Vídeos: (1) Melhores momentos e (2) Reportagem TV Tribuna

Corinthians 1 x 1 Santos

Data: 03/05/2009, domingo.
Competição: Campeonato Paulista – Final – Jogo de volta
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 36.860 torcedores
Renda: R$ 1.894.376,00
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP).
Auxiliares: Vicente Romano Neto (SP) e Giovani Cesar Canzian (SP).
Cartões amarelos: Felipe, Elias, Cristian, Dentinho, Douglas (C); Neymar, Fabiano Eller, Roberto Brum, Germano, Domingos 2 (S).
Cartão vermelho: Domingos (S)
Gols: Kléber Pereira (27-1) e André Santos (33-1).

CORINTHIANS
Felipe; Alessandro, William, Diego e André Santos (Wellington Saci); Cristian, Elias e Douglas (Fabinho); Dentinho (Morais), Ronaldo e Jorge Henrique.
Técnico: Mano Menezes

SANTOS
Fábio Costa; Luizinho (Molina), Domingos, Fabiano Eller e Triguinho; Roberto Brum, Germano e Paulo Henrique (Robson); Madson, Neymar (Maikon Leite); Kléber Pereira.
Técnico: Vagner Mancini



Corinthians empata e ganha Paulista invicto após 71 anos

O Corinthians manda em São Paulo outra vez. Uma campanha extremamente regular do clube do Parque São Jorge auxiliada pela presença do atacante Ronaldo em grande fase foi coroada com a conquista do 26º título paulista neste domingo. Diante de um Pacaembu lotado, a equipe de Mano Menezes fez valer a vantagem obtida no primeiro jogo e segurou o empate por 1 a 1 com o Santos com gritos de ‘olé’ da torcida para vencer o Estadual de maneira invicta.

O caminho do Corinthians não foi traçado de maneira perfeita, mas o torcedor pode se orgulhar de ter visto poucos erros da equipe ao longo da competição. O time alvinegro encerrou o torneio com 13 vitórias, dez empates e 83% de aproveitamento na fase decisiva.

“Conquistamos um título invicto em um campeonato tão difícil como o Paulista. Ser campeão era um sonho no começo e, da forma como construímos, deixa o treinador muito feliz. O torcedor também merece demais. Foi muito duro depois de tudo o que passamos na Série B e neste ano, mas merecemos”, comemorou Mano Menezes, que logo em seguida berrou “É campeão!” colado na grade com os torcedores do tobogã.

A conquista foi obtida com tamanha autoridade, que o Corinthians repetiu um feito que não conseguia há mais de 70 anos. Esta foi a quinta vez na história que o time alvinegro venceu o Paulistão de maneira invicta. Todas as outras vezes, no entanto, ocorreram há muito tempo – a última delas foi em 1938.

Antes da partida, a expectativa girava em torno da possibilidade de o Santos conquistar uma virada histórica. Os comandados de Vagner Mancini precisavam triunfar por três gols de diferença e bater uma equipe com média de apenas 0,77 gols sofridos por jogo. Não só isso, como o time da Baixada tinha que superar a massa de torcedores fanáticos e sedentos pelo título corintiano no Pacaembu.

No começo do duelo, o Corinthians se deparou com um Santos ousado e rápido pelas pontas. Ao mesmo tempo, o time anfitrião não ficou recuado, o que deixou o jogo com espaço para ambas as equipes. Mas aos poucos, o clube da Baixada começou a se impor e criar chances claras com boas movimentações de Paulo Henrique e Madson.

Veloz em campo, o Santos se animou com as oportunidades e aumentou a esperança de sua torcida ao balançar a rede aos 27min. Kléber Pereira sofreu pênalti de Felipe e se encarregou da cobrança para marcar em seguida. O gol deixou os ânimos mais exaltados nos dois lados, tanto dos jogadores como dos técnicos, que reclamavam muito com o juiz.

Foi quando o Corinthians, em uma atuação ruim até então, conseguiu empatar. André Santos apareceu de trás como elemento surpresa na esquerda e chutou forte para deixar tudo igual. No fim do primeiro tempo, os visitantes deixaram o gramado reclamando do juiz e da atitude dos rivais, que teriam retardado o jogo de maneira intencional ao pedir a reposição de bolas murchas. “Faltam critérios. Ele [Sálvio Spínola] tem que apitar de uma forma justa”, afirmou Vagner Mancini.

A etapa final começou com o Santos ofensivo outra vez e com quase 60% de domínio da posse de bola. Entretanto, os anfitriões voltaram do intervalo melhor postados na marcação e seguraram os avanços do adversário.

Com o decorrer do tempo, a equipe da Vila Belmiro teve menos força na frente, o que incentivou os contra-ataques do Corinthians. A partir dos 33min, a torcida começou a entoar “É campeão!”. Cinco minutos depois, Domingos foi expulso após falta em Ronaldo, o que apenas deixou os fãs mais extasiados até o apito final, com os gritos de “olé”. Ao Santos, restou lamentar pelo resultado depois da arracanda do time na parte final do Campeonato Paulista.

“Chegamos na decisão com muitas dificuldades para reverter uma auto-estima que estava lá embaixo. Perdemos, mas mostramos para o Brasil inteiro que poderíamos ter vencido a competição”, opinou o técnico Vagner Mancini, contratado no meio do Estadual.