Santo André 1 x 0 Santos

Data: 06/02/1994, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Bruno José Daniel, em Santo André, SP.
Público: não divulgado
Renda: CR$ 25.613.000,00
Árbitro: João Paulo Araújo
Gol: Claudinho (07-2).

SANTO ANDRÉ
Luiz Alexandre; Cipó, Badu, Correia e Guni; Mastrillo, Juari, Rizza e Jorginho; Raudinei e Claudinho.
Técnico: Hélio dos Anjos

SANTOS
Edinho; Índio, Júnior, Marcelo Fernandes e Piá; Dinho, Gallo, Ranielli e Paulinho Kobayashi; Macedo e Neizinho.
Técnico: Pepe



Santos perde e agora está na última posição

Jogo marcou a estreia do goleiro Edinho, filho do Rei Pelé, no Santos FC

O Santo André venceu o Santos na tarde de ontem por 1 a 0 no estádio Bruno José Daniel pela série A-1 do Campeonato Paulista, com gol do centroavante Claudinho aos 7min do segundo tempo. O Santo André agora tem sete pontos e é um dos líderes do campeonato.

Prejudicadas pelo estado ruim do gramado, as duas equipes fizeram um primeiro tempo fraco, com poucos lances de gol e muitas jogadas erradas.

Desde o começo o Santos pressionou a equipe do Santo André, tentando ocupar os espaços no meio-campo e evitar o toque de bola do adversário. As melhores oportunidades de gol foram da equipe santista. Macedo perdeu uma boa chance aos 17min, depois de boa jogada de Dinho. Aos 22min, foi a vez de Dinho chutar em cima do goleiro.

O Santo André só ameaçou uma vez o gol de Edinho, filho de Pelé. O atacante Raudinei tabelou com Jorginho e chutou forte de fora da área. Edinho foi firme para a bola e fez boa defesa. No final do jogo, ele faria outra boa defesa, ao defender na pequena área dois chutes seguidos de Rizza e Claudinho.

No segundo tempo a situação se inverteu. O Santo André melhorou a marcação e dominou totalmente o jogo, deixando o ataque santista isolado. Claudinho fez o único gol da partida, após cruzamento feito da direita por Juari.

Edinho acha que foi ‘razoável’

Uma estréia razoável. Assim Édson Cholby do Nascimento, o Edinho, novo goleiro do Santos, classificou a sua primeira partida oficial pelo clube. No entanto, ele não conseguiu esconder a frustração da derrota por 1 a 0.

“Tive uma boa atuação, achei que fiz defesas difíceis, mas não foi a estréia que eu esperava. A cabeçada do Claudinho foi indefensável”, disse Edinho, que recebeu os cumprimentos do goleiro adversário, Luís Henrique, após o jogo. “Foi uma atitude bonita.”

Sobre o mau momento vivido pelo Santos, Edinho disse que está faltando tranquilidade nas finalizações. Segundo ele, a cobrança da torcida está crescendo e os jogadores estão ansiosos para vencer a primeira partida no campeonato. “Quando vencermos a primeira, as coisas vão melhorar.”

A atuação de Edinho agradou aos torcedores. No primeiro tempo, ele não foi incomodado pelo ataque do Santo André. Fez apenas uma defesa, num chute de fora da área do atacante Raudinei. No segundo tempo, no entanto, o goleiro fez três grandes defesas. “Minha nota foi oito”, disse Edinho.



Santos confia em coincidência histórica

O Santos espera conquistar hoje, contra o Santo André, sua primeira vitória no Campeonato Paulista. Para a própria história do clube, porém, esse jogo ganha uma importância especial. Foi na cidade de Santo André, em a 7 de setembro de 1956, que o Santos entrava em campo com uma novidade: Pelé estreava no time e marcava seu primeiro gol profissional, na goleada (7 a 1) contra o Corinthians local. Hoje, quem atua é seu filho, o goleiro Edinho.

A escalação de Edinho no gol do Santos, em substituição a Gilberto, foi decidida por Pepe no treino de sexta-feira. “Pode não ser o momento ideal para ele entrar na equipe. Mas sei que ele tem personalidade forte, capaz de superar essa adversidade”, disse o treinador.

Nas demais posições, o time é o mesmo que empatou com o Ituano em 1 a 1 na última quarta-feira, na Vila Belmiro. Os laterais Índio e Piá se recuperaram de contusão, assim como o volante Dinho.

No ataque, Pepe mantém a mesma formação dos jogos anteriores, com Macedo, Neizinho e Paulinho Kobayashi. Guga continua sem condições de ser escalado. O centroavante e a diretoria não chegaram a um acordo para renovação do contrato, vencido em 31 de dezembro passado.

“Estou pedindo US$ 20 mil por mês e eles acham que é muito”, disse o centroavante. Para o diretor de futebol, José Paulo Fernandes, “pode acontecer um acordo se houver boa vontade do jogador em aceitar rever sua pedida inicial. Do contrário, ele tem poucas chances de ficar no clube”. A torcida, porém, exige a presença do centroavante a cada insucesso do time.

Sem Guga, artilheiro do Campeonato Brasileiro do ano passado, com 14 gols, Pepe torce para que o ataque santista “desencante”. O treinador não esconde seu descontentamento com o setor. “Estamos perdendo pontos de bobeira. Não podemos perder os gols que estamos perdendo. É um absurdo o que vem acontecendo”, disse.

Contra o Santo André, a equipe vai jogar “de igual para igual”, afirmou o técnico. Ranielli e Dinho voltam a se preocupar mais com a marcação no meio-campo, ao lado do volante Gallo. “Vamos reforçados no meio, tentando evitar uma surpresa do adversário”, disse Gallo.