Náutico 1 x 2 Santos

Data: 29/07/2009, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 15ª rodada
Local: Estádio dos Aflitos, no Recife, PE.
Público: 13.515
Renda: R$ 44.610,00
Árbitro: Jaílson Freitas (BA)
Auxiliares: Alexandre de Rocha Matos e Belmiro da Silva (ambos da BA).
Cartões amarelos: Gladstone, Derley e Carlinhos Bala (N); Felipe, Luizinho, Felipe Azevedo, Germano e Rodrigo Souto (S).
Cartão vermelho: Gladstone (N)
Gols: Neymar (22-2), Gilmar (32-2, de pênalti) e Rodrigo Souto (46-2).

NÁUTICO
Glédson; Vágner, Nilson e Gladstone; Galiardo, Johnny (Dudu Araxá) (Beto Costa), Aílton (Asprilla), Derley e A.Santana; Carlinhos Bala e Gilmar.
Técnico: Geninho

SANTOS
Felipe; Pará, Eli Sabiá, Fabão e Léo (Luizinho), Germano, Rodrigo Souto, Róbson (Neymar) e Paulo Henrique (Felipe Azevedo); Kléber Pereira e Madson.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Com um a mais no 2° tempo, Santos vence Náutico nos acréscimos

Com um gol de Rodrigo Souto aos 46 minutos do segundo tempo, o Santos venceu o Náutico por 2 a 1 nesta quarta-feira, nos Aflitos, no Recife. Todos os gols do jogo saíram no segundo tempo, quando o time da casa já estava com dez jogadores, pois Gladstone havia sido expulso nos minutos finais da primeira etapa.

Para o Santos, Neymar saiu do banco para abrir o placar de cabeça. Em cobrança de pênalti cometido pelo goleiro Felipe, Gilmar deixou tudo igual. Até que nos acréscimos Rodrigo Souto marcou de cabeça o gol da vitória alvinegra.

Com esse resultado, o time paulista foi a 20 pontos, em posição intermediária, enquanto que os donos da casa ficaram com 11, em último lugar. Os dois times também seguem com as piores defesas da competição nacional. A dos anfitriões é a mais vazada, com 33 gols, enquanto que a dos alvinegros sofreu 29.

Mesmo com o sistema defensivo vulnerável, o técnico Vanderlei Luxemburgo abdicou do esquema com três volantes e colocou o meia Róbson no lugar do suspenso Roberto Brum. No ataque, Kléber Pereira retornou após mais de dez dias afastado por causa de uma inflamação no joelho. O jogador voltou a desperdiçar boas chances de gol.

Do outro lado, o Náutico vinha de um empate por 3 a 3 no clássico com o Sport. Porém, precisava encerrar um jejum que agora chega a 12 jogos sem vencer. Cinco deles sob o comando do técnico Geninho, que empatou três vezes e perdeu duas.

O jogo

O Santos foi melhor no primeiro tempo e criou as principais chances de gol. Porém, o goleiro Glédson, que há pouco tempo era o terceiro goleiro do Náutico, foi se destacando fazendo boas defesas.

A melhor delas foi aos 25 minutos, em chute cruzado de Kléber Pereira. Aos 45, o zagueiro Gladstone fez falta em Madson, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso.

“O jogo está bom, mesmo com o campo pesado. Agora vamos ter um homem a mais e isso vai facilitar, mas temos que jogar. Temos jogadores velozes na frente e com tranquilidade o gol vai sair”, disse o atacante Kléber Pereira, em entrevista à Rádio Globo, no intervalo.

Os dois técnicos fizeram alterações para a etapa final. No Santos, Luxemburgo sacou o meia Paulo Henrique Ganso e colocou o atacante Felipe Azevedo. Já Geninho recompôs o sistema defensivo, colocando o zagueiro Asprilla na vaga do meia Aílton.

O Santos não conseguia pressionar, e Luxa colocou Neymar no lugar de Róbson, aos 13. Depois de ver Kléber Pereira perder outro gol, Neymar abriu o placar aos 22, ao completar cruzamento de cabeça. Porém, dez minutos depois, Felipe derrubou Gilmar na área. O próprio Gilmar bateu com paradinha e empatou. Quando todos esperavam pelo empate, Rodrigo Souto fez o gol da vitória, aos 46.

No próximo final de semana, o Santos vai folgar, pois o Internacional-RS, que seria seu adversário, excursiona no exterior. Com isso, o time da Vila Belmiro volta a jogar na outra quarta-feira, diante do Coritiba, fora de casa. Já o Timbu enfrenta o Flamengo, no Rio de Janeiro, no próximo domingo.