Rio Branco 0 x 3 Santos

Data: 08/03/2007, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 12ª rodada
Local: estádio Décio Vitta, em Americana, SP.
Público: 3.307 pagantes
Renda: R$ 62.995,00
Árbitro: Rodrigo Amaral
Auxiliares: Marcelino Tomáz de Brito Neto e Alex Alexandrino
Cartões amarelos: Éder, Adriano Sella e Rossini (RB); Cléber Santana Jonas, e Adriano (S).
Gols: Cléber Santana (45-1); Rodrigo Tabata (22-2) e Rodrigo Tabata (37-2).

RIO BRANCO
Éder; Adriano Sella (Jajá), Paulão, Marcelo Heleno e Vainer; Felipe, Rodrigo Pontes, Leonel e Rafael Chorão (Rodrigo Batata), Rossini e Bachin (Eraldo).
Técnico: Ruy Scarpino

SANTOS
Fábio Costa, Marcelo, Ávalos e Leonardo; Dênis, Cléber Santana (Dionísio), Adriano, Pedrinho (Marcos Aurélio) e Carlinhos; Rodrigo Tabata e Jonas (Rodrigo Tiuí).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Com dois de Tabata, Santos vence Rio Branco e mantém liderança

Mesmo com uma equipe repleta de jogadores reservas, o Santos cumpriu seu papel e manteve a liderança do Campeonato Paulista. Nesta quinta-feira, o time da Baixada superou o Rio Branco por 3 a 0, em Americana, com dois gols de falta do meia Rodrigo Tabata (Cléber Santana marcou o primeiro). De quebra, ganhou motivação para o clássico contra o São Paulo do próximo domingo.

“Nunca tinha marcado dois de falta em um só jogo. É uma ocasião muito especial para mim. Foi muito importante manter essa vantagem na reta final do campeonato, pois é um momento de decisão”, comemorou Tabata, que não tinha feito nenhum gol no Estadual até esta noite.

Com o resultado, o Santos chegou aos 31 pontos da tabela. Como o São Paulo venceu o Guaratinguetá por 2 a 1, também nesta quinta, o time alvinegro permaneceu com a vantagem de um ponto sobre a equipe do Morumbi. O Rio Branco, por sua vez, fica com os mesmos oito pontos, na vice-lanterna.

Para evitar o desgaste de grande parte dos seus principais jogadores, o técnico Vanderlei Luxemburgo começou a partida com apenas três atletas considerados titulares: o goleiro Fábio Costa, o lateral-direito Dênis e o meia Cléber Santana. Rodrigo Tiuí e Marcos Aurélio também entraram no segundo tempo.

Quando a bola rolou, o Santos tentou imprimir um forte ritmo de jogo, mas encontrou dificuldades para criar chances reais de gol. Aos poucos, o clube anfitrião também subiu ao ataque e arriscou bastante de fora da área, sem sucesso. Com pouca criatividade, o time praiano se aproveitou do pênalti convertido por Cléber Santana, aos 45min, para terminar a primeira metade do duelo na frente do placar.

“A equipe deles estava marcando em cima, o que dificultou para nós. Tomara que, com esse um a zero, nós tenhamos mais tranqüilidade para tocar a bola e marcar mais gols”, disse Santana no intervalo. Com o lance, ele se tornou o vice-artilheiro isolado do Estadual, após ter marcado nove vezes, uma a menos que o atacante Somália do São Caetano.

Na etapa final, a equipe da casa até esboçou uma reação. No entanto, Rodrigo Tabata ampliou para o Santos aos 22min, com belo gol de falta. Depois, o time de Luxemburgo se segurou no campo de defesa e ainda conseguiu ampliar novamente em cobrança de falta do meio-campista, aos 37min.