Pameiras 4 x 2 Santos

Data: 24/07/2008
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio do Parque Antarctica, em São Paulo, SP.
Árbitro: José Henrique de Carvalho (Fifa/SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa/SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)
Cartões amarelos: Valdivia, Maurício, Leandro e Diego Souza; Fabão, Apodi, Kléber Pereira, Marcelo, Maikon Leite, Fabiano e Kléber (S).
Gols: Leandro (13-1), Alex Mineiro (15-1), Leandro (28-1), Kléber Pereira (33-1), Apodi (37-1) e Gladstone (44-1).

PALMEIRAS
Marcos, Maurício (Maicosuel), Jéci, Gladstone; Fabinho Capixaba, Wendel, Jumar, Diego Souza (Lenny) e Leandro; Valdivia e Alex Mineiro.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SANTOS
Felipe, Marcelo, Fabão (Tiago Luís), Fabiano Eller; Apodi, Adriano (Fabiano), Dionísio, Molina (Maikon Leite) e Kléber; Cuevas e Kléber Pereira.
Técnico: Cuca



Em duelo ‘sem defesas’, Palmeiras vence e afunda Santos na crise

Palmeiras e Santos fizeram um clássico de seis gols na noite desta quinta-feira, no estádio do Parque Antarctica, e deixaram evidentes as fragilidades de seus sistemas defensivos. Melhor para o clube alviverde, que venceu por 4 a 2, voltou a figurar no G-4 do Campeonato Brasileiro e aumentou a crise do rival, que segue na penúltima colocação.

Com a vitória por dois gols de diferença, o time da capital iguala os 24 pontos e o saldo de gols do Cruzeiro, porém leva vantagem no número de gols pró e pula da sétima para a quarta colocação, dentro da zona de classificação para a próxima edição da Copa Libertadores da América.

Já o Santos continua com 11 pontos, na vice-lanterna. A diferença para o 16º lugar, posto que escapa do rebaixamento, é de quatro pontos. O técnico Cuca ainda foi expulso por reclamação e segue ameaçado no cargo. Os torcedores palmeirenses não perdoaram e ecoaram o grito: “ão, ão, ão, segunda divisão”.

Todos os gols aconteceram no primeiro tempo: Leandro abriu o placar, Alex Mineiro fez o segundo e Leandro ampliou para 3 a 0; o Santos reagiu com Kléber Pereira e Apodi, mas Gladstone fez 4 a 2. O goleiro Felipe, que ocupa a vaga do lesionado Fábio Costa, falhou nos dois últimos gols do Palmeiras

Apesar do sexto triunfo em casa pelo certame nacional, os jogadores do Palmeiras, principalmente do sistema defensivo, não escaparam de uma bronca do capitão Marcos. “Tomamos cinco ou seis gols desse jeito. A gente treina e chega na hora do jogo toma gol. Com três zagueiros e dois volantes, não pode tomar tanto gol assim”, esbravejou o camisa 12.

O jogo

Logo aos 2min de jogo, um lance polêmico: Leandro cobrou falta na área, Diego Souza desviou de cabeça e a bola foi para o gol, mas o auxiliar Ednilson Corona apontou impedimento de Gladstone, que participou da jogada na pequena área.

Entretanto, o gol irregular já demonstrou a fragilidade da zaga do time da Baixada Santista e o nervosismo de Felipe. Aos 13min, Diego Souza bateu falta com rapidez antes do meio campo e lançou Alex Mineiro. O camisa 9 dominou pelo lado esquerdo e rolou para a área. Sozinho, Leandro tocou na saída de goleiro rival.

Dois minutos depois, Diego Souza recuperou a bola no campo de ataque e viu Alex Mineiro avançar nas costas de Fabiano Eller. O camisa 7 tocou, e o centroavante bateu na saída do goleiro santista para ampliar e anotar o seu nono gol no Nacional.

A melhor chance do Santos aconteceu aos 27min. Em cobrança de falta, Fabão arriscou o chute, Marcos espalmou, mas Fabiano Eller não aproveitou o rebote.

Um minuto depois, Leandro cobrou falta, pelo lado direito, direto para o gol e enganou Felipe, que se adiantou esperando um cruzamento.

Os visitantes esboçaram uma reação. Aos 37min, Fabão recebeu sozinho na área e tocou para o meio. Kléber Pereira finalizou sozinho e marcou seu sétimo gol no campeonato. Sete minutos depois, Molina fez boa jogada e tocou para Apodi nas costas da zaga. O lateral direito bateu forte, no ângulo, e marcou um belo gol.

Porém, aos 44min, mais uma vez o goleiro Felipe vacilou. Ele saiu mal do gol, em nova cobrança de falta de Leandro, e Gladstone desviou de cabeça para o fundo das redes.

A equipe do técnico Cuca voltou melhor para a etapa final, e teve mais posse de bola nos 20 minutos inicias, porém com dificuldades para superar a retranca palmeirense. O comandante santista promoveu duas alterações e deixou sua equipe mais ofensiva: os atacantes Maikon Leite e Tiago Luís entraram nos lugares do meia Molina e do zagueiro Fabão.

Luxemburgo respondeu e sacou o zagueiro Maurício para a entrada do meia-atacante Maicosuel.

As trocas fizeram melhor aos donos da casa, que quase ampliaram o placar com Fabinho Capixaba, mas Felipe fez sua primeira boa defesa no jogo. Do outro lado, o Santos não assustou mais Marcos.