Coritiba 0 x 1 Santos

Data: 05/08/2009, quarta-feira, 21h50.
Competição: Campeonato Brasileiro – 16ª rodada
Local: Estádio Olímpico Regional Arnaldo Busatto, em Cascavel, PR.
Público: 17.250 pagantes
Renda: R$ 596.500,00
Árbitro: Sandro Meira Ricci
Auxiliares: Marrubson Melo Freitas e Enio Ferreira de Carvalho
Cartões amarelos: Jaílton, Pedro Ken e Cleiton (C); Róbson (S).
Cartão vermelho: Róbson (S)
Gol: Ganso (20-1).

CORITIBA
Edson Bastos: Márcio Gabriel (Cleiton), Demerson, Dirceu e Carlinhos Paraíba; Pedro Ken, Jaílton, Leandro Donizete e Marcelinho Paraíba (Renatinho); Bruno Batata e Leozinho (Thiago Gentil).
Técnico: René Simões

SANTOS
Felipe; Pará, Eli Sabiá, Fabão e Léo, Rodrigo Mancha, Rodrigo Souto, Paulo Henrique (Wagner Diniz) e Madson (Róbson); Felipe Azevedo (Neymar) e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Com torcida mascarada e gol de Ganso, Santos vence o Coxa

O Santos venceu o Coritiba por 1 a 0 nesta quarta-feira, em Cascavel, no Paraná, e chegou a segunda vitória seguida fora de casa no Campeonato Brasileiro. O time do litoral paulista, que havia folgado no final de semana, vinha de uma vitória por 2 a 1 sobre o Náutico, nos Aflitos. O único gol do jogo foi marcado por Paulo Henrique Ganso, no primeiro tempo.

O resultado coloca os santistas com 23 pontos, na 11ª colocação. Já o Coxa chegou ao sexto jogo sem vencer e ficou com 16 pontos, em 17° lugar, dentro da zona do rebaixamento.

O jogo chegou a correr o risco de não ser realizado, pois um promotor do ministério público pediu o cancelamento da partida, alegando que a concentração de torcedores favoreceria a disseminação do vírus H1N1, que causa a gripe suína.

A juíza da 1ª Vara Cível de Cascavel, Geani Maria Moreski, no entanto, liberou o evento, mas obrigou a distribuição de máscaras respiratórias, sob pena de multa de R$ 300 mil pelo não cumprimento. Nas arquibancadas, que receberam ótimo público, a maioria das pessoas estava com a máscara e, mesmo o jogo sendo no Paraná, a torcida santista era maior.

O jogo não foi disputado no Couto Pereira, pois o Coritiba cumpriu a perda de mando de um jogo por causa de briga entre torcidas no clássico com o Atlético-PR.

O jogo

Mais uma vez Neymar começou no banco de reservas e viu o Santos dominar praticamente toda a primeira etapa. O time paulista mantinha a bola no campo de ataque e era pouco ameaçado.

Aos 20 minutos, Paulo Henrique Ganso pegou rebote na área e só teve o trabalho de tocar para o fundo das redes e abrir o placar. Com o tento marcado, Ganso chegou aos cinco gols e se igualou a Kléber Pereira na artilharia da equipe.

O Santos continuou melhor, mas não conseguiu ampliar a vantagem. A melhor chance de marcar o segundo gol foi quando Madson cruzou, e Kléber Pereira desperdiçou de cabeça.

“Ainda bem que estamos na frente, com um gol meu. Sobrou a bola e empurrei para o gol. Gostaria muito que o Kléber Pereira tivesse feito o dele também e chegado a seis gols”, disse Ganso, em entrevista TV Globo, no intervalo.

Durante o segundo tempo, Neymar e Róbson entraram nos lugares de Felipe Azevedo e Madson, no Santos. Já o Coxa tinha voltado com Cleiton e Thiago Gential nas vagas de Márcio Gabriel e Leozinho. Depois, saiu o apagado Marcelinho Paraíba para a entrada de Renatinho.

O duelo foi mais equilibrado que a primeira etapa, mas com poucas chances para ambos os lados. Aos 40, Róbson foi expulso ao levar o segundo amarelo. Com um jogador a mais, o Coxa tentou pressionar, mas não conseguiu o empate.

No próximo sábado, o Santos recebe o Avaí, na Vila Belmiro, enquanto que o Coritiba joga no domingo, no Couto Pereira, contra o Cruzeiro.