XV de Piracicaba 1 x 1 Santos

Data: 21/01/2012, sábado, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª rodada
Local: Estádio Barão de Serra Negra, em Piracicaba, SP.
Público: 11.282 pagantes
Renda: R$ 367.953,56
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto
Auxiliares: Herman Brumel Vani e Danilo Ricardo Simon Manis
Adicionais: Phillippe Lombard e Aurélio Santanna Martins
Cartões amarelos: Anderson Carvalho, Rentería, Alan Kardec e Chrystian (S).
Gols: Alan Kardec (32-1); André Cunha (44-2, de pênalti).

XV DE PIRACICABA
Gilson; Vinicius Bovi, Toninho, Diego Borges e Alex Cazumba; Adilson Goiano, Marcus Lima (André Cunha), Anaílson (Gustavo Savoia) e Ricardinho; Paulinho e Vinícius Reis (Jonathan).
Técnico: Moisés Egert

SANTOS
Aranha; Maranhão, Bruno Rodrigo, Vinícius Simon e Emerson Palmieri (Chrystian); Anderson Carvalho, Ibson e Felipe Anderson (Breitner); Thiago Alves (Tiago Luís), Alan Kardec e Renteria.
Técnico: Tata



Santos é surpreendido pelo XV de Piracicaba e só empata no Paulistão

Alan Kardec abriu o placar no primeiro tempo, mas o atual bicampeão sofreu o empate no fim com gol de pênalti de André Cunha

O Santos não começou bem a luta pelo tricampeonato do Paulistão em 2012. Alan Kardec abriu o placar aos 32 do primeiro tempo, mas o atual bicampeão estadual não conseguiu ser melhor que o XV de Piracicaba em nenhum momento da partida e cedeu o empate por 1 a 1 aos 44 da segunda etapa.

O time do interior paulista mostrou bom futebol e personalidade diante dos reservas do Santos, que enfrentaram a falta de entrosamento e a força da torcida do Nhô Quim, que compareceu em peso e incentivou do primeiro ao último minuto de bola rolando.

O responsável pelo empate do XV de Piracicaba aos 44 do segundo tempo, foi o experiente André Cunha, que entrou atendendo a pedidos da torcida, sofreu o pênalti de um estabanado Crystian e executou a cobrança com maestria.

O Jogo

O XV de Piracicaba mais parecia o Barcelona nos primeiros minutos de bola rolando, com movimentação intensa e pelo menos três chutes que assustaram o goleiro Aranha, um dos personagens principais do primeiro tempo com a camisa do Santos por ter evitado que o Nhô Quim abrisse o placar no Barão de Serra Negra.

Perdido no início da partida, o Santos confiou muito no futebol do garoto Tiago Alves que, aos dois minutos, chamou o lateral Vinícius Bovi para o “baile”, mas acabou se desencontrando nas próprias fintas e perdeu a bola no campo ofensivo, sendo alvo de muitas vaias da fanática torcida do time do interior paulista.

Enquanto o Santos ainda não se entendia dentro de campo, o lateral Alex Cazumba, do XV, mostrava o motivo de ser temido na defesa santista. Logo aos cinco minutos, o ala esquerdo cruzou para Paulinho, que subiu mais alto que Bruno Rodrigo e cabeceou por cima do gol de Aranha. No minuto seguinte, o goleiro defenderia um forte chute de Vinícius Reis.

Os instantes seguintes da partida foram de muita luta pela posse de bola, com o santista Rentería acertando uma cotovelada no marcador do XV, Toninho, e recebendo apenas o cartão amarelo. A partida era morna no meio-campo e bastante disputada, até que a estrela de Alan Kardec, o camisa 10 do Santos, brilhou.

Aos 32 minutos do primeiro tempo, Maranhão desviou da marcação do XV de Piracicaba e fez o cruzamento na medida para Alan Kardec, que recebeu na entrada da área e teve tempo para dominar a bola, ajeitar e acertar com força o canto de Gilson. O detalhe é que eram cinco marcadores do anfitrião dentro da área, mas que se atrapalharam quando a bola desviou na cabeça de um deles.

Recuado no momento do gol do Santos, o Nhô Quim reagiu nos minutos finais, mas não conseguiu marcar. Aos 37, Alex Cazumba driblou meia defesa do adversário e bateu forte, para fora. No fim da etapa, Anaílson dominou na entrada da área e foi derrubado por Bruno Rodrigo, não sem antes conseguir fazer o passe para Paulinho. O atacante acabou desarmado por Maranhão, mas a reclamação em relação à arbitragem só estava começando.

Logo aos seis minutos do segundo tempo, o XV de Piracicaba mostrou que o Santos não deixaria o Barão de Serra Negra com três pontos muito facilmente. O atacante Paulinho recebeu dentro da área e chutou rasteiro para grande defesa de Aranha, que espalmou para o meio da área. A zaga do Santos se atrapalhou toda, mas Vinícius Reis acabou chutando para fora e pondo fim ao perigo quinzista.

No minuto seguinte, Alex Cazumba cobrou escanteio e Diego Borges cabeceou na trave do goleiro Aranha. O Santos tentou reagir com Anderson Carvalho, que aplicou um chapéu no marcador do XV, mas chutou por cima do gol.

O técnico Moisés Egert apostou na entrada do atacante Gustavo Savoia, que não rendeu o esperado e também não conseguiu segurar a bola no campo de ataque. O Santos manteve a calma e não criou muitos lances de perigo, exceção feita à cobrança de falta ensaiada e Felipe Anderson que assustou o goleiro Gilson.

Aos 26, Anderson Carvalho bateu forte e obrigou Gilson a desviar a bola para a trave. O XV de Piracicaba mostrou personalidade e aumentou o ritmo nos minutos finais. Um pênalti cometido por Crystian em André Cunha atrapalharia os planos do Santos, que só conseguiu estrear no Campeonato Paulista com um empate. Feliz da vida, o torcedor do Nhô Quim saiu de campo aplaudindo o “time de guerreiros”.