Atlético-MG 2 x 0 Santos

Data: 15/11/1997
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª fase – 1ª rodada – Grupo B
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, MG.
Público: 45.413
Renda: R$ 436.790,00
Árbitro: Carlos Eugênio Símon (RS)
Cartoes amarelos: Ronaldão, Jean e Marcos Assunção (S).
Cartão vermelho: Bruno (36-2, A)
Gols: Jorginho (07-1) e Valdir (06-2, de pênalti).

ATLÉTICO-MG
Taffarel; Bruno, Sandro Blum, Sandro Barbosa e Dedê; Edgar, Doriva, Jorginho e Hernâni (Almir); Marques e Valdir.
Técnico: Émerson Leão

SANTOS
Zetti; Baiano, Jean (Anderson Lima), Ronaldão e Dutra; Narciso, Marcos Assunção (Arinélson), João Santos e Caíco; Caio (Macedo) e Muller.
Vanderlei Luxemburgo



Com um jogador a menos, Atlético-MG bate Santos

Mesmo jogando mais da metade da partida com um jogador a menos, o Atlético-MG bateu ontem à noite o Santos, no Mineirão, por 2 a 0, na rodada de abertura da fase semifinal do Brasileiro-97.

O Santos, que só conseguiu vencer uma partida fora de casa durante a primeira fase (contra o Flamengo), voltou a fracassar longe de seu estádio.

A equipe dirigida por Wanderley Luxemburgo vinha de um retrospecto de derrotas neste Brasileiro para seus três rivais de grupo. Perdera por 2 a 1 para o Atlético-MG, por 5 a 0 para o Palmeiras e por 2 a 0 para o Internacional.

O jogo de ontem começou com o Santos avançando ao ataque, o que possibilitou o contra-ataque rival.

A primeira chance foi atleticana, com o atacante Marques roubando uma bola do lateral santista Baiano e chutando para a defesa do goleiro Zetti.

Três minutos depois, Dedê lançou do meio do campo para Jorginho, na entrada da área santista. O jogador de 32 anos driblou o zagueiro Jean e finalizou no canto direito de Zetti.

Com o gol, a situação se firmou: o Santos atacava em jogadas cadenciadas, e o Atlético-MG contra-atacava em lances rápidos.
O Santos levou perigo ao gol adversário apenas aos 15min, com Caio cabeceando um cruzamento de Dutra -a bola bateu na rede pelo lado de fora do gol.

Passados dois minutos, o Atlético-MG descontou com duas bolas no travessão santista, conclusões de Jorginho e de Edgar.
Aos 35min, o atacante atleticano Valdir avançou pela área santista, mas chutou muito alto.

No minuto seguinte, o lateral-direito atleticano Bruno, que em um lance anterior recebera o cartão amarelo, foi expulso após puxar a camisa de Caio.

Vantagem numérica

Com um jogador a mais do que o rival e Arinelson entrando no lugar de Marcos Assunção, o Santos voltou para o segundo tempo atrás do gol de empate e de uma possível virada no placar do Mineirão.

Mas a equipe que marcou foi o Atlético. Aos 5min, Marques foi lançado e, na área, recebeu falta do lateral Baiano. Valdir cobrou o pênalti no canto direito de Zetti.

Para ter mais opção no ataque diante da boa marcação adversária, o técnico santista, Wanderley Luxemburgo, fez duas substituições simultâneas: Macedo no lugar de Caio e Ânderson no de Jean.

Apesar disso, o Atlético-MG continuava sendo mais eficiente nas ações defensivas. Aos 17min, Zetti fez importante defesa, depois de cobrança de falta de Valdir.

Aos 26min, Valdir foi derrubado por Ronaldão na área santista, mas o juiz Carlos Eugênio Simon não marcou pênalti.

Erros primários

Apesar de contar com uma psicóloga (Suzy Fleury) na sua comissão técnica, o Santos mostrava nervosismo, com passes errados e finalizações precipitadas.

No final, o Santos aumentou a pressão no ataque, mas sem levar nenhum perigo ao gol de Taffarel.

Só aos 43min, o meia Caíco chutou forte de fora da área, mas a bola saiu à direita do gol atleticano.

O técnico da equipe paulista gritou durante todo o segundo tempo, mas, apesar das mudanças táticas, nada surtiu efeito.