Goiás 4 x 1 Santos

Data: 20/09/2008, sábado, 18h20.
Competição: Campeonato Brasileiro – 26ª rodada
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia, GO.
Público: 9.469 pagantes
Renda: R$ 150.420,00
Árbitro: Leonardo Gaciba/RS (Fifa)
Auxiliares: Altemir Hausmann/RS (Fifa) e Marcelo Bertanha Barison/RS
Cartões amarelos: Vitor e Henrique (G); Fabiano Eller (S).
Gols: Paulo Baier (01-1), Anderson Gomes (03-1) e Iarley (14-1); Rafael Marques (08-2) e Pará (30-2).

GOIÁS
Harlei;, Ernando, Henrique e Rafael Marques; Vitor (Fábio Bahia), Fahel, Ramalho, Paulo Baier (Fernando) e Júlio César; Anderson Gomes (Lima) e Iarley.
Técnico: Hélio dos Anjos

SANTOS
Douglas; Wendel, Fabão (Pará), Fabiano Eller e Kleber; Rodrigo Souto, Roberto Brum, Bida e Michael (Lima); Cuevas (Wesley) e Kléber Pereira.
Técnico: Márcio Fernandes



Santos é goleado pelo Goiás, melhor do returno, e volta à realidade

A vitória sobre o Fluminense e a conseqüente saída da zona de rebaixamento da Série A mudaram o discurso santista. Os jogadores passaram a vislumbrar uma vaga às competições sul-americanas. Mas bastou um início avassalador do Goiás para que o time da Vila Belmiro voltasse à realidade. Irreconhecível, foi goleado pelo melhor time do returno por 4 a 1, no Serra Dourada, e não conseguiu se desgarrar definitivamente da zona da degola.

Essa era o objetivo santista, que vinha em ascensão no Nacional-08. O time treinado por Márcio Fernandes ainda não havia perdido nesse returno. Eram três vitórias e três empates. Com o fim da invencibilidade no segundo turno, pára nos 29 pontos, apenas três a mais do que o Vasco, o primeiro do grupo dos quatro piores.

Esse reencontro com o fantasma do rebaixamento se deve em grande parte ao fraco desempenho fora de casa, algo que o elenco prometia colocar ponto final nesta rodada. Mas ainda não aconteceu. Com o resultado de hoje, soma apenas uma vitória como visitante (Internacional), quatro empates e oito derrotas.

Já o Goiás, que viu o goleiro Harley atingir a marca de 550 jogos com a camisa do clube, continua embalado. Uma semana após alcançar uma surpreendente vitória diante do líder Grêmio, em pleno Olímpico, “atropelou” o rival paulista. Para se ter idéia, vencia por 3 a 0 com apenas 14min do primeiro tempo.

Desta forma, o elenco goiano reafirma sua posição de melhor time do segundo turno do Nacional. Em sete jogos, venceu cinco, empatou um e sofreu apenas um revés. Assim, sobe para 39 pontos e se aproxima do G-4. No próximo sábado, pega o Vitória, novamente em casa. Um dia depois, o Santos duela diante da ameaçada Portuguesa, na Vila Belmiro.

O jogo

O Goiás esteve irresistível no início. Com apenas 1min, iniciava sua tranqüila vitória. Após belo cruzamento de Júlio César, Paulo Baier, de cabeça, fez o primeiro. O Santos teve pouco tempo para digerir esse tento. Dois minutos mais tarde, Anderson Gomes aproveitou um rápido contra-ataque e tocou na saída de Douglas. 2 a 0.

Após isso, o Santos se mostrou um time nervoso. Sequer acertava passes. Bem marcado, o artilheiro Kléber Pereira quase não tocava na bola. Para piorar, o zagueiro Fabão derrubou Julio César dentro da área. O árbitro Leonardo Gaciba marcou pênalti. Aos 14min, Iarley cobrou e praticamente selou a vitória goiana.

A disparidade entre as duas equipes era grande. O Goiás trocava passes com tranqüilidade. Já o rival era facilmente marcado e demonstrava enormes para chegar ao gol de Harley.

Essa fragilidade ofensiva irritou o técnico Márcio Fernandes, que decidiu mudar a equipe ainda na etapa inicia. Aos 34min, sacou Fabão e colocou Pará. Assim, ficou com apenas um zagueiro –Fabiano Eller– de origem em campo. Rodrigo Souto foi recuado para a posição. Mas não surtiu efeito.

O Goiás continuou mandando no jogo. Não dava espaços para o adversário, principalmente para o atacante Kléber Pereira. Além disso, era eficiente em suas chances. Aos 8min, por exemplo, Rafael Marques completou cruzamento de Vitor e fez o quarto dos donos da casa.

Mesmo em vantagem, continuou pressionando. Não fosse o goleiro Douglas, poderia ter ampliado. O Goiás só deu uma relaxada após metade do segundo tempo. Os santistas aproveitaram e fizeram o gol de honra, com Pará, aos 30min.