Santos 2 x 3 Atlético-MG

Data: 06/08/2008, quarta-feira.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Belmiro da Silva (BA) e Raimundo Carneiro de Oliveira (BA).
Cartões amarelos: Adoniran, Kleber e Apodi (S).
Gols: Kléber Pereira (02-1), Vinícius (28-1, contra), Jael (29-1); Márcio Araújo (05-2) e Raphael Aguiar (29-2).

SANTOS
Douglas; Marcelo (Cuevas), Domingos e Fabiano Eller; Quiñonez, Adoniran (Apodi), Kleber, Paulo Henrique (Hudson) e Michael; Maikon Leite e Kléber Pereira.
Técnico: Cuca

ATLÉTICO-MG
Edson, Mariano, Leandro Almeida, Vinícius e César Prates; Rafael Miranda (Renan), Márcio Araújo, Serginho e Petkovic; Marques (Raphael Aguiar) e Jael.
Técnico: Marcelo Oliveira



Santos sofre virada ante o Atlético-MG, e Cuca pede demissão

O Santos deu sinal de que desataria o nó da corda no pescoço, abriu 2 a 0 no placar, mas permitiu a virada do Atlético-MG em plena Vila Belmiro, 3 a 2, nesta quarta-feira, resultado que agravou a crise do time paulista no Brasileirão. Agora são 14 rodadas seguidas na zona de rebaixamento, na 18ª colocação.

“Não é mole, não. Tem que honrar a camisa do Peixão!”, cobrou a torcida santista, que também não perdoou o técnico Cuca, chamado de burro. Logo em seguida, o treinador informou que não comanda mais o time no Brasileiro ao pedir demissão.

O dirigente Luiz Antonio Ruas Capella afirmou que Márcio Fernandes assume o time da Vila interinamente. A diretoria santista ainda informou que, até agora, não tem um nome em mente.

Revoltados, torcedores tentaram invadir o camarote da diretoria do Santos, intimidando dirigentes alvinegros.

“Não é querer desmerecer o Atlético, mas estávamos com 2 a 0. Temos que ter vergonha na cara”, esbravejou Kléber Pereira.

Já o Atlético-MG alivia sua situação no Nacional, quebra tabu de 12 jogos sem vitória sobre o Santos na Vila (60 anos) e abre seis pontos de vantagem do 17º colocado no torneio.

O placar apontou vitória atleticana por 3 a 2, mas as duas equipes poderiam ter marcado muito mais gols, chances proporcionadas não pela competência dos ataques, mas sobretudo em razão da seqüência de erros defensivos de santistas e atleticanos.

Maior driblador do Brasileirão, Maikon seguiu demonstrando imaturidade nos chutes. O atleta desperdiçou gol incrível aos 27 min da etapa inicial.

Em 28 min, o Santos já abria 2 a 0, com Pereira e Vinícius (contra).

Já o Atlético-MG aproveitou as falhas da defesa santista para assustar Douglas, bastante acionado no 1º tempo, impedindo gol de Petkovic.

Reflexo do desespero das duas equipes na tabela, Santos e Atlético-MG se arriscaram no ataque, abrindo enormes espaços na defesa. Mais consciente em campo, o clube de Minas diminuiu com Jael e chegou ao empate, com Márcio Araújo.

Descontente com o rendimento do Santos após o segundo gol do Atlético-MG, Cuca decidiu modificar o sistema tático. O time, que havia começado sem um lateral-direito de origem, teve Apodi na segunda etapa. Para o ataque, Cuevas foi acionado, substituindo o zagueiro Marcelo.

Sem apresentar qualquer organização tática, o Santos adotou a tática do desespero, ligando a defesa diretamente para o ataque.

Cauteloso, o Atlético-MG saía “na boa” para o ataque. Em mais uma bobeada da defesa, Quiñonez entrega “presente” para Raphael Aguiar, que consegue o inacreditável: fazer o terceiro do Atlético-MG, depois de sair perdendo por 2 a 0. À frente no marcador, o Galo tratou de se resguardar, observando as séries de erros do time santista.

O Santos fecha o 1º turno do Brasileiro contra o Náutico, em Recife, domingo. Já o Atlético-MG recebe o Grêmio, sábado, no Mineirão.