Vídeo: (1) Melhores momentos.

Santos 3 x 1 Internacional

Data: 07/03/2012, quarta-feira, 19h45.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 1 – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.857 pagantes
Renda: R$ 389.460,00
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)
Auxiliares: Dibert Pedrosa e Rodrigo Pereira Joia (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Neymar, Juan e Elano (S); Kleber, Elton, Índio, D’Alessandro, Bolatti, Oscar, Dagoberto e Tinga (I).
Gols: Neymar (18-1, de pênalti); Neymar (08-2), Leandro Damião (18-2) e Neymar (19-2).

SANTOS
Rafael; Fucile (Bruno Rodrigo), Edu Dracena, Durval e Juan; Henrique, Arouca, Ibson (Elano) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges (Alan Kardec).
Técnico:Muricy Ramalho

INTERNACIONAL
Muriel; Nei, Rodrigo Moledo, Índio e Kleber; Guiñazu, Elton (Dátolo), Bolatti (Tinga), D’Alessandro (Dagoberto) e Oscar; Leandro Damião.
Técnico: Dorival Júnior



Neymar dá show e Santos vence o Internacional pela Libertadores

Atacante fez os três gols na vitória de 3 a 1 e deu os primeiros pontos para o atual campeão sul-americano

O atacante Neymar segue dando passos largos rumo à consagração como um dos grandes craques do futebol mundial. Nesta quarta-feira, o camisa 11 deu show e comandou o Santos em sua primeira vitória na Libertadores 2012: 3 a 1 no Inter. Neymar fez os três gols, dois deles em jogadas individuais que arrancaram aplausos em pé dos torcedores na Vila.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

A performance de Neymar, coincidência ou não, ocorreu poucas horas após o argentino Messi brilhar com intensidade na Liga dos Campeões ao marcar cinco gols pelo Barcelona na vitória por 7 a 1 sobre o Bayer Leverkusen.

A vitória sobre o Inter levou os santistas para a segunda colocação do Grupo 1. Os paulistas chegaram aos três pontos, mesma pontuação do time gaúcho, só que com um saldo de gols superior (1 a 0). The Strongest (Bolívia), com duas vitórias e seis pontos ganhos, lidera a chave.

Agora, o Santos volta a jogar pela Libertadores no dia 15, contra o Juan Aurich (Peru), em Chiclayo. Enquanto isso, o Inter recebe o Strongest, no próximo dia 16, no Beira-Rio.

O jogo:

Precisando do resultado, o time da casa começou a partida pressionando e buscando encurralar o adversário no seu campo de defesa. A primeira boa chance de gol do Santos aconteceu aos seis minutos, quando Neymar fez grande jogada individual, passou para Arouca, que tocou para Ibson, na entrada da área, mesmo sem marcação, pegar mal na bola. O chute passou longe do gol de Muriel.

Em ritmo acelerado, o time da Vila Belmiro teve mais uma grande oportunidade, aos 11. Após boa troca de passes do ataque alvinegro, a bola foi rolada para a finalização de Neymar. Muriel defendeu no reflexo, evitando o primeiro gol dos donos da casa.

Melhor em campo, de tanto pressionar, o Santos chegou ao gol. Aos 17, Borges foi calçado por Kleber dentro da área. Na cobrança, no minuto seguinte, Neymar demonstrou toda a sua tranquilidade ao deslocar Muricy e abrir o placar a favor de sua equipe.

Empurrado por sua torcida, o Santos quase ampliou a sua vantagem pouco depois. Aos 25, Ganso puxou contra-ataque, encontrando Arouca, que acionou Neymar. Rápido, o camisa 11 soltou a bomba, que explodiu na trave direita de Muriel.

No minuto seguinte, o Inter respondeu à altura. Nei desceu pela direita e cruzou para Elton, que não alcançou a bola dentro da grande área, frente a frente com Rafael, desperdiçando boa oportunidade para os visitantes.

Sempre perigoso, o Santos ainda criou mais uma boa chance de gol, antes do intervalo. Aos 37, Ganso tocou para Juan, que tabela com Neymar e recebe na frente, dentro da grande área. O lateral esquerdo santista bateu firme, cruzado, e quase anota o segundo a favor de sua equipe.

Preocupado com a postura muito cautelosa do seu time no primeiro tempo, o técnico do Inter, Dorival Júnior, resolveu trocar um volante por um meia: o jovem Elton deixou o jogo para a entrada do argentino Dátolo.

