Vídeos: (1) Melhores momentos e (2) Reportagem do Globo Esporte.

Atlético-MG 3 x 2 Santos

Data: 28/04/2010, quarta-feira, 21h50.
Competição: Copa do Brasil – Quartas de final – Jogo de ida
Público: 46.239
Renda: R$ 1.003.470,00
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, MG.
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn (PR) e Bruno Boschillia (PR).
Cartões amarelos: Júnior, Zé Luís (A); Pará, Arouca (S).
Gols: Diego Tardelli (02-1) e Diego Tardelli (40-1) e Robinho (45-1); Diego Tardelli (07-2) e Edu Dracena (37-2).

ATLÉTICO-MG:
Aranha, Carlos Alberto, Werley, Jairo Campos e Júnior; Zé Luis, Fabiano (Renan Oliveira), Correa (Jonílson) e Ricardinho (Leandro); Muriqui e Diego Tardelli.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SANTOS
Felipe; George Lucas (Maranhão), Durval, Edu Dracena e Pará; Arouca, Wesley, Marquinhos (Rodrigo Mancha) e Paulo Henrique Ganso; Robinho e André (Zé Eduardo).
Técnico: Dorival Júnior.



Com três de Tardelli, Atlético-MG vence Santos por vantagem mínima no Mineirão

Graças a Diego Tardelli, o Atlético-MG abriu vantagem no confronto das quartas de final da Copa do Brasil contra o Santos. O atacante marcou os três gols atleticanos na vitória por 3 a 2, no duelo de ida, na noite desta quarta-feira, no Mineirão. Apesar do resultado, a equipe visitante comemorou o fato de ter feito dois gols fora de casa.

No jogo de volta, na próxima quarta-feira, na Vila Belmiro, uma vitória simples deixa o Santos com a vaga à semifinal. O Galo joga pelo empate. Antes disso, no domingo, as duas equipes voltam a campo para o confronto decisivo de seus respectivos campeonatos estaduais.

Com a grande exibição, o nome do jogo mantém vivo o sonho de ser convocado para a Copa do Mundo. No fim do ano passado, Tardelli foi chamado por Dunga para duelos amistosos, e demonstrou fazer parte de uma vasta lista do treinador.

Desde o início, a partida no Mineirão foi disputada em um ritmo frenético, como previsto. Os dois melhores ataques em média de gols da Copa do Brasil demonstraram o ímpeto ofensivo esperado, e o time da casa não demorou a marcar. Logo aos 2 minutos, Carlos Alberto escapou livre pela ala direita e chutou cruzado. A finalização foi fraca, mas no meio do caminho, Diego Tardelli apareceu para desviar para o gol.

O gol em nada abalou os santistas. A equipe tinha dificuldades para superar a defesa adversária, mas conseguia assustar em belas jogadas individuais dos seus jogadores. Em uma delas, aos 9 minutos, Pará cortou o marcador pela esquerda, e bateu cruzado de fora da área. A bola tocou no travessão do goleiro Aranha.

Com bons finalizadores, ambos os times passaram a arriscar chutes de fora da área. O Galo assustou em arremates de Muriqui e Diego Tardelli. Já o alvinegro paulista esteve perto do empate em tentativas de Marquinhos e André.

O esquema 4-4-2 utilizado pelas duas equipes deixou o duelo extremamente movimentando. As jogadas pelas pontas eram constantemente utilizadas. E foi pela ala-esquerda que Júnior iniciou a jogada do segundo gol atleticano. Aos 40 minutos, ele cruzou rasteiro para Diego Tardelli, em posição duvidosa, marcar o segundo aproveitando rebote de Felipe após seu próprio chute.

O Santos ainda ganhou ânimo para descer aos vestiários, pois no minuto final, Robinho descontou. O camisa 7 aproveitou vacilo da defesa adversária, apareceu livre na frente de Aranha, e tocou por cima, na saída do goleiro.

“Esse gol foi extremamente importante. Vamos com moral para o vestiário. Precisamos ter mais atenção na marcação. Com a bola é só continuar com o que fazemos sempre”, disse Robinho no intervalo da partida.

O segundo tempo começou com Joílson no lugar de Correa no time atleticano. Luxemburgo queria reforçar a marcação do time, e dar velocidade ao contra-ataque. A rapidez foi a marca do terceiro gol da equipe. Logo aos 7 minutos, o artilheiro Diego Tardelli entrou em disparada na área, recebeu a bola de Muriqui, e livre, na frente de Felipe, teve tranquilidade para marcar mais um.

Minutos depois, o quarto gol de Diego Tardelli foi corretamente anulado, pois o atacante estava em impedimento. O medo da goleada fez Dorival Júnior modificar seu conceito. Ele recuou o time com as entradas de Maranhão e Rodrigo Mancha, nos lugares de George Lucas e Marquinhos, respectivamente.

Com as alterações, ao menos, o alvinegro passou a levar poucos sustos. Com os treinadores buscando novas alternativas, todas as seis modificações permitidas foram feitas até os 27 minutos.

O recuou excessivo do time atleticano resultou em pressão santista nos minutos finais. Aos 37, Ganso fez boa jogada pela esquerda e cruzou na cabeça de Edu Dracena. O zagueiro marcou o segundo, e o time da Vila comemorou bastante a marcação do tento.

No trecho final da partida, a pressão do mandante seguiu acontecendo. Porém, nenhum lance perigoso foi criado. Final de jogo: 3 a 2 para o Atlético-MG. Graças a Diego Tardelli!.