Atlético-PR 3 x 3 Santos

Data: 07/09/2005, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 24ª rodada.
Local: Estádio Arena da Baixada, Kyocera Arena, em Curitiba, PR.
Público: 14.806
Renda: R$ 104.197,00
Árbitro: Djalma José Beltrami Teixeira (RJ)
Auxiliares: Beival do Nascimento Souza (RJ) e João Luiz Ribeiro Magalhães (RJ)
Cartões amarelos: Marcus Vinicius, Jancarlos, Marcão e Douglas (A); Bóvio, Rogério, Zé Elias e Gavião (S).
Gols: Jancarlos (02-1) e Ricardinho (35-1); Ricardinho (12-2), Schumacher (24-2), Ricardinho (35-2) e Ferreira (39-2, de pênalti).

ATLÉTICO-PR
Diego; Jancarlos, Danilo, Paulo André e Marcão; Douglas, Marcos Vinicius, Caetano (Ricardinho) e Ferreira; Finazzi (Schumacher) e Denis Marques (Tiago Almeida).
Técnico: Antonio Lopes

SANTOS
Saulo; Paulo César, Rogério, Luís Alberto e Kléber; Zé Elias, Gavião (Léo Lima), Bóvio e Ricardinho; Giovanni (Wendel) e Geílson (Basílio).
Técnico: Alexandre Gallo



Ricardinho brilha, mas Santos só empata com Atlético-PR

Ameaçado. Assim o Santos termina a rodada em relação à liderança do Campeonato Brasileiro. Na noite desta quarta-feira, a equipe paulista visitou o Atlético-PR na Arena da Baixada, em Curitiba, e chegou a estar na frente do placar duas vezes, mas cedeu a igualdade por 3 a 3 e agora volta com um ponto para a cidade paulista.

Na reedição da dupla Ricardinho e Kleber (contratado na última semana pelo clube da Vila Belmiro), o meia brilhou lembrando os tempos de Corinthians, fez os três gols dos paulistas, mas teve a noite ofuscada pela valentia atleticana.

“É um resultado para lamentarmos, pois tivemos a possibilidade de conseguir o resultado fora de casa e deixamos escapar. Pela primeira vez marquei três gols e estou muito feliz por um lado, mas o mais importante é o coletivo e o coletivo não venceu”, disse Ricardinho.

O pênalti convertido pelo colombiano Ferreira, aos 39min da etapa final, foi o último balde de água fria nos visitantes. Antes, o jovem atacante Schumacher havia empatado a partida por 2 a 2. O lateral-direito Jancarlos inaugurou o marcador ainda no primeiro tempo.

Depois da folga na tabela do Nacional, o time paulista perde o embalo que o conduziu ao topo e pode deixar a liderança da competição nesta quinta-feira, caso o Internacional supere o Flamengo na Ilha do Governador. Com 43 pontos, o Santos segue com 12 vitórias e será passado pelos gaúchos se estes triunfarem. Já o Atlético-PR vai a 30 pontos e permanece em 15º lugar.

Como consolo para o time alvinegro, fica a invencibilidade que agora é de nove jogos na competição nacional. Os comandados de Gallo acumulam cinco vitórias e quatro empates. O último tropeço aconteceu há mais de um mês, quando perdeu para a Ponte Preta por 1 a 0, dia 27 de julho.

Já o Atlético-PR empata pela segunda vez seguida em casa, em circunstâncias parecidas. Na rodada passada, o time de Antonio Lopes esteve perdendo para o Juventude e reagiu no final, assim como diante do Santos.

Na próxima rodada, neste domingo, o Atlético-PR encara o Corinthians no Pacaembu, em São Paulo. No mesmo dia, o Santos recebe o Flamengo na Vila Belmiro.

O jogo

Mal o árbitro Djalma Beltrami autorizou o início da partida, o Atlético-PR já mostrou sua força como anfitrião. Com dois minutos de bola rolando, o lateral Jancarlos cobrou uma falta pelo lado esquerdo, no bico da área, e enganou o goleiro Saulo para colocar os paranaenses em vantagem no marcador.

Com as duas equipes tomando a iniciativa, a partida ficou bastante movimentada e com chances para os dois lados. No Atlético-PR, o avanço dos laterais foi a principal arma, principalmente pela direita, com Jancarlos.

O time paulista também explorou as pontas, mas centralizou mais as jogadas. Geílson tentou dois chutes após passes de Ricardinho e quase empatou em disparo cruzado. Finazzi também assustou a meta adversária, quando, aos 24min, aproveitou bobeira de Rogério e chutou à queima-roupa para boa defesa de Saulo.

Apesar das oportunidades com bola rolando, o time paulista também fez seu gol no primeiro tempo em cobrança de falta. Ricardinho bateu com categoria da entrada da área e viu a bola bater no travessão antes de morrer nas redes do goleiro Diego.

Na etapa final, a partida continuou aberta. E foi o Santos quem aproveitou primeiro as oportunidades que criou. Aos 12min, Kleber e Ricardinho fizeram linda tabela pela esquerda e o meia concluiu com categoria para virar o jogo.

Antonio Lopes, então, mexeu no setor ofensivo do Atlético-PR e viu a alteração dar resultado aos 24min. Marcão driblou Léo Lima e Bóvio na esquerda e cruzou na medida para Schumacher. O garoto se antecipou à marcação e, de bico, empatou novamente o confronto.

As emoções não acabaram por aí. Em noite inspirada, Ricardinho voltou a colocar o Santos em vantagem aos 35min, fazendo outro belo gol de falta. Teimoso e empurrado por sua barulhenta torcida, o Atlético-PR não se entregou e brigou até o final.

O prêmio pela insistência aconteceu aos 39min. O meia Ferreira foi derrubado na área e o árbitro assinalou o pênalti. O próprio colombiano bateu e converteu, para decretar o terceiro empate do jogo e o placar final.

Ricardinho artilheiro

Se não foram suficientes para garantir a vitória do Santos nesta quarta-feira, os três gols marcados diante do Atlético-PR conduziram Ricardinho à artilharia da equipe no Campeonato Brasileiro. Antes empatado com Robinho, agora no Real Madrid, com sete gols, o meia subiu para dez na lista dos goleadores. Feito inédito em sua carreira, os três gols sobre o Atlético-PR encerraram um jejum de quase um mês do meia, que não estufavava as redes adversárias desde o empate com o Botafogo, no dia 14 de agosto.

A força da Arena

Importante na reação do Atlético-PR sobre o Santos, a torcida rubro-negra não pôde comemorar a vitória em casa, mas pelo menos segue sem sentir o sabor de um resultado negativo na Arena nos últimos quatro meses. O último adversário que conseguiu derrubar o time de Antonio Lopes no moderno estádio paranaense foi o Internacional, em 22 de maio, por 3 a 1. Neste período, o Atlético-PR acumula seis vitórias e quatro empates como anfitrião.