Náutico 1 x 0 Santos

Data: 10/08/2008, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro – 19ª rodada
Local: Estádio dos Aflitos, no Recife, PE.
Público: 13.711 pagantes
Renda: R$ 49.810,00
Árbitro: Luiz Antonio Silva Santos (RJ).
Auxiliares: Marcio Marco Aurélio dos Santos Pessanha (RJ) e Ricardo Maurício Ferreira de Almeida (RJ).
Cartões amarelos: Negretti, Piauí, Gilmar e Eduardo (N); Dionísio, Adoniran, Carleto, Douglas, Marcelo, Domingos e Apodí (S).
Gol: Negretti (19-2).

NÁUTICO
Eduardo; Negretti, Vagner e Everaldo; Ruy (Radamés), Ticão, Alceu (Piauí), Fabiano Gadelha (Willian) e Paulo Santos; Gilmar e Felipe.
Técnico: Roberto Fernandes.

SANTOS
Douglas; Marcelo, Domingos, e Fabiano Eller; Fabiano (Apodí), Dionísio, Adoniran, Michael e Carleto (Wesley); Tiago Luis (Lima) e Kléber Pereira.
Técnico: Márcio Fernandes.



Náutico vence e sai da zona de degola; Santos continua calvário

Náutico e Santos fizeram um jogo de ataque contra defesa neste domingo, no estádio dos Aflitos. Enquanto os alvirrubros chegaram inúmeras vezes ao gol de Douglas, o goleiro Eduardo pouco trabalhou na partida. Mesmo assim, os pernambucanos derrotaram os santistas por 1 a 0 e conseguiram deixar a zona de rebaixamento, uma rodada após terem entrado.

As duas equipes começaram se estudando, mas a alvirrubra nitidamente tinha uma postura mais ofensiva, até pelo fato de jogar em casa e de contar com a pressão do seu torcedor nas arquibancadas.

O primeiro lance de perigo veio pelo lado do Náutico. Ruy bateu uma falta na área e Gilmar quase mandou para ao fundo das redes. Felipe pegou o rebote e ainda cruzou de novo, mas ninguém apareceu para tocar na bola e a defesa do Santos isolou.

O Náutico chegou novamente ao gol do Santos, aos 11min de jogo. Em mais um cruzamento, dessa vez de Everaldo, o meia Fabiano Gadelha recebeu livre de marcação e acabou mandando uma bomba, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora.

Um jogo muito truncado e com bastante faltas era visto nos Aflitos. Além disso, o gramado pesado, por conta das fortes chuvas que caíram em Recife durante toda a semana, prejudicava o espetáculo.

Mesmo sem muita objetividade, o Náutico conseguia chegar com mais perigo ao gol do Santos. Fabiano Gadelha fez uma bela jogada pela direita, cruzou rasteiro e novamente nenhum atacante apareceu para empurrar a bola para o fundo das redes.

O primeiro ataque do Santos só aconteceu aos 24min de jogo. O meia Michael mandou uma bomba de longe e a bola passou perto do travessão do goleiro Eduardo, assustando a torcida alvirrubra.

Aos 29min, um lance inusitado. Carleto jogou despretensiosamente para a área do Náutico e o goleiro Eduardo acabou dando um tremendo susto na torcida alvirrubra. A bola vinha fácil, mas o arqueiro acabou não conseguindo encaixar e quase foi o protagonista do que seria o primeiro gol santista. A bola ainda pegou lentamente na trave antes de sair pela linha de fundo.

O Náutico chegou novamente com perigo aos 33min. Gilmar arrancou pela direita, deixou Domingos para trás, mas acabou ficando sem ângulo e chutando para fora. Os alvirrubros ainda chegaram em mais uma oportunidade no primeiro tempo. Fabiano Gadelha cobrou uma falta de longe e o goleiro Douglas encaixou a bola com facilidade.

Os dois times voltaram sem substituições para a segunda etapa, mas a equipe alvirrubra aparentemente veio com mais força e, com apenas 1min, já protagonizou o lance mais perigoso da partida, até aquele momento. Paulo Santos caiu pelo lado esquerdo e cruzou para o atacante Felipe, que sozinho acabou cabeceando para fora. A bola passou perto da trave esquerda do goleiro Douglas.

No lance seguinte, outro lance perigoso do Náutico. Fabiano Gadelha arriscou de fora da área e a bola passou perto mais uma vez da trave esquerda do arqueiro santista.

A torcida alvirrubra se empolgou com esses dois lances e passou a jogar com o time, que começou a descer com muito perigo. Enquanto isso, o Santos adotava uma postura defensiva e via o Náutico tocar a bola tentando entrar na área.

Aos 7min foi a vez do zagueiro Vagner quase marcar. Fabiano Gadelha bateu um escanteio pela direita, o defensor alvirrubro subiu livre de marcação e acabou cabeceando para fora.

O Náutico deu uma esfriada após o bom começo e só foi chegar ao gol do Santos novamente depois de dez minutos. E, como em todos os lances até aquele momento, sem nenhuma competência. Ruy cruzou na área e Negretti, mais uma vez livre de marcação, mandou para fora. No lance seguinte, no entanto, o zagueiro conseguiu tirar o zero do placar.

Após um escanteio muito bem cobrado pelo lateral-direito Ruy, Negretti mandou uma bomba de cabeça no ângulo do goleiro Douglas, que não conseguiu evitar o primeiro gol alvirrubro.

As jogadas aéreas eram realmente o ponto forte do Náutico e o fraco do Santos. O lateral-esquerdo Piauí cobrou escanteio, aos 27min, a bola foi rebatida pela zaga santista e Ruy chegou para concluir. Douglas fez uma bela defesa evitando o que seria o segundo gol do Náutico.

Com a vitória praticamente garantida – pelo fato de o Santos não esboçar nenhuma reação – o Náutico tocava a bola com tranqüilidade e só saia para o ataque quando percebia que tinha espaço.

O primeiro lance de ataque do Santos no segundo tempo só veio aos 44min de jogo. Michael cobrou uma falta e Eduardo efetuou uma bonita defesa. Felipe quase ampliou o placar nos acréscimos, mas a partida acabou mesmo em 1 a 0 para o Náutico.