Guaratinguetá 0 x 1 Santos

Data: 23/03/2008, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 16ª rodada
Local: Estádio Professor Dario Rodrigues Leite, em Guaratinguetá, SP.
Público: 7.957 pagantes
Renda: R$ 206.080,00
Árbitro: Milton Etsuo Ballerini (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Marcelino Tomaz de Brito Neto (SP)
Cartões amarelos: Alex Silva e Michael (G); Rodrigo Souto e Tiago Luis (S)
Cartão vermelho: Jackson (G).
Gol: Marcinho Guerreiro (41-2).

GUARATINGUETÁ
Fábio; Alex Silva, Toninho, Carlinhos e Jefferson (Odair); Ale, Jackson, Magal e Michael; Nenê (Thiago Gomes) e Alessandro (Caiuby).
Técnico: Guilherme Macuglia

SANTOS
Fábio Costa; Adoniran (Mariano Trípodi), Betão, Domingos e Kléber; Rodrigo Souto, Marcinho Guerreiro e Molina; Wesley, Renatinho (Vitor Júnior) e Sebastián Pinto (Tiago Luis).
Técnico: Emerson Leão



Marcinho Guerreiro marca, Santos bate Guará e ainda sonha com G-4

A chuva caiu até metade do 1º tempo, e o gramado enlameado fez de Guaratinguetá x Santos um jogo pegado, de fraco nível técnico. Jogador símbolo do futebol força, Marcinho Guerreiro teve seu “dia de Kléber Pereira” e acabou com o marasmo da partida, fazendo o gol do Santos, que se manteve na briga pelo G-4.

“A gente estava precisando. Tem que chegar lá e bater. O empate não nos interessava. Graças a Deus fui feliz e continuamos na briga”, celebrou Guerreiro, que agora é o vice-artilheiro isolado do Santos, com 3 gols.

Líder do Estadual, o Guará abortou o plano de ficar muito próximo da vaga e viu seus rivais se aproximarem. Seus quatro adversários mais próximos venceram na rodada e colaram na ponta. Já o Santos projeta o clássico contra o Corinthians como decisivo para a chegada às semifinais do Estadual.

Faltam três rodadas para o término da fase. Com 26 pontos, o Santos está quatro pontos atrás do time de Parque São Jorge, 4º colocado.

A ausência de Kléber Pereira foi sentida na partida. Com exceção de Wesley, a dupla Renatinho e Pinto tiveram atuações apáticas. O trio marcou apenas dois gols no torneio, marca inferior à de Marcinho Guerreiro.

Mesmo após cessar o temporal, a etapa inicial reservou poucos lances agudos. O Santos reclamou de um suposto pênalti cometido em Domingos, não assinalado pelo árbitro Milton Ballerine.

Aos 46 min do 1º tempo, o Guará passou a atuar com um atleta a menos em campo. Jackson foi advertido com o segundo amarelo e, consequentemente, foi expulso.

Com o gramado enlameado em boa parte do campo, o duelo continuou fraco mesmo sem chuva. Aos 14 min da etapa complementar foi a vez dos donos da casa reclamarem de pênalti em jogada do meia Michel, barrado por Domingos.

Tendo 10 jogadores durante toda a etapa final, o Guará decidiu se resguardar na defesa, explorando os contra-ataques puxados por Michel. No campo adversário durante quase boa parte dos 45 min finais, o Santos criou boa chance com Molina, que finalizou com perigo, aos 12 min.

Melhor atleta em campo, Wesley criou as principais investidas ofensivas e por pouco não marcou aos 36 min da 2ª etapa. Após drible desconcertante, o camisa 7 chutou, sendo interceptado por Fábio. Aos 40min, Guerreiro fez o gol que manteve o Santos na luta pelo G-4.