Santos 1 x 0 Atlético-PR

Data: 22/07/2009, quarta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 14ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.375 pagantes
Renda: R$ 109.325,00
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (SC)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (Fifa-SC) e Marco Antônio Martins (SC)
Cartões amarelos: Neymar (S); Rhodolfo, Nei, Manuel e Márcio Azevedo (A).
Gol: Neymar (27-2).

SANTOS
Felipe; Luizinho (Pará), Domingos, Fabão e Léo; Roberto Brum (Paulo Henrique), Germano, Rodrigo Souto, Róbson (Neymar) e Madson; Roni.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

ATLÉTICO-PR
Vinícius; Nei (Manuel), Rafael Santos, Rhodolfo e Márcio Azevedo; Valencia, Rafael Miranda, Paulo Baier e Marcinho; Wallyson (Patrick) e Rafael Moura (Jhonatan).
Técnico: Waldemar Lemos



Com gol de Neymar, Santos vence Atlético-PR na reestreia de Luxemburgo

Com um gol de Neymar aos 27 minutos do segundo tempo, o Santos venceu o Atlético-PR por 1 a 0 nesta quarta-feira de noite, na Vila Belmiro, no jogo que marcou a reestreia do técnico Vanderlei Luxemburgo no Santos. O resultado encerra um jejum de três jogos sem vencer dos santistas, que sobem para 17 pontos, em posição intermediária. Já os paranaenses ficaram com 12, dentro da zona do rebaixamento.

O jogo marcou o início da quarta passagem de Luxemburgo no Santos. O treinador, que chegou com a missão de classificar o time para a Libertadores, deixou Paulo Henrique Ganso e Neymar no banco no primeiro tempo, e promoveu as entradas de Róbson e Germano no time. Na frente, Roni ficou com a vaga de Kléber Pereira, afastado por causa de uma lesão no joelho.

O novo comandante também apostou no goleiro Felipe, que foi lançado por ele em sua última passagem, para substituir o ainda machucado Fábio Costa. Com isso, o goleiro Douglas, que chegou ao Santos indicado pelo técnico Emerson Leão, foi sacado.

Do outro lado, o time rubro-negro queria a vitória para se afastar da zona da degola. Vindo de um empate sem gols, em casa, no clássico com o Coritiba, o técnico Waldemar Lemos não pôde contar com o zagueiro Chico, machucado, e o atacante Wesley, que é do Santos e por clausula contratual não pode enfrentar a sua equipe.

O jogo

Mesmo mostrando muita vontade no primeiro tempo, o Santos errou muitos passes e ainda tinha pouca objetividade ofensiva. Enquanto isso, os visitantes, através de Paulo Baier, tentavam se organizar e sair nos contra-ataques, mas também sem levar perigo.

“No momento que o gol sair, o time vai ter mais tranquilidade. O Luxemburgo falou isso. Não podemos nos precipitar e estamos nos precipitando bastante, principalmente no passe e nas bolas longas. Temos que colocar a bola no chão e jogar”, disse o volante Rodrigo Souto, do Santos, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

No intervalo, Luxemburgo promoveu as alterações que já havia realizado no coletivo. Entraram Paulo Henrique e Neymar e saíram Roberto Brum e Germano. As alterações não surtiram tanto efeito, tanto que Luxemburgo tentou Pará no lugar de Luizinho, aos 20 minutos.

O Santos melhorou e passou a pressionar, mas a retranca atleticana impunha dificuldades. Até que aos 27 Neymar tabelou com Roni, recebeu na área e mostrou tranquilidade para driblar o zagueiro e bater no canto para abrir o placar. O time de Luxemburgo então se fechou para garantir os três pontos.