São Paulo 4 x 1 Santos

Data: 04/12/2011, domingo, 17h00
Competição: Campeonato Brasileiro – 38ª rodada (última)
Local: Estádio Romildo Ferreira, em Mogi Mirim, SP.
Público: 4.948 pagantes
Renda: R$ 101.915,00
Árbitro: Rodrigo Braghetto (SP)
Auxiliares: Vicente Romano Neto e Carlos Nogueira Junior (ambos de SP)
Cartões amarelos: Felipe Anderson e Bruno Aguiar (S).
Gols: Luis Fabiano (12-1), Cícero (33-1) e Lucas (38-1); Elano (16-2) e Luis Fabiano (35-2).

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Jean, João Filipe, Rhodolfo e Juan; Wellington, Denílson, Cícero (Ivan Piris) e Lucas (Henrique); Fernandinho (Marlos) e Luis Fabiano.
Técnico: Emerson Leão.

SANTOS
Vladimir; Pará, Bruno Aguiar, Vinícius Simon e Éder Lima; Anderson Carvalho, Ibson, Elano e Felipe Anderson (Breitner); Diogo e Alan Kardec.
Técnico: Tata (interino).



São Paulo goleia reservas do Santos, mas fica fora da Libertadores

Vitória do Internacional no Rio Grande do Sul tira equipe do Morumbi da principal competição continental de 2012

Se aproveitando da fragilidade dos reservas do Santos, o São Paulo fez a sua parte e goleou o rival por 4 a 1, na tarde deste domingo, no Estádio Romildo Ferreira, o Romildão, em Mogi Mirim. Apesar do grande resultado, o time do Morumbi não conseguiu se classificar para a próxima edição da Copa Libertadores da América e terminaram o Nacional em 6º, com 59 pontos. O Santos terminou em 10º.

Os são paulinos conseguiram assistir a dois dos três resultados que precisava. O Figueirense empatou com o Avaí, o Coritiba perdeu para o Atlético-PR, mas o Internacional venceu o Grêmio.

Agora, depois de encerrar a sua participação no Brasileirão, o time de Muricy Ramalho inicia nesta segunda-feira a sua viagem rumo ao Japão, onde irá disputar o Mundial de Clubes da Fifa. Já os comandados de Émerson Leão entram de férias e só voltam a jogar na próxima temporada.

O jogo

Com chances matemáticas de se classificar para a Copa Libertadores da América 2012, o São Paulo começou o jogo pressionando os reservas do Santos e criando boas oportunidades de gol. Logo aos sete minutos, o atacante Luis Fabiano teve uma boa chance de marcar, mas o seu arremate foi bem defendido por Vladimir, que venceu a disputa com Aranha e foi escalado no gol santista neste clássico.

Mas, se na primeira jogada Vladimir levou a melhor sobre o atacante, na segunda, o centroavante não perdoou. Aos 12, Fernandinho cruzou da esquerda para Luis Fabiano que, levou a melhor sobre a zaga e tocou de cabeça no contrapé do goleiro: 1 a 0 para os são-paulinos.

Com o domínio total das ações e com o Santos pouco produzindo no ataque, o São Paulo quase ampliou a sua vantagem aos 26. Denílson lançou Jean, que soltou a bomba e acertou o travessão de Vladimir. Na sobra, a zaga afastou o perigo.

Porém, os santistas não conseguiram resistir por muito mais tempo. Aos 33, Cícero arriscou de fora da área, de pé esquerdo, no ângulo, aumentando a vantagem da equipe do Morumbi.

Com o Santos desnorteado em campo, o São Paulo ainda chegou ao seu terceiro gol antes do intervalo. Lucas, aos 38, fez boa jogada individual e, em outro chute de fora da área, ampliou o placar para o seu time.

Antes do final do primeiro tempo, o São Paulo esteve próximo do quarto gol, com Fernandinho. Aos 40, o atacante levou a melhor sobre Pará e bateu rasteiro, no canto esquerdo de Vladimir. Na volta do intervalo, aos quatro, os são paulinos quase chegaram ao quarto. No entanto, Cícero tentou toque de “letra”, após completar chute de Luis Fabiano, facilitando a defesa de Vladimir.

Mesmo sem muita inspiração, o Santos reagiu e conseguiu descontar. Aos 16, Elano acertou boa cobrança de falta, no meio do gol, superando Rogério Ceni e anotando o primeiro de sua equipe em Mogi Mirim.

Só que o São Paulo continuava melhor e, novamente com Luis Fabiano, aos 35, balançou as redes. O centroavante são-paulino fez bom lance individual e chutou cruzado, sem força, mas Vladimir não conseguiu evitar o quarto gol do adversário.

Depois do segundo gol de Luis Fabiano na partida, o que se viu foi um clássico no qual os dois times somente aguardavam o apito final do árbitro, para encerrarem suas participações no campeonato deste ano.