A mudança surtiu certo efeito e os visitantes quase empataram, aos cinco minutos da etapa complementar. Nei desceu pela direita e cruzou para Leandro Damião. De frente com Rafael, o centroavante completou para o gol, mas o goleiro do Santos realizou uma grande defesa, à queima-roupa, evitando o gol de empate gaúcho.

Só que o Santos continuava melhor na partida e o prêmio surgiu aos oito. Neymar arrancou em velocidade, deixou três marcadores para trás e, na saída de Muriel, apenas encobriu o arqueiro do Inter, para a alegria da torcida santista, que aplaudiu de pé: 2 a 0.

Após as trocas de Bolatti por Tinga e D’Alessandro por Dagoberto, o Inter descontou com Leandro Damião. Aos 18, Oscar ganhou no jogo de corpo de Edu Dracena e tocou para o camisa 9 do Internacional estufar as redes: 2 a 1.

Mas, para o azar dos gaúchos, Neymar continuava inspirado. Em grande noite, o camisa 11 do Santos partiu da intermediária, aos 19, deixando os zagueiros rivais para trás e, com enorme categoria, deu uma “cavadinha” sobre Muriel, anotando seu terceiro gol no duelo.

Com uma boa vantagem no placar, o treinador santista, Muricy Ramalho, passou a sacar os seus jogadores mais desgastados. Primeiro, Borges deixou o campo, substituído por Alan Kardec. Mais tarde, foi a vez de Ibson dar lugar a Elano. Por últimos, o lateral uruguaio Fucile saiu para a entrada do zagueiro Bruno Rodrigo.

Nos minutos finais, apesar da pressão gaúcha, os donos da casa souberam administrar vantagem. Elano, aos 41, em cobrança de falta, quase ampliou. Mas o placar permaneceu inalterado até o apito final do árbitro.


Vídeos: (2) Análise tática do primeiro golaço de Neymar e (3) Comparação dos dois golaços.

“Nunca trabalhei com um jogador desse nível”, diz Muricy sobre Neymar

Técnico do Santos rasga elogios à partida exuberante da joia santista, na vitória do Santos contra o Inter, na Vila Belmiro

Dono do jogo contra o Internacional-RS, o atacante Neymar comandou o show e marcou os três gols da vitória do Santos, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro. Encantado com a atuação do seu camisa 11, o técnico Muricy Ramalho não poupou elogios a Joia após a partida, válida pelo Grupo 1 da Copa Libertadores da América.

“Eu trabalhei com muita gente boa, mas igual ao Neymar, nunca vi nada parecido. Quando eu joguei tive a oportunidade de atuar ao lado de grande atletas e como treinador dirigi grandes jogadores também. Mas o que ele faz é fora de série. O Neymar faz o improviso, em cima do improviso. Nunca trabalhei com um jogador desse nível antes”, afirmou Muricy, deliciado com a exibição de gala do craque santista.

“Acho que ele está em um nível um pouco mais acima do termo craque. Ele está avançando para ser um dos melhores do mundo. Está entre os cinco melhores do planeta, para mim. Ele faz coisas que a gente não espera, como foi hoje (quarta), diante de um dos melhores times do país, que é o Inter. Uma equipe tão forte como a deles é muito difícil desequilibrar o jogo desta forma, como ele fez. Tem que ser muito bom mesmo para fazer isso“, comentou.

Indagado sobre qual dos dois gols de jogadas individuais teria sido mais bonito, o segundo ou terceiro tento santista, o treinador evitou escolher um deles. Muricy Ramalho acredita que ambos os gols merecem elogios pela maneira como foram construídos por Neymar, deixando seus marcadores para trás e vencendo o goleiro Muriel.

“É complicado falar alguma coisa. Só vendo de novo, pela TV, pois foram gols muito parecidos. Do banco (de reservas) estava um pouco longe e não deu para ver o final das duas jogadas direito. Porém, não dá para deixar de enaltecer que são gols dificílimos de serem marcados. Não é fácil dar velocidade e ficar com a bola sob o seu domínio. Você tem um cara atrás, tentando tomar a bola, fazer a falta, e dá uma arrancada dessas? Só um jogador com uma habilidade muito rara para fazer o que ele fez”, encerrou.

Bastidores – Santos TV: