Vasco 0 x 0 Santos

Data: 11/09/1994, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – Grupo C – 8ª rodada
Local: Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 5.391 pagantes
Renda: R$ 35.018,00
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE)
Cartões amarelos: Torres (V); Júnior, Silva e Dinho (S).

VASCO
Carlos Germano; Bruno Carvalho, Ricardo Rocha (Ronald), Alexandre Torres e Sidnei; Leandro Ávila, França, William e Yan; Jardel (João Paulo) e Valdir.
Técnico: Sebastião Lazaroni

SANTOS
Edinho; Índio, Júnior, Marcelo Fernandes e Silva; Dinho (Sérgio Santos), Gallo, Cerezo e Paulinho Kobayashi; Macedo e Guga.
Técnico: Serginho Chulapa



Torcidas tumultuam jogo entre Vasco e Santos no Rio

Em jogo fraco e marcado por brigas de torcidas, Vasco e Santos empataram em 0 a 0 ontem à tarde, no estádio de São Januário, em São Cristóvão, zona norte do Rio. Os dois times fazem parte do Grupo C do Campeonato Brasileiro de 94.

Durante o intervalo da partida, integrantes da torcida Força Jovem, do Vasco, invadiram o pequeno espaço reservado aos cerca de 120 torcedores do Santos presentes, causando um tumulto generalizado.

Pelo menos dez pessoas ficaram feridas, sendo que três foram levadas para o hospital Souza Aguiar (zona central): Eduardo Bezerra, 15, Wellington de Carvalho, 18, e Ademir Esteves Espázio, 19.

No início do tumulto havia apenas seis policiais militares no estádio. A polícia só interveio depois que os torcedores do Santos invadiram o campo para escapar dos vascaínos. No gramado, os santistas desmontaram placas de publicidade, arrancaram as bandeirinhas de escanteio e rasgaram faixas da torcida do Vasco.

No parque aquático, que fica ao lado do campo, os santistas jogaram cadeiras no pátio de estacionamento. Uma dessas cadeiras quebrou o vidro lateral do Monza do vice-presidente de Relações Públicas do Vasco, Manoel Gomes.

Escoltados pela PM, os torcedores do Santos deixaram o estádio antes do início do segundo tempo sem suas faixas e bandeiras.

O tumulto fez com que o intervalo durasse 55 minutos. Os dirigentes do Santos argumentavam que não havia segurança para o reinício da partida.

No jogo, a equipe do Vasco foi mais ofensiva, mas prejudicada durante o primeiro tempo pelo mau desempenho do atacante Jardel, que esbarrava sempre na zaga santista.

Na segunda metade, o ponta-esquerda João Paulo entrou no lugar de Jardel, aumentando o poder ofensivo do time da casa, sobretudo nos primeiros 20 minutos.

As duas maiores chances de gol do Santos aconteceram na etapa final. Aos 12min, Júnior cabeceou e o goleiro Carlos Germano defendeu parcialmente. A bola ia entrando, quando a zaga salvou quase na linha do gol.
Aos 35min, em jogada individual pela esquerda, Cerezo chutou forte à esquerda do gol de Carlos Germano.