Vasco 1 x 0 Santos

Data: 08/11/2008, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 21.310 pagantes
Renda: R$ 277.790,00
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Altemir Hausmann (Fifa-RS)
Cartões amarelos: Alex Teixeira (V); Kléber Pereira, Rodrigo Souto e Fábio Costa (S).
Gol: Edmundo (27-2)

VASCO
Rafael, Jorge Luiz, Eduardo Luiz e Odvan (Edmundo); Wagner Diniz, Jonílson, Mateus (Leandro Bomfim), Madson e Rodrigo Antônio; Alex Teixeira (André) e Leandro Amaral.
Técnico: Renato Gaúcho

SANTOS
Fábio Costa, Domingos, Fabiano Eller e Adriano; Wendel, Rodrigo Souto, Bida (Uéslei), Molina (Pará) e Kleber; Cuevas (Lima) e Kléber Pereira.
Técnico: Márcio Fernandes



Superior, Vasco bate Santos e deixa a zona de rebaixamento do Brasileiro

A torcida mais uma vez compareceu em peso e o domínio da partida foi completo. Apesar da noite inspirada do goleiro Fábio Costa, o Vasco foi recompensado, quebrou o jejum de quatro partidas sem triunfar em casa e deixou a zona de rebaixamento ao vencer o Santos por 1 a 0, neste sábado, em São Januário, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Edmundo, de pênalti, fez o gol salvador dos mandantes, que falou ao final do encontro.

“Estou cheio de dor mas feliz. Nos últimos jogos, a torcida fez uma festa bonita, mas nos descontrolamos e perdemos ou empatamos. Estamos melhorando a cada jogo. Vamos dormir fora da zona de rebaixamento”, disse.

Antes do final do embate, grande parte dos jogadores do Santos cercaram o árbitro da partida para reclamar do pênalti assinalado em cima do volante Jonílson. “Não adianta falar neste momento, pois posso tomar uma suspensão. Não foi pênalti nunca. Todos viram”, revelou o meia colombiano Molina.

Com o resultado, o time da Colina alcançou os 37 pontos e a 15ª posição. Já o Santos, que ainda não afastou o perigo de rebaixamento e vê mais longe uma vaga na Copa Sul-Americana, é o 13º, com 40. O Gigante da Colina voltará a campo nesta quarta-feira quando enfrentará o Atlético-MG, às 22h (de Brasília), no Mineirão, pela 35ª rodada da competição. Já o Peixe só retornará no dia 16, contra o Internacional, às 19h10, na Vila Belmiro.

Vasco domina primeiro tempo e Fabio Costa brilha

O Vasco iniciou o confronto de forma inteligente e avançou a sua marcação impedindo que o Santos saísse para o jogo. A equipe da casa perdeu grande chance logo aos dois minutos nos pés de Alex Teixeira. Porém, como de costume, uma das zagas mais vazadas da competição seguia falhando e Kléber Pereira acertou a trave inimiga em lance despretensioso.

Porém, o Cruzmaltino mostrava aplicação e explorava os espaços cedidos com os avanços do lateral Kleber. Em uma delas Wagner Diniz deixou Jorge Luiz livre para desperdiçar suas oportunidades. Se o Vasco tentava chegar pela direita, o Santos tentava fazia o mesmo explorando a dobradinha Cuevas-Molina.

Apesar da instabilidade do trio defensivo do Vasco, o Santos não conseguia ameaçar com efetividade o gol defendido por Rafael. Kléber Pereira atuava de forma muito isolada e não tinha grandes chances. Do outro lado, Madson, Wagner Diniz e Matheus se destacavam no primeiro tempo.

Uniformes trocados e gol de Edmundo no segundo tempo

Na volta para a segunda etapa, as duas equipes voltaram com uniformes diferentes a pedido do árbitro. Apesar da mudança nos trajes, o panorama seguiu e o Cruzmaltino era o “senhor do duelo”. Leandro Amaral perdeu duas chances incríveis. Rafael, que era mero espectador do confronto até então, fez bela defesa em cabeçada de Molina aos sete.

A inoperância do time do Santos e a necessidade de um resultado positivo por parte do Cruzmaltino levaram Renato Gaúcho a promover a entrada de Edmundo no lugar de Odvan aos 13 minutos da etapa final. Aos 18, um lance que evidenciou a ansiedade do time da casa. Querendo cobrar rápido um escanteio, Leandro Amaral chutou a bandeirinha.

Contudo, aos 24, o árbitro Elmo Alves Resende Cunha marcou pênalti de Domingos em Jonílson. Edmundo foi para a cobrança e deslocou o inspirado Fábio Costa. Com o revés, o Santos se mandou com tudo para cima do adversário. Lima obrigou Rafael a salvar os mandantes. Aos 40, Kléber Pereira arrematou para o arqueiro cruzmaltino encaixar. Lima novamente assustou aos 48.

A maior aplicação do Vasco lhe rendeu a segunda vitória consecutiva e um pequeno alívio em relação ao rebaixamento. Já ao Santos restava assimilar o tropeço fora de casa e investir suas atenções no confronto diante do Internacional.