São Paulo 2 x 1 Santos

Data: 15/09/2007, sábado, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 33.995
Renda: R$ 404.958,00
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa/SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa/SP) e Márcio Luiz Augusto (SP)
Cartões amarelos: Jorge Wagner, Breno e Rogério Ceni (SP); Domingos (S) e Baiano (S).
Gols: Breno (04-2), Borges (08-2) e Rodrigo Tabata (47-2).

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Miranda, Breno e André Dias; Souza, Richarlyson (Jadílson), Hernanes, Leandro (Júnior) e Jorge Wagner; Dagoberto (Zé Luís) e Borges
Técnico: Muricy Ramalho

SANTOS
Fábio Costa; Baiano, Domingos, Adailton e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto, Pedrinho (Vitor Junior) e Petkovic (Rodrigo Tabata); Marcos Aurélio (Moraes) e Kléber Pereira
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



São Paulo vence Santos e já escuta gritos de ‘é campeão’

Com autoridade de campeão, o líder São Paulo deixou mais um aspirante a concorrente para trás. Na noite deste sábado, no estádio do Morumbi, a equipe tricolor não deu chances ao rival Santos e venceu por 2 a 1, gols de Breno e Borges. A superioridade na partida empolgou a torcida são-paulina, que já ensaiou os primeiros gritos de “é campeão”.

Depois dessa vitória, a 17ª na competição, a equipe da capital paulista abre 12 pontos para o vice-líder Cruzeiro, que joga neste domingo contra o Atlético-MG, restando 12 rodadas para o final do torneio. E mais: aumenta para 14 o número de jogos sem perder no Nacional. O gol santista, no entanto, encerra uma sequência de nove jogos do time da capital sem tomar gols. Não era vazado desde 2 de agosto.

O Santos, por sua vez, tropeça mais uma vez em clássicos – perdeu recentemente para o Corinthians – e vê a ascensão ser parada. Terceiro colocado com 42 pontos, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo ainda pode perder a posição na tabela ao final da 26ª rodada neste domingo. Para isso, basta o Palmeiras vencer.

O primeiro tempo foi totalmente do São Paulo. Trocando muitos passes e explorando as tabelas, a equipe do técnico Muricy Ramalho não deixou o adversário jogar. No entanto, as finalizações do ataque tricolor não foram boas. Somente Leandro, aos 32min, conseguiu acertar o gol. Fábio Costa defendeu.

Dagoberto, que deu um chute a gol na etapa inicial, elogiou o primeiro tempo do time do Morumbi: “Finalizamos bastante e isso foi ótimo”.

Perdido em campo, o Santos se posicionou apenas para tentar explorar os contra-ataques. Com Petkovic e Pedrinho apagados, e Marcos Aurélio sem se apresentar na frente, apenas Kléber Pereira levou um pouco de perigo ao gol de Rogério Ceni. Mas na melhor oportunidade, aos 33min, ele estava impedido.

“Infelizmente não conseguimos encaixar o contra-ataque. Precisamos manter a atenção no segundo tempo e lutarmos para não sofrer gol”, disse o santista Baiano.

Mas a atenção pedida por Baiano não existiu aos 4min da segunda etapa, quando Breno recebeu a bola no campo de ataque. O zagueiro dominou no peito com categoria, deixou os santistas para trás e, de dentro da área, chutou forte, sem chance de defesa para o goleiro santista.

A equipe santista não teve tempo para tentar se arrumar depois do primeiro gol sofrido. Aos 8min, depois de chute de Dagoberto de fora da área, a bola sobrou para Richarlyson na esquerda. O camisa 20 do São Paulo cruzou para Borges, que desviou da pequena área e ampliou a vantagem tricolor. Tabata descontou para o Santos aos 47min, mas já era tarde para reação.