Santos 2 x 0 Juventus

Data: 11/04/2007, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 19ª rodada (última)
Local: Estádio Martins Pereira, em São José dos Campos, SP.
Público: 9.316 pagantes
Renda: R$ 123.639,00
Árbitro: Roger Arias da Cunha
Auxiliares: Marcos Joel Alves e Caio Mesquita de Almeida.
Cartões amarelos: Adriano (S); Naves e Maxsandro (J).
Gols: Domingos (31-1) e Renatinho (21-2).

SANTOS
Roger; Leonardo, Marcelo e Domingos; Denis, Adriano, Fabinho (Moraes), Dionísio (Carleto) e Vinícius; Jonas (Renatinho) e Rodrigo Tabata.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

JUVENTUS
Deola; Maxsandro, Levi e Gian; Ivan, Almir, Naves, Éder e João Paulo; Rafael Silva (Sérgio Lobo) e Nunes (Beto).
Técnico: Márcio Bittencourt



Com reservas, Santos vence e espera Bragantino

Sem muitas dificuldades e contando com uma equipe recheada de reservas oriundos das categorias de base, o líder Santos bateu o Juventus por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, no estádio Martins Pereira, em São José dos Campos, no encerramento da primeira fase do Campeonato Paulista.

O resultado não alterou em nada a situação das equipes na classificação. Para o Santos, a rodada serviu para definir o seu rival nas semifinais – será o Bragantino que, em casa, derrotou o Barueri por 2 a 1. Por outro lado o Juventus, que havia extinto as possibilidades de jogar a série A-2 em 2008, estacionou nos 20, em 13º.

Com sua meta garantida desde a rodada anterior, quando, na vitória sobre o Noroeste, em Bauru, garantiu o primeiro posto da fase classificatória, o Santos utilizou a partida contra a equipe da Mooca para poupar todos os titulares e dar chance a alguns jovens das categorias de base.

E as mudanças feitas por Vanderlei Luxemburgo surtiram efeito desde a meta. Dono da posição em todos os compromissos do Santos em 2007, o goleiro Fábio Costa foi substituído por Roger. Mas o camisa 12, que fez apenas sua quarta partida com a camisa da equipe da Baixada, não teve pouco trabalho em uma partida considerada “amistosa”.

Logo aos 18min do primeiro tempo, Roger realizou duas boas defesas em seqüência – primeiro, em uma falta cobrada por Éder e, em seguida, na finalização rasteira de Nunes. Dez minutos depois, na principal intervenção da etapa inicial, o goleiro parou o lateral Ivan, que apareceu livre dentro da grande área alvinegra.

Na linha, o Santos trouxe a campo garotos como o zagueiro Marcelo e os meio-campistas Adriano e Fabinho. Ficou a cargo de um atleta mais atuante e “veterano”, entretanto, a criação das principais ações ofensivas da equipe anfitriã – o time jogou na cidade na região do Vale do Paraíba em cumprimento a punição por confrontos entre torcedores no clássico contra o São Paulo, na Vila Belmiro.

Em sua 21ª partida na temporada, Tabata agradou aos quase 10 mil torcedores, em sua maioria santistas, presentes em São José dos Campos. Desde o início de jogo chamando a responsabilidade, o meia de 27 anos, que atuou praticamente como um segundo atacante ao lado de Jonas, foi decisivo. Tanto que aos 31min, em cobrança de falta ensaiada, ele colocou a bola na cabeça do zagueiro Domingos, que abriu o marcador.

Na etapa final, Luxemburgo viu uma de suas apostas brilhar em seu primeiro toque na bola. O meia-atacante Renatinho, que substituiu Jonas, recebeu passe de Moraes, outra revelação da base (entrou na volta do intervalo) e, com oportunismo, bateu o goleiro Deola.