Santos 3 x 1 Santa Cruz

Data: 03/12/2006, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro – 38ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.577 pagantes
Renda: R$ 51.205,00
Árbitro: Antonio Hora Filho (SE)
Auxiliares: Antonio da Cruz dos Santos e Almirdrovandro da Silva Lima (ambos de SE).
Cartões amarelos: Zé Roberto (S); Osmar e Jorge Henrique (SC).
Gols: Osmar (12-1), Wellington Paulista (20-1); Junior (27-2) e Wellington Paulista (35-2).

SANTOS
Fábio Costa; André, Domingos, Ronaldo e Kléber; Fabinho (André Luiz), Cléber Santana, Zé Roberto e Rodrigo Tabata (Jonas); Rodrigo Tiuí (Junior) e Wellington Paulista.
Técnico: Wanderley Luxemburgo

SANTA CRUZ
Anderson; Osmar, Sidrailson, Hugo e Max (Jairo); Adriano dos Santos (Ivson), Júnior Maranhão, Jamesson e Jorge Henrique; Nenê e Mirandinha (Elvis).
Técnico: Fito Neves



Santos se despede do Brasileiro com vitória sobre Santa Cruz

Classificado para a Copa Libertadores, o Santos entrou em campo neste domingo com objetivo de terminar a temporada de maneira positiva. E conseguiu. Mesmo com dificuldades, o time alvinegro ganhou do rebaixado Santa Cruz por 3 a 1, de virada. Dessa forma, encerrou sua participação no Campeonato Brasileiro satisfazendo a torcida que compareceu à Vila Belmiro e apoiou a equipe durante todo o jogo.

“Era o nome do Santos que estava em jogo. Por isso, tínhamos que ter bastante motivação para sair com a vitória. Ainda mais porque a partida foi em nosso estádio. No final, foi um resultado muito bom para nós”, comemorou o lateral-esquerdo Kleber.

Com o triunfo, a equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo termina o Nacional na quarta colocação, com 64 pontos, 14 a menos que o campeão São Paulo. Já o clube pernambucano fica na última posição, com 28 pontos, e voltará a disputar a segunda divisão em 2007.

A vitória deste domingo também serviu para ratificar a condição do Santos de melhor mandante do campeonato. Isso porque nenhuma outra equipe somou tantos pontos em casa como o time da Baixada. Foram 16 triunfos, dois empates e duas derrotas, totalizando 47 pontos dos 57 disputados.

O Santa Cruz, por sua vez, encerra a competição com média oposta a do Santos. Fora de seus domínios, a equipe tricolor venceu apenas uma partida (contra o Fortaleza), tendo o pior aproveitamento como visitante entre todos os times da Série A.

Mesmo com a seqüência ruim, o rebaixamento e os problemas extra-campo, como atraso nos salários, os jogadores tentam manter o otimismo para o ano que vem. “Sabíamos que seria mais um jogo difícil, mas tentamos esquecer tudo. Essa é a nossa profissão e também queremos honrar o nome do clube no futuro”, comentou o meia Jorge Henrique.

Santos e Santa Cruz entrarão em férias e irão voltar a campo somente para a disputa dos campeonatos estaduais de 2007. A estréia do time da Baixada no Paulistão acontece no dia 17 de janeiro, contra o Barueri. Já o clube tricolor enfrentará o Estudantes, no dia 14 do mesmo mês, pelo Pernambucano.

O jogo

Empurrados pela torcida, os anfitriões começaram o confronto imprimindo um forte ritmo de jogo, avançando com intensidade pelas laterais. O time visitante, por sua vez, ficou recuado no início do jogo, apostando nos contra-ataques.

E foi assim que a equipe recifense abriu o placar. Após recuperar a bola no meio-de-campo, Max avançou pela esquerda e rolou para o meio da área. A defesa alvinegra não afastou a jogada, e Osmar apareceu livre de marcação para completar para o fundo das redes.

Mesmo com o gol, o Santos não se desesperou e manteve a superioridade na partida. Assim, o empate não demorou. Aos 20min, André Oliveira avançou pela direita e cruzou para dentro da área. Wellington Paulista se esticou para trás e cabeceou no ângulo direito para igualar o marcador.

Aos poucos, o Santa Cruz começou a sair com mais intensidade e ter um pouco mais de domínio da posse de bola. Mesmo assim, a equipe da casa permaneceu superior. Aos 37min, Zé Roberto tabelou com Rodrigo Tabata na entrada da área, deu lindo drible no zagueiro e tocou para o gol. Anderson se esticou o braço e conseguiu impedir o segundo gol santista.

No segundo tempo, o time da Baixada voltou com o mesmo ritmo em busca da virada. Aos 3min, Cléber Santana arriscou chute de fora da área e obrigou o goleiro a espalmar a bola para o meio. Wellington Paulista aproveitou o rebote, mas o juiz paralisou a jogada marcando impedimento do atacante.

Com o decorrer da partida, os anfitriões seguiram com domínio no setor ofensivo, mas também desperdiçaram muitas chances. A maior delas aconteceu aos 14min, quando Rodrigo Tiuí invadiu a área pela direita e cruzou rasteiro para a entrada da pequena área. Sem nenhuma marcação, Fabinho errou o chute de pé esquerdo e mandou a bola muito à esquerda da meta de Anderson.

A virada santista saiu apenas aos 27min. Após tabela com Jonas na lateral-direita, Cléber Santa invadiu a área, se livrou da marcação e cruzou rasteiro. A bola foi parar nos pés do atacante Júnior, que só teve o trabalho de completar ao lado da segunda trave para marcar.

Empolgado, o clube da casa se soltou mais depois do gol e fechou o placar aos 34min. Wellington Paulista recebeu lançamento na entrada da área, se livrou do zagueiro e bateu de bico no meio do gol para ampliar e decretar o triunfo na Vila Belmiro.

Fábio Costa chega aos 200 jogos com a camisa do Santos

A partida contra o Santa Cruz significou mais que o encerramento do ano para um jogador do Santos em especial. O goleiro Fábio Costa completou, somadas as suas duas passagens pela Vila Belmiro, 200 jogos pelo clube.

“Eu estou muito feliz, essa é uma marca importante”, disse o goleiro antes do jogo. “Esta é uma marca importante, principalmente porque poucos jogadores têm a oportunidade de conquistar algo assim”, completou o goleiro que, no elenco atual do Santos, é o jogador com mais partidas pelo clube.

Vindo do Vitória-BA, Fábio Costa chegou ao clube da baixada santista em 2000, junto com Carlos Germano, para solucionar os problemas da meta santista. Reserva no início, o atleta baiano esperou a sua vez e assumiu a condição de titular em 2001, com a saída de Germano.

A partir de então, o goleiro se firmou na meta santista, e foi peça fundamental na conquista do título nacional de 2002. Depois disso, ainda participou dos vice-campeonatos da Libertadores e do Campeonato Brasileiro em 2003. A partir de dezembro daquele ano, porém, Fábio Costa trocou a Vila Belmiro pelo Parque São Jorge, e atuou pelo Corinthians até o fim de 2005.

No começo deste ano, no entanto, o goleiro foi apresentado como reforço santista, e reassumiu a camisa número um do Santos. Desde então, Fábio só saiu da condição e titular quando esteve suspenso ou lesionado.

“Ainda espero que possam vir mais duzentos jogos e que eu consiga ajudar o Santos no que eu puder”, disse o goleiro, que atuou nesta tarde com uma camisa especial, com a inscrição “200 jogos” na frente e nas costas do uniforme.