas na área santista. Obina teve outra oportunidade clara de gol, mas desta vez foi interceptado por Fabão. Já o Santos foi nulo com Kléber Pereira e Neymar.

Envolvidos em confusão no encontro anterior entre as equipes (segundo jogo das semifinais do Paulistão), Diego Souza e Domingos fizeram um duelo à parte neste domingo. A cada jogada em que ambos se encontravam, sobravam contatos ríspidos e intimidações dos dois lados.

O Palmeiras iniciou a 2ª etapa disposto a liquidar a partida. E teve chances para isso. No entanto, o ataque alviverde continuava apresentado falhas na condução da bola. Obina e Willians perderam boas chances, deixando a bola escapar dos pés. Insatisfeito com o rendimento irregular de Willians, o técnico interino Jorginho colocou Felipe no ataque na etapa complementar.

Adormecido durante quase toda a partida, o ataque do Santos acordou somente aos 26 min da etapa final. Róbson, que substituiu Neymar durante o jogo, deu belo voleio em passe de Kléber Pereira, mas Marcos fez defesa espetacular, evitando o gol de empate.

Em situação adversa no marcador, o Santos decidiu se arriscar no ataque. Mancini trocou o lateral Pará por Molina. A estratégia deu maior volume santista no meio-campo, fortalecendo jogadas pela ponta esquerda, com Madson.

A partir dos 30 min do segundo tempo, a situação se inverteu. Desta vez foi o Santos quem pressionava. O Palmeiras se resumia a evitar os ataques alvinegros. A pressão santista surtiu efeito. Dentro da área, Róbson chutou no canto esquerdo de Marcos.

No desespero, o Palmeiras tentou desempatar a partida jogando bolas para a área do Santos, mas sem sucesso.