Flamengo 1 x 1 Santos

Data: 02/10/1994, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª fase – Grupo F – 1ª rodada
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 12.471 pagantes
Renda: R$ 70.287,00
Árbitro: José Mocelin (RS)
Cartões amarelos: Marcelo Fernandes, Gallo e Marcelinho (S).
Gols: Índio (21-1) e Nélio (29-1).

FLAMENGO
Gilmar; Charles Guerreiro, Gélson, Paulo Paiva e Marcos Adriano; Fabinho, Marquinho, Hugo (Rodrigo) e Nélio; Magno e Sávio.
Técnico: Carlinhos

SANTOS
Edinho; Índio, Júnior, Marcelo Fernandes e Silva; Gallo, Cerezo, Ranielli (Marcelinho) e Paulinho Kobayashi; Macedo e Guga.
Técnico: Serginho Chulapa



Santos consegue empate no Rio

Com uma grande atuação da sua defesa, o Santos empatou por 1 a 1 com o Flamengo, ontem à tarde, no Maracanã, apesar do maior volume de jogo do adversário.

Disputado sob calor de 32 graus Celsius, o jogo só foi bom no primeiro tempo. No segundo, os times cansaram e as defesas anularam facilmente os ataques.

E foi justamente no primeiro tempo que aconteceram os gols, com ajuda dos dois goleiros. Aos 21min, Índio, o melhor em campo, chutou forte, mas de longe. Gilmar ainda tocou na bola, mas ela entrou.

Aos 39min, foi a vez de Edinho, que fazia sua primeira partida no Maracanã, colaborar para o empate do Flamengo. Nélio chutou, também de longe. O goleiro do Santos pulou atrasado.

O Flamengo começou a partida jogando melhor e pressionando a defesa do Santos. Em seis minutos, o time carioca já havia chutado quatro bolas perigosas.

O Santos bloqueava bem na defesa e Índio não dava espaço para Sávio, o principal atacante do Flamengo, jogar. O lateral santista ainda tinha fôlego para ir à frente. Foi numa das suas penetrações pela direita que ele abriu o marcador.

O gol perturbou o Flamengo, que passou a jogar mal, embora ameaçasse o gol de Edinho em chutes de fora da área que o goleiro nem sempre segurava firme.

Após o goleiro do Santos soltar duas bolas na área, veio o gol de Nélio, quando o Santos controlava o Flamento com tranquilidade.

Ainda no primeiro tempo, aos 44min, o goleiro Edinho quase compromete de vez sua atuação ao deixar escapar por entre as pernas uma bola chutada pelo centroavante Magno. O zagueiro Marcelo Fernandes colocou para escanteio.

O segundo tempo foi monótono, com poucos lances de perigo. O Santos mostrava claramente que queria o empate e o Flamengo não conseguia escapar ao bloqueio da defesa paulista.

O atacante Sávio tentou fugir da implacável marcação de Índio saindo da esquerda para a direita, mas isso foi insuficiente para dar mais força ao ataque do seu time.

As substituições feitas pelos técnicos também foram infelizes. Serginho tirou Ranielli, que jogava bem mas pareceu cansar, e colocou em seu lugar um rápido e improdutivo Marcelinho. As 33min, ele perdeu a melhor chance santista no segundo tempo.

Já o técnico Carlinhos, do Flamengo, tirou o volante Hugo e colocou Rodrigo, que nada acrescentou. O jogo só podia terminar empatado.

Flamengo é melhor nos passes certos

O empate do Maracanã foi favorável ao Santos. Os números do Datafolha mostram um grande domínio do Flamengo.

A principal diferença está nos passes certos –enquanto o Santos acumulou 252 passes, o Flamengo somou 411. A equipe carioca foi superior ainda nos passes errados: 62 contra 67 dos santistas.

Outra desvantagem da equipe do técnico Serginho aconteceu nas finalizações. O Flamengo acertou dez contra apenas duas do Santos. Como arriscou mais, o time carioca também errou mais: 14 a 7.

Os lançamentos do Flamengo também foram mais precisos. A equipe do técnico Carlinhos conseguiu 80% de acerto, conseguindo sucesso em oito dos dez efetuados.

A consequência do desequilíbrio aconteceu também na quantidade de escanteios cedidos. Mais presente na área, o Flamengo conseguiu 10 cobranças, enquanto o Santos limitou-se a 3.

A equipe paulista mostrou, porém, que não abusou da violência, equilibrada entre os dois times. Os santistas cometeram 15 faltas e os flamenguistas uma a menos.

O equilíbrio apareceu também na medição dos desarmes. O Datafolha anotou 80 completos para o Flamengo e 79 para o Santos.

Já nas bolas recuperadas, a vantagem foi carioca: 8 a 4.