Oeste 1 x 2 Santos

Data: 07/03/2009, sábado, 19h10.
Competição: Campeonato Paulista – 12ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 21.918 pagantes
Renda: R$ 404.245,00
Árbitro: Marcelo Prieto Alfieri
Auxiliares: Sérvio Antonio Bucioli e Marcio D’Avila Tragante.
Cartões amarelos: Dionísio (O) e Roberto Brum (S).
Gols: Roni (19-2), Madson (44-2) e Dezinho (46-2).

OESTE
Weverton; Dedê, Dezinho, Adriano e Mazinho; Athos (Luizinho), Dionísio, Dias e Vander (Mirandinha); Caíque (Leandro Love) e Nei Paraíba.
Técnico: Luciano Dias

SANTOS
Fábio Costa; Adaílton (Germano), Fabiano Eller e Domingos; Luizinho (Pará), Roberto Brum, Rodrigo Souto, Madson, Molina (Neymar) e Triguinho; Roni.
Técnico: Vagner Mancini



Com Neymar, Santos “acorda” no 2º tempo e derrota o Oeste

Considerada a maior aposta no clube desde Robinho, o jovem Neymar, enfim, fez sua estreia na equipe principal do Santos. Ele não fez o gol da vitória sobre o Oeste por 2 a 1, mas sua entrada “acordou” a equipe da Vila Belmiro e evitou com que os mais de 20 mil torcedores que lotaram o Pacaembu ficassem decepcionados com um tropeço diante de um rival que briga para não ser rebaixado no Campeonato Paulista.

Desta forma, o técnico Vagner Mancini vê sua equipe manter 100% de aproveitamento no Pacaembu –venceu o amistoso contra a Portuguesa Santista e o Botafogo– e se consolidar no G-4 do Paulistão (hoje, atuou como visitante). Chega aos 23 pontos, mesma pontuação do São Paulo, que joga neste domingo diante do Mogi Mirim, e pode embalar na competição. Tem mais dois jogos como mandante (Paulista e Mogi Mirim). Já o Oeste tem apenas 11 pontos.

Mas isso se deve em parte ao “novo Robinho”, como Neymar é chamado. Apenas um dia após assinar um novo contrato com o clube até 2014 (sua multa rescisória é agora de aproximadamente R$ 90 milhões), ele deu uma nova cara a um time apático em campo. “Comecei com o pé direito. Deu tudo certo. Fiquei muito feliz com a minha estreia. Segui o que o professor [Vagner] Mancini pediu. Todos os jogadores me deram apoio e espero poder ajudar da melhor maneira o Santos”, comentou Neymar.

Até sua entrada, aos 14min do segundo tempo, o Santos pouco produziu. Começou num esquema com três zagueiros, mas mudou rapidamente por causa de uma contusão de Adaílton nos primeiros minutos do jogo. Nada disso adiantou para o time de Vagner Mancini. Sua defesa estava confusa e cometia alguns erros de marcação. E pior: o Oeste era mais perigoso. Criava chances e não espaços para os principais “articuladores” santistas, que seriam Molina e o baixinho Madson.

Impaciente, a torcida vaiou, e muito, o elenco santista. “É difícil jogar sozinho. Precisamos adiantar um pouco. Se não arrancar os passes, tenho certeza de que podemos vencer essa partida”, comentou Roni ao Sportv. Mas a conversa de vestiário não surtia resultado. Bastou alguns passes errados para que os torcedores pedissem pela entrada de Neymar.

O técnico Vagner Mancini ouviu o apelo e, aos 14min da etapa final, promoveu a estreia de Neymar. Logo em um de seus primeiros toques na bola, o jovem jogador tentou o cruzamento, mas a bola bateu no travessão e na trave. Foi o suficiente para agitar a torcida. Nesse embalo, chegou ao seu primeiro gol.

Aos 19min, Roni recebeu na entrada da área e bateu forte, sem defesa para Weverton. A partir daí, o Santos mandou na partida. E chegou ao seu segundo gol. Aos 44min, Madson arriscou de longa distância e acertou o ângulo do Weverton. 2 a 0. Nos acréscimos, Dezinho diminuiu para o Oeste, ao receber no meio da zaga santista dentro da área e tocar na saída do goleiro Fábio Costa.