Vídeos: (1) Globo Esporte e (2) Gols do Fantástico

Palmeiras 3 x 3 Santos

Data: 04/02/2007, domingo, 18h10
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 6ª rodada
Local: Estádio do Parque Antarctica, em São Paulo, SP.
Público: 18.676 pagantes
Renda: R$ 314.490,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Cartões amarelos: Dininho (P); Neto e Zé Roberto (S).
Cartão vermelho: Wendel (P).
Gols: Osmar (28-1) e Osmar (39-1); Pedrinho (08-2), Edmundo (24-2, de pênalti), Kléber (33-2) e Jonas (34-2).

PALMEIRAS
Marcos; Dininho, Pierre, Edmílson e Paulo Baier (Marcelo Costa); Francis, Wendel, Edmundo e Michael (Martinez); Cristiano e Osmar (Leandro).
Técnico: Caio Júnior

SANTOS
Fábio Costa; Neto (Rodrigo Tiuí), Antônio Carlos, Adaílton e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto (Rodrigo Tabata), Cléber Santana e Zé Roberto; Pedrinho e Marco Aurélio (Jonas).
Técnico: Vanderlei Luemburgo



Em jogo de 6 gols, Palmeiras e Santos empatam no 1º clássico do Paulista

Numa partida emocionante, marcada por uma grande atuação de Edmundo, pelo oportunismo de Osmar, que fez dois gols, e pela reação do adversário, que chegou a estar perdendo por 3 a 1, Palmeiras e Santos empataram por 3 a 3, neste domingo, no estádio do Parque Antarctica, no primeiro clássico do Campeonato Paulista-2007.

Ao resgatar o empate, o Santos, líder do Estadual com 16 pontos, manteve a invencibilidade na temporada –são seis vitórias, uma pela fase preliminar da Taça Libertadores, e o empate de hoje.

Já o Palmeiras, que vinha de derrota para a Ponte Preta, soma onze pontos.

No Palmeiras, o técnico Caio Júnior cumpriu o que havia prometido e colocou Edmundo no lugar do chileno Valdivia –que está machucado e cumpria suspensão– com a função de organizar o ataque, lançando os atacantes Osmar e Cristiano.

Pelo lado santista, o técnico Vanderlei Luxemburgo armou a equipe no 4-4-2, com Neto atuando no lugar do lateral-direito Pedro, suspenso. No ataque, optou por escalar o ex-palmeirense Pedrinho ao lado de Marcos Aurélio.

E o início da partida foi bastante disputado. Com 1min, Marcos evitou o gol do Santos num chute forte de Maldonado. Aos 6min, o Palmeiras respondeu: o zagueiro Edmílson cobrou falta com violência e acertou o travessão de Fábio Costa.

O Palmeiras, apoiado por sua torcida, tentava chegar ao ataque apostando na velocidade de Cristiano, que falhava nas finalizações. Já o Santos esperava os contra-ataques.

Aos 27min, o time da casa abriu o placar. Michael fez ótima pela esquerda e cruzou para Osmar, que cabeceou sem defesa para Fábio Costa, 1 a 0.

Quatro minutos depois, o Palmeiras ficou perto do segundo gol. Após cruzamento da esquerda, Osmar, novamente de cabeça, ganhou da zaga do Santos, mas Fábio Costa se esticou e evitou o gol.

Aos 39min, não teve jeito para o Santos. Edmundo lançou a bola dentro da área, Antônio Carlos tentou cortar e, no rebote, Osmar bateu sem chances de defesa para o goleiro adversário.

O Palmeiras quase ampliou aos 44min, quando Edmundo, que fez um ótimo primeiro tempo, acertou a trave de Fábio Costa.

Na etapa final, o Santos voltou com uma novidade –o atacante Rodrigo Tiuí no lugar do lateral Neto– e bem mais disposto. Com dois minutos, Cléber Santana cabeceou forte e Marcos defendeu.

Com mais força no ataque, o Santos diminuiu aos 9min. Após cobrança de escanteio e de um desvio, Pedrinho apareceu livre dentro da área e só completou para o gol.

O Santos continuou pressionando o adversário em busca do empate, mas parando nas defesas do goleiro Marcos.

O Palmeiras foi mais eficiente. Aos 24min, Antônio Carlos derrubou Edmundo dentro da área e o árbitro Wilson Luiz Seneme marcou a penalidade. O próprio Edmundo bateu e marcou, deslocando Fábio Costa.

Mas o Santos não desistiu do jogo. Aos 32min, numa cobrança de falta, Kléber diminuiu –a bola tocou na barreira e enganou Marcos.

Apenas dois minutos depois, aconteceu o empate. Após cruzamento da esquerda, Rodrigo Tiuí cabeceou na trave. No rebote, Jonas só precisou empurrar para o gol, 3 a 3.

Para piorar, no lance seguinte, Wendel, que já tinha cartão amarelo, foi expulso. Mas o placar