Atlético-MG 0 x 0 Santos

Data: 30/11/2008, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 37ª rodada (penúltima)
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, MG.
Público: 58.391 pagantes
Renda: R$ 383.212,50
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (Fifa/SC)
Auxiliares: Katiuscia Mayer Berger Mendonça (Fifa/ES) e Carlos Berkenbrock (SC)

ATLÉTICO-MG
Edson, Sheslon, Leandro Almeida, Welton Felipe e Raphael Aguiar; Francis, Márcio Araújo (Beto), Elton e Renan Oliveira; Marques (Pedro Paulo) e Castillo (Petkovic).
Técnico: Marcelo Oliveira

SANTOS
Fábio Costa; Wendel (Pará), Domingos, Fabão e Fábio Santos; Rodrigo Souto, Roberto Brum, Kleber e Molina (Thiago Luís); Robson (Adriano) e Lima.
Técnico: Márcio Fernandes



No Mineirão, Galo e Peixe comemoram o cômodo empate de 0 a 0

Atlético está na Copa Sul-Americana e Peixe quase livra da queda para a Série B

Diante de mais de 58 mil pagantes no Mineirão, Atlético-MG e Santos, sem mostrar um futebol à altura do grande público, não passaram de um empate sem gols neste domingo, na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro 2008. Apesar do resultado ruim em casa, o time mineiro garantiu vaga na Copa Sul-Americana em 2009.

Já a equipe paulista praticamente se livrou do rebaixamento. Apenas uma tragédia fará com que o Santos jogue a Série B em 2009. O time alvinegro teria que perder para o Náutico em casa, o Atlético-PR precisaria vencer o Flamengo em Curitiba, e o Figueirense golear o Internacional para tirar uma diferença de 17 gols saldo.

Com o empate, o Santos permaneceu em 14º lugar e foi a 44 pontos, três a mais que o Figueirense, que é o primeiro da zona de rebaixamento com 41 pontos.

Antes da partida ocorreu um momento de solidariedade. Jogadores de Atlético e Santos entraram em campo exibindo faixa na qual pedem doações às vítimas das chuvas em Santa Catarina

A partida teve um sabor especial para o atacante Marques, de 35 anos. O ídolo atleticano se tornou o jogador que mais vezes (190) vestiu a camisa alvinegra em Campeonato Brasileiro. Ele ultrapassou o ex-lateral-esquerdo Paulo Roberto Prestes, que disputou 189 jogos pela principal competição nacional.

Marques tentou ajudar o Atlético, mas acabou pedindo para sair no segundo tempo e deu lugar ao jovem Pedro Paulo. O experiente atacante disse que faltou iniciativa à equipe mineira, uma vez que atuava diante da torcida.

O jogo

O Atlético começou bem melhor, ameaçando muito mais. O atacante Castillo, em três lances seguidos, assustou a zaga santista: bolas passando próximas à trave, Fábio Costa sendo exigido, bate-rebate na área…

O Santos, mais contido, só se soltou na segunda metade do primeiro tempo. Aos 25 minutos, Kleber foi acionado na esquerda e invadiu a área sem marcação. Mas o chute parou nas mãos do goleiro Edson.

A partir daí, os times passaram a se alternar no ataque. Aos 30, Castillo teve mais uma chance de cabeça. Mas a melhor oportunidade do jogo foi com o santista Lima. Aos 33, o atacante recebeu completamente livre na área atleticana. Mas se enrolou com a bola e a conclusão não saiu das melhores, para sorte de Edson, que dominou o lance.

Antes do intervalo, Fábio Costa ainda precisou trabalhar mais uma vez. Aos 37, Elton, da pequena área, chutou forte para a defesa do goleiro santista.

Após o descanso, as duas equipes pareciam menos afoitas para buscar o gol. Querendo mais atitude, a torcida do Galo, que encheu o Mineirão com mais de 59 mil pessoas, pediu Petkovic e foi logo atendida. O técnico Marcelo Oliveira tirou Castillo para a entrada do sérvio. Do lado paulista, Márcio Fernandes, que já tinha trocado Wendel por Pará, também substituiu Robinho por Adriano.

Apesar das mexidas, as oportunidades de gol foram diminuindo com o passar do tempo. Nem as novas substituições deram muito resultado: entraram Pedro Paulo e Beto no Atlético e Tiago Luís no Santos. O time da casa ainda teve um gol mal anulado. Aos 25 minutos, Renan Oliveira tocou por cobertura, Domingos só tirou a bola depois que ela já tinha cruzado a linha, mas o árbitro errou e assinalou impedimento do atleticano.

Na próxima rodada, o Galo, sem mais pretensões, irá até Porto Alegre enfrentar o Grêmio, que ainda tem chances de título, no estádio Olímpico. Já o Peixe receberá o Náutico, ameaçado pelo rebaixamento, na Vila Belmiro. O Santos não está totalmente livre, mas só cairá se perder para o Timbu, se o Atlético-PR vencer o Flamengo, em Curitiba, e se o Figueirense golear o Internacional, em Florianópolis, precisando ainda descontar uma diferença de 16 gols de saldo dos santistas